5 Alimentos que não devem sair (mesmo) da prateleira do supermercado!

Existem alimentos que não devem sair da prateleira do supermercado e não estamos a falar só naqueles que são processados e ricos em açúcar e gorduras trans.

5 Alimentos que não devem sair (mesmo) da prateleira do supermercado!
Não se deixe enganar por estes alimentos nas lojas.

Nem sempre são feitas as melhores escolhas quando se anda às compras, mas há mesmo alimentos que não devem sair da prateleira do supermercado.

Com este artigo pretendemos dar a conhecer os alimentos que não acrescentam nada de bom à sua alimentação, pelo contrário, podem trazer bastantes malefícios e não falamos só em alimentos que possuem grandes quantidades de açúcar e gordura.

Algumas dicas e trocas simples de produtos podem fazer com que seu carrinho de supermercado seja muito mais nutritivo, saboroso e também económico, sem que seja desperdiçado mais tempo dentro da loja.

Confira, de seguida, quais são os alimentos de que falamos.

São estes os alimentos que não devem sair da prateleira do supermercado!


1. Molhos para saladas

alimentos que não devem sair da prateleira do supermercado e molhos para saladas

A maioria dos molhos para saladas pré-fabricados são feitos para terem um prazo de validade alargado, o que significa que não têm a mesmo frescura de um molho preparado em casa.

Não só a frescura é afetada, como o sabor pode ser muito diferente, principalmente naqueles que possuem alho e cebola como ingredientes principais.

Além disso, ao comprar um molho já confeccionado, está a pagar um preço muito elevado por alimentos de baixa qualidade nutricional, que só acrescentam calorias à sua refeição.

Sugestão: faça seus molhos para as saladas na hora. Obterá um alimento mais autêntico, feito com produtos de melhor qualidade e, à partida, ainda vai poupar dinheiro.

2. Hambúrgueres congelados

Hamburgueres congelados

Com raras exceções, os hambúrgueres congelados são feitos de pedaços de carne proveniente de qualquer parte da carcaça, que são moídos extremamente finos e muito compactos. Mesmo antes de se cozinhar, perde-se a boa textura da carne e o sabor típico da carne fresca.

Também a lista de ingredientes pode possuir itens que não são desejáveis, tais como aditivos alimentares e alergénios escondidos. O mesmo se passa com a carne picada.

Sugestão: se quer um ótimo hambúrguer ou carne picada, precisa de começar com uma boa carne. Compre cortes inteiros da carne que preferir e peça para picar e fazer hambúrgueres na hora, no talho. Dessa forma, terá o controlo total sobre o sabor e a textura.

3. Queijo ralado

Queijo ralado

O queijo ralado, muitas vezes, traz um revestimento de amido de milho ou outro pó destinado a impedir que o mesmo se agregue. No entanto, este ingrediente extra pode afetar a maneira como o queijo derrete ou se incorpora em molhos e comidas.

O queijo ralado é por isso um dos alimentos que não devem sair da prateleira do supermercado, e geralmente também é mais caro que as restantes partes não raladas.

Sugestão: compre o queijo inteiro e rale você mesmo em casa. Poderá não só economizar dinheiro, mas também garantir que as receitas saem da maneira pretendida.

4. Pipocas de microondas

Pipocas de microondas

As pipocas são um alimento interessante que pode ser incluído na alimentação, mas não quando falamos de pipocas processadas, onde estão incluídas as pipocas de microondas.

Têm um sabor mais artificial e não se conhece a quantidade de gordura utilizada para as preparar, assim como outros ingredientes (conservantes e aromatizantes) que por si só já tornam o alimento menos saudável.

Mas o problema da utilização do microondas para a preparação, além dos produtos químicos liberados pelo calor, é o composto da mistura que vem juntamente com o milho.

Sugestão: faça você mesmo as pipocas, acrescentando mel e canela para dar um toque doce às pipocas, ou um pouco de sal e outros temperos, se for fã de pipocas salgadas. Confira aqui mais receitas.

5. Pizzas congeladas

Pizzas congeladas

As pizzas congeladas contêm um lote de ingredientes dispensáveis, como os produtos químicos e conservantes, mas também possuem demasiadas calorias, excesso de gorduras, sódio, hidratos de carbono e até mesmo açúcar.

Comprar estas alternativas como uma solução mais rápida pode trazer outras desvantagens que não estão à vista.

Sugestão: para uma alternativa mais nutritiva, faça as suas próprias pizzas em casa, utilizando bases de couve-flor, por exemplo. Mesmo que não faça a base caseira, preencher o topo com os seus ingredientes de eleição, será mais saudável do que comprar alternativas congeladas.

Mensagens a reter…


Não são só os alimentos ricos em açúcar e gorduras fazem mal à saúde. Existem outros ingredientes alarmantes presentes nos alimentos que muitas das vezes passam despercebidos para maioria das pessoas.

Devem-se fazer escolhas inteligentes e, por isso, evitar alguns alimentos devido aos ingredientes adicionados, que não trazem qualquer beneficio à saúde.

Leia com atenção os rótulos dos alimentos que coloca no carrinho de compras e se vir que possui algum ingredientes desconhecido ou que não é saudável, evite-o!

Veja também: