Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
08 Ago, 2022 - 15:15

Psicoterapia: o que é e a quem se destina?

Psicóloga Ana Graça

A psicoterapia, baseada na mais recente evidência científica, é uma grande ajuda no tratamento das perturbações mentais.

Psicoterapia é muito mais do que falar com alguém. Quando enfrentamos problemas ou dificuldades podemos sempre recorrer a amigos e família para partilhar as nossas angústias. Essa partilha não é psicoterapia. Mas, então, o que é afinal a psicoterapia?

Compreender a psicoterapia

Antes de mais, importa esclarecer que a psicoterapia é um processo baseado na evidência científica existente acerca do funcionamento psicológico. É um processo mediado por um profissional especializado, com quem a pessoa que procura ajuda estabelece uma relação terapêutica profissional.

Por norma, um processo psicoterapêutico tem como objetivos, aumentar o bem-estar e o equilíbrio psicológico, bem como potenciar a capacidade de resolução de problemas e enfrentamento das dificuldades.

De forma sucinta, podemos dizer que a psicoterapia não se resume à redução dos sintomas mas pretende, sobretudo, alavancar transformações pessoais.

O psicoterapeuta pode ajudar de diferentes formas (descobrir necessidades, aceitar emoções, mudar sentimentos e comportamentos, responder aos desafios de forma ajustada), tendo sempre em conta aquilo que está na origem do pedido de ajuda (por exemplo, dúvidas sobre tomadas de decisão ou tratamento de perturbações psicopatológicas).

Psicoterapia(s)

Existem várias abordagens psicoterapêuticas com uma robusta base científica, mas seja qual for a abordagem psicoterapêutica seguida, trata-se sempre de um processo colaborativo.

O cliente e o psicoterapeuta colaboram na identificação dos problemas, na definição dos objetivos e dos planos de tratamento. Assim, o cliente não é um mero espectador e contribui para a definição da periodicidade das sessões e para o formato de atendimento.

A psicoterapia breve é um formato bastante consensual e comum, no entanto, determinadas situações e determinados clientes necessitam de um número maior de sessões.

De forma comum, as sessões de psicoterapia acontecem com uma periodicidade semanal ou quinzenal e têm duração de cerca de 50/60 minutos, no entanto, como vimos, todas estas particularidades são adaptadas e negociadas com o cliente.

A psicoterapia cognitivo-comportamental, por muitos considerada como uma modalidade de tratamento de primeira linha para as mais variadas perturbações emocionais, é uma das modalidades psicoterapêuticas mais conhecidas.

Todavia, existem muitas mais, nomeadamente psicoterapia psicanalítica, construtivista, existencial, humanista, sistémica, entre outras.

Que motivos levam as pessoas a procurar ajuda psicoterapêutica?

Os estudos realizados neste âmbito têm mostrado que os clientes tendem a valorizar aspetos como:

  • Ser ouvido;
  • Ser aceite;
  • Ser compreendido;
  • Permissão para falar do que antes não foi possível;
  • Explorar e experienciar sentimentos;
  • Elaborar significados pessoais;
  • Contexto relacional seguro em que são abordados os temas mais difíceis da existência;
  • Espaço de expressão do sofrimento.

Fact-check sobre psicoterapia

A existência de diferentes modalidades psicoterapêuticas e o facto de a psicoterapia dar resposta a diferentes problemas emocionais e perturbações mentais pode causar alguma confusão. Vamos tentar reter o mais importante:

1. A psicoterapia corresponde a um método, a um conjunto de técnicas e procedimentos.

2. É informada pela investigação e teorias da ciência psicológica. Assim, as diferentes modalidades/abordagens psicoterapêuticas estão associadas às principais perspetivas teóricas da ciência psicológica e aplicam procedimentos e técnicas baseadas na evidência científica.

3. Tem como objetivo modificar comportamentos, pensamentos e emoções.

4. É uma especialização adquirida por alguns profissionais da área da saúde, nomeadamente psicólogos.

Veja também