Enfermeira Isabel Silva
Enfermeira Isabel Silva
29 Set, 2017 - 10:22

Como saber se o seu filho sofre de bullying na escola

Enfermeira Isabel Silva

O bullying é uma realidade. É importante que acompanhem e observem bem o comportamento dos seus filhos de forma a saber se o seu filho sofre de bullying na escola.

Como saber se o seu filho sofre de bullying na escola

O bullying não é uma brincadeira. As crianças e jovens vítimas deste tipo de violência sofrem muito e muitas vezes não sabem a quem recorrer ou têm vergonha de pedir ajuda.

É importante que os pais acompanhem e observem bem alterações do comportamento de forma a saber se o seu filho sofre de bullying na escola.

É uma prática muito comum e milhares de crianças e jovens passam por esta situação. Infelizmente, existem alguns casos que levam ao suicídio da vítima.

O que é o bullying?

o que e o bullying

O bullying consiste em atitudes violentas e intencionais, que decorrem no ambiente escolar. Estas agressões podem ser verbais e/ou físicas e podem provocar transtorno, sofrimento e danos à vítima. Os agressores, ou bullies, atuam individualmente ou em grupo e têm comportamentos violentos e agressivos com o objetivo de maltratar, gozar e humilhar alguém que é visto como inferior.

Existem 7 tipos de bullying.

1. Físico

Este tipo de bullying baseia-se em agressões físicas como bater, empurrar, beliscar, entre outros.

2. Verbal

Baseia-se em apelidos insultuosos, insultos, gozar com características específicas da vítima, etc.

3. Material

Partir ou estragar objetos pessoais da vítima.

4. Moral

Consiste em espalhar rumores, difamar, inventar fatos sobre a vítima de forma a afetá-la.

5. Psicológico

Ridicularizar, ameaçar, discriminar, manipular, isolar, ignorar, intimidar, aterrorizar, dominar, entre outros.

6. Sexual

Engloba toda o tipo de abuso ou assédio.

7. Virtual

Também conhecido como cyberbullying, consiste em divulgar imagens, criar grupos, invadir a privacidade, através das redes sociais, e-mail, SMS e chamadas de vídeo ou voz.

Como saber se o seu filho sofre de bullying na escola

como saber se o seu filho sofre de bullying na escola

Se observar alterações no comportamento normal do seu filho pode significar que ele está a ser vítima de bullying. Esteja atento aos mínimos sinais para conseguir ajudar o seu filho atempadamente. Atuando precocemente é possível evitar muito sofrimento e traumas que podem afetá-lo para o resto da vida.

Sinais a procurar:

  • Depressão;
  • Angústia;
  • Baixa autoestima;
  • Ansiedade;
  • Pesadelos frequentes;
  • Insónia;
  • Diminuição do rendimento escolar;
  • Abandono escolar;
  • Medo de ir para a escola;
  • Desinteresse escolar;
  • Isolamento social;
  • Irritabilidade;
  • Manifestação de vontade de mudar de turma ou escola;
  • Dificuldades na concentração;
  • Dores de cabeça;
  • Dores de estômago;
  • Voltar da escola com roupa e material danificado;
  • Voltar da escola com danos físicos;
  • Pensamentos suicídas.

Muitas vezes, as crianças e jovens não denunciam estas situações aos adultos por vários motivos:

  • Medo de parecer medrosos ou covardes;
  • Medo de decepcionar os pais;
  • Sentimento de culpa, acabando por achar que merecem a situação;
  • Vergonha de não conseguir resolver o problema sozinho.

Como agir se desconfiar que o seu filho sofre de bullying?

como agir se desconfiar que o seu filho sofre de bullying

Se desconfiar que o seu filho sofre de bullying, existem algumas coisas que pode fazer para o poder ajudar. E são essas:

  • Incentive-o a partilhar os seus problemas: especialmente se identificar mudanças no comportamento do seu filho, como por exemplo, não quer ir para a escola ou queixa-se de dor de cabeça ou de barriga constantemente…;
  • Ouça atentamente o que ele tem para dizer: não critique e não julgue o que o seu filho tem para dizer. Deve incentivar que ele fale sobre as situações que o preocupam, elogiando essa partilha;
  • Averigue da veracidade da situação: tente perceber junto da escola ou amigos do seu filho se a situação é real. Faça-o discretamente.
  • do relato, discretamente.
  • Faça um diário dos acontecimentos: escreva tudo o que o seu filho relatar;
  • Comunique com a escola: converse com os professores, diretor de turma ou direção da escola e dê a conhecer a situação para serem encontradas soluções em conjunto;
  • Faça reuniões regularmente com o responsável escolar: marque reuniões com o interlocutor escolar para identificar o ponto de situação;
  • Aconselhe o seu filho a tentar evitar o agressor: mostre-lhe que o melhor é evitar o agressor, especialmente se estiver sozinho. Incentive-o a procurar ajuda dos funcionários da escola (professores ou assistentes operacionais);
  • Incentive-o a ‘treinar’ como agir na próxima situação: treinem o que ele deve dizer para afastar o agressor. Reforce que ele deve enfrentar o agressor mas não deve usar da agressividade;
  • Acompanhe a situação diariamente: converse com o seu filho diariamente para perceber a evolução do problema. Converse calmamente e de forma ponderada, respeitando sempre o tempo e a vontade do seu filho.

Veja também: