Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
28 Ago, 2020 - 10:15
Trilho dos Pescadores

Portugal tem um dos trilhos mais bonitos do mundo. Conheça o Trilho dos Pescadores

Mónica Carvalho

Prepare uma mala, a mochila para o dia a dia e, principalmente, o corpo: este Trilho dos Pescadores tem tanto de bonito quanto de difícil.

Este é um trilho que vai ficar marcado para sempre na memória dos adeptos deste tipo de atividades por vários motivos. O Trilho dos Pescadores passa por vários locais de grande beleza, mas exige muito de si, até porque grande parte do percurso é feito por terrenos arenosos e bem sabemos o quão difícil pode ser.

Aqui, irá colocar à prova a sua condição física e testar os seus limites físicos. E colocar-se à prova e ver até onde consegue ir e de que forma o seu corpo reage é algo que lhe permite desfrutar ainda mais de todo o processo.

O trilho é feito quase sempre junto ao mar, seguindo os caminhos usados pelos locais para acesso às praias e pesqueiros. Esta aventura pela Rota Vicentina está ao alcance dos mais fortes e corajosos. Vai aceitar o desafio?

Onde fica o Trilho dos Pescadores?

Mulher a percorrer a Costa Vicentina

O Trilho dos Pescadores fica na Costa vicentina e liga São Torpes a Lagos. Ainda que não seja contínuo, há muita informação e indicações na região para que nunca perca o rumo.

O nome deve-se, precisamente, ao facto de o percurso acompanhar a linha do mar, mas não pense que é um simples passeio à beira-mar: é algo bem mais exigente, porque pelo meio encontra escarpadas falésias e trilhos arenosos, sem esquecer a presença constante do vento costeiro que nem sempre lhe é favorável.

Como chegar?

Depende do que pretende fazer: se vai percorrer apenas algumas etapas do Trilho dos Pescadores ou se irá fazê-lo na totalidade. Seja como for, as acessibilidades aos respetivos pontos de partida são boas e poderá deixar o carro nas imediações.

Optando por mais do que uma etapa, também facilmente encontrará alojamentos nas povoações por onde passar e locais para fazer as suas refeições.

Deve ter em conta a questão do transporte: se vai de carro pondere bem o que prefere fazer, visto que pode deixar o carro no ponto de partida da etapa que vai fazer ou no ponto de chegada – isto assumindo que as fará na totalidade. Fazer o caminho em sentido inverso, para voltar ao início do percurso, será ainda mais custoso, pela extensão e dificuldade deste trilho.

Que distância vai percorrer?

Vista panorâmica da praia da Arrifana

O Trilhos dos Pescadores estende-se ao longo de cerca de 225 km ao longo do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Por norma, para quem o deseja fazer na totalidade, o trilho está dividido em 13 etapas diárias, tendo a mais pequena 11 quilómetros e a mais longa 22,5 quilómetros.

Conheça um pouco melhor cada uma das etapas que compõem o Trilho dos Pescadores, para saber o que está à sua espera.

Etapa 1

São Torpes – Porto Covo (10 km)

Aqui se inicia a grande rota conhecida como o Trilho dos Pescadores, numa zona próxima ao complexo industrial de Sines, que começou a ser construído no início dos anos 70. A cada passo, vai deixando para trás a indústria e entra no imenso Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, que acompanhará o resto da rota.

Tempo estimado em passada moderada: 02h04.

Etapa 2

Porto Covo – Vila Nova de Milfontes (20 km)

Esta é uma das etapas mais bonitas, visto que é onde se localizam muitas praias de elevada qualidade. Nesse sentido, irá caminhar ao longo dos extensos areais das praias da Ilha do Pessegueiro, Aivados e Malhão e de outras pequenas enseadas desertas. Bonito, mas cansativo por ter de caminhar na areia.

Tempo estimado em passada moderada: 04h08.

Etapa 3

Vila Nova de Milfontes – Almograve (15,5 km)

Neste dia, certifique-se de que tem a bateria do telemóvel ou da máquina fotográfica completamente carregada, porque irá passar por paisagens tão deslumbrantes que vai querer registar todas.

Vila Nova de Milfontes e o rio Mira, que aqui tem o seu encontro com o Atlântico, permitem desfrutar em pleno da região.

Tempo estimado em passada moderada: 3h14.

Etapa 4

Almograve – Zambujeira do Mar (22 km)

Se tem vertigens, ainda que ligeiras, deve ponderar abdicar desta etapa ou, então, preparar-se para a mesma, visto que irá percorrer muitas falésias altas e escarpadas.

Por aqui, é também alvo de interesse o facto de ser ponto de nidificação de mais de 20 espécies de aves, que proporcionar um espetáculo natural, que nenhum dinheiro paga.

Tempo estimado em passada moderada: 4h35.

Etapa 5

Zambujeira do Mar – Odeceixe (18,5 km)

Uma etapa para conhecer as praias dos Alteirinhos, Carvalhal, Machados e Amália que seguem caminho até à Azenha do Mar, onde existe um porto de pesca natural e, para terminar, a praia de Odeceixe vai recebê-lo em todo o seu esplendor.

Tempo estimado em passada moderada: 3h51.

Etapa 6

Odeceixe – Aljezur (22,5 km)

Antes de deixar Odeceixe, visite o moinho da região, pois é um dos poucos que ainda está em funcionamento e, como tal, vale a pena conhecer. A área onde se situa possui passadiços e bancos de madeira que convidam à contemplação da vida que passa.

Tempo estimado em passada moderada: 4h41.

Etapa 7

Aljezur – Arrifana (17,5 km)

Se, numa etapa anterior, o destaque foi para as zonas de nidificação, neste vai para a vegetação, plena em arbustos aromáticos, como o tomilho, o alecrim e o rosmaninho; em plantas medicinais e comestíveis; e até em plantas endémicas e raras.

Tempo estimado em passada moderada: 3h39.

Etapa 8

Arrifana – Carrapaterira (20 km)

Na etapa 8 do Trilho dos Pescadores irá encontrar vários pequenos portos de pesca e poderá testemunhar, em primeira mão, os carregamentos de sardinha, cavala, corvina, tamboril, lagosta, entre muitas outras espécies, o que lhe irá abrir de imediato o apetite.

Tempo estimado em passada moderada: 04h08.

Etapa 9

Carrapateira – Vila d Bispo (16 km)

A grande curiosidade desta etapa reside no povoado islâmico da Ponta do Castelo, datado dos séculos XII-XIII, altura em que existiam apenas algumas habitações, um terraço para secagem de peixe e três fornos de cozer pão. Considere-o como uma espécie de lição de história.

Tempo estimado em passada moderada: 3h20.

Etapa 10

Vila do Bispo – Sagres (20,5 km)

O litoral de Sagres e Cabo de São Vicente são bastante únicos e invulgares e, nesse sentido, a zona foi classificada Reserva Biogenética de Sagres, em 1988. Por lá se encontram várias espécies endémicas, que não encontra noutros pontos do país.

Tempo estimado em passada moderada: 4h16.

Etapa 11

Sagres – Salema (19,5 km)

Este percurso é marcado pelas linhas de água dominadas pelos matos litorais sobre o calcário, pela lagoa do Martinhal e ilhotas litorais, que parecem erguer-se do mar no meio da enseada.

Tempo estimado em passada moderada: 4h03.

Etapa 12

Salema – Luz (12 km)

Por entre a vegetação sobre as falésias, encontrará orquídeas e lírios selvagens, palmeiras-anãs e muitas plantas aromáticas. Esta é a forma que a Natureza encontrou para presenteá-lo com tais belezas e mostrar-lhe que tudo está prestes a terminar e o seu esforço não foi em vão.

Tempo estimado em passada moderada: 2h01.

Etapa 13

Luz – Lagos (11 km)

Com o fim do percurso, é natural que a mente divague e os olhos se desviem por vezes para a imensidão do mar ou para o verde da vegetação mediterrânica, mas atenção, porque será um fim de trilho atribulado, com muitas pedras no chão.

Tempo estimado em passada moderada: 2h17.

Características do trilho

Vista do Cabo do Sardão

Além das dificuldades óbvias provocadas pela extensão do Trilho dos Pescadores, o percurso é irregular e, por isso, ainda mais cansativo, visto que cerca de 2/3 é feito por trilhos arenosos.

Além disso, não é recomendado a pessoas com vertigens ou medo de alturas, devido às altas arribas que é necessário atravessar.

Qual a melhor altura do ano para visitar?

Bem sabemos como pode ser o verão alentejano: muito quente e seco e isto irá dificultar em muito um desafio já de si bastante exigente.

Nesse sentido, recomendamos que faça este percurso, seja na totalidade, seja parcialmente, na primavera ou outono.

Pontos de interesse

Só o próprio nome Costa Vicentina já nos deixa de sorriso no rosto. Afinal é uma das zonas mais bonitas de Portugal, com vilas encantadoras e praias que em nada deixam a desejar a outros paraísos que vemos espalhados pelo mundo.

É nesta paisagem inspiradora que cada atleta pode encontrar forças e ânimo para realizar o Trilho dos Pescadores. Tem algo de sedutor ver o oceano acompanhar-nos ao seu próprio ritmo, enquanto percorremos caminhos que nos parecem algo selvagens e como que intocados pelo ser humano. Dificilmente encontrará melhor cenário para testar as suas capacidades físicas.

Santiago do Cacém, Porto Côvo, Vila Nova de Milfontes, Praia de Almograve, Zambujeira do Mar, Aljezur, Carrapateira ou Vila do Bispo são apenas alguns dos pontos por onde passará e onde poderá testemunhar o verdadeiro Alentejo, com toda a sua tranquilidade e paz. É nesses momentos que vai encontrar todas as energias que precisa para retomar um novo dia pelo Trilho dos Pescadores.

O que deve levar para fazer o Trilho dos Pescadores?

Marmita para levar para trilhos

Para fazer o Trilho dos Pescadores deverá preparar-se para vários dias de caminhada, logo deve estar munido de alimentos e hidratação que se ajustem às suas necessidades. Comer bem e hidratar-se corretamente são fatores indispensáveis para realizar todas as travessias a que se propõe com mais facilidade.

Tome nota:

  • Fruta rica em água e hidratos de carbono simples (melão, melancia, meloa, banana, maçã, pêssego, cerejas, uvas, etc)
  • Barritas de cereais / granola / cereais integrais
  • Bolachas simples e secas (bolacha torrada, crackers, etc)
  • Ovos cozidos (desde que possa cozinhar de véspera ou no dia do consumo e consiga acondicionar termicamente)
  • Queijinhos individuais (desde que acondicionados termicamente)
  • Saladas frescas (desde que possa comprar ou preparar de véspera ou no dia do consumo e consiga acondicionar termicamente)
  • Sanduiches (desde que possa comprar ou preparar de véspera ou no dia do consumo e consiga acondicionar termicamente)
  • Água, no mínimo de 2litros por pessoa

Acessórios para fazer o Trilho dos Pescadores

Homem com equipamento de trekking

Para fazer o Trilho dos Pescadores precisa de roupa para os diferentes dias – é este o pormenor diferenciador em relação a outros trilhos que pode realizar num dia. Nesse sentido, para fazer o percurso com toda a comodidade e segurança deve fazer-se acompanhar dos seguintes equipamentos e acessórios:

  1. Mochila leve e confortável, de tamanho adequado à quantidade de coisas que levar para um dia e, preferencialmente, com capacidade térmica.
  2. Dois pares de calçado que sejam adequados a caminhadas de montanha, sejam sapatilhas ou botas – escolha o modelo que lhe parecer mais confortável. É importante ter dois, porque poderá acontecer algum imprevisto durante os dias do percurso.
  3. Roupa desportiva, contando, pelo menos, uma muda para cada dia de trajeto.
  4. Protetor solar que deve aplicar várias vezes ao longo do percurso.
  5. Chapéu / boné e óculos de sol.
  6. Biquíni ou fato de banho, se estiver a pensar em parar nalguma das praias que irá percorrer para uns mergulhos.
  7. Toalha para se sentar depois do banho e para descansar enquanto faz as suas refeições.
  8. Saco para guardar o lixo.
  9. Máquina fotográfica para registar os momentos mais marcantes do trilho.

Quantas calorias vai gastar a fazer o Trilho dos Pescadores?

O Trilho dos Pescadores tem 225km de extensão e pode percorrê-lo em 13 diferentes etapas. Dado o tempo necessário para percorrer cada uma delas em passada moderada, calcule agora as calorias que vai gastar a fazer este trilho, na nossa calculadora.

Só tem de:

  • Selecionar o seu peso
  • Selecionar a passada moderada
  • Selecionar o tempo que vai demorar a fazer a caminhada
Calculadora de calorias gastas em exercícios

Saiba quantas calorias gasta
por atividade física

Peso (Kg)

 
 

Duração Atividade (horas)

 
 

Escolha uma actividade:

Nível estimado de calorias consumidas:

 

Nível estimado de calorias consumidas

Saiba mais sobre o trilho dos Pescadores

Ao longo dos mais de 200 quilómetros de percurso do Trilhos dos Pescadores, é possível visitar o vasto património monumental e experimentar a deliciosa gastronomia da região, com grande destaque para os mariscos e peixe fresco e demais pratos que compõem as saborosas cozinhas do Alentejo e do Algarve.

O Trilho dos Pescadores exige tanto de si quanto lhe dá em troca, mas escolher percorrê-lo é entrar numa aventura sem comparação e que lhe permitirá conhecer fundo uma das zonas mais bonitas de Portugal.

Veja também