Camila Farinhas
Camila Farinhas
29 Jan, 2021 - 10:01

Plaquetas altas: o que significa, causas e tratamento

Camila Farinhas

As plaquetas são células produzidas na medula óssea e têm como principal função coagular o sangue. Mas, o que significa ter as plaquetas altas?

Profissional de saúde a avaliar análises de sangue para detetar plaquetas altas

Alterações na contagem de plaquetas, significa que se pode estar diante de inúmeras condições de saúde. No caso das plaquetas altas, significa que existe um sangramento ativo em alguma parte do corpo. Descubra, em seguida, quais as possíveis causas, como identificar os sintomas e qual o tratamento.

Plaquetas altas: o que significa?

Homem a fazer análises ao sangue

As plaquetas têm como principal função parar uma hemorragia. Pode dizer-se que atuam de forma semelhante a um “rolhão”, ou seja, em caso de corte ou trauma formam um penso rápido parando a hemorragia e ajudando na sua cicatrização.

É possível quantificar as plaquetas através de análises sanguíneas, sendo que a sua contagem deverá situar-se dentro dos valores de referência: 150 mil a 400 mil plaquetas por microlitro de sangue.

Assim, valores superiores a este intervalo podem significar que se está na presença de plaquetas altas também designada por trombocitose.

Pessoas idosas, com colesterol elevado ou que tenham sofrido trombose, podem apresentar com mais frequência esta condição de saúde.

Exames de sangue em jejum: análises ao sangue
Veja também Exames de sangue em jejum: quais são e cuidados a ter

Principais causas das plaquetas altas

Técnica laboratorial a analisar amostras sanguíneas

As causas das plaquetas altas são inúmeras:

  • Níveis baixos de ferro
  • Anemia hemolítica
  • Cirurgia prévia
  • Doenças inflamatórias ou infeciosas
  • Tuberculose
  • Doença de von Willebrand
  • Medicação: uso prolongado de corticóides ou de outras substâncias
  • Trombocitemia
  • Policitemia vera
  • Doenças da medula óssea
  • Colite ulcerativa
  • Neoplasias

Em alguns casos, as plaquetas altas são uma condição temporária originada por:

  • Perda de sangue excessiva devido a trauma ou acidente
  • Recuperação em caso de plaquetas baixas, causada pelo excesso de álcool, défice de vitamina B12 ou vitamina B9
  • Atividade física muito intensa

Sintomas

As plaquetas altas manifestam-se no corpo sob forma de coágulos ou sangramentos. Assim, os sintomas mais comuns são:

  • Fraqueza e falta de força
  • Hematomas
  • Dores de cabeça
  • Tonturas
  • Dores no peito
  • Formigueiro nas mãos ou pés
  • Sangramentos nasais, bocais, gengivais ou fecais

Como é efetuado o diagnóstico?

Resultados de análises de sangue

O diagnóstico de plaquetas altas é efetuado através de análises sanguíneas (hemograma), onde é feita a contagem das plaquetas assim como a qualidade das mesmas.

Os níveis de hemoglobina são também analisados para descarte de outras condições de saúde que podem estar na origem das plaquetas altas, tais como a anemia ou leucemia.

Em caso de dúvida, o hemograma poderá ser repetido para confirmar o diagnóstico.

Qual o tratamento das plaquetas altas?

Caso as plaquetas altas tenham origem no processo acelerado de coagulação do sangue, não existe a necessidade de reduzir os seus valores. Neste caso, a toma de aspirina é suficiente para travar esta aceleração.

Em casos mais graves, onde a contagem das plaquetas foi superior a 1 milhão e 500 mil plaquetas por microlitro de sangue, é necessário recorrer a medicação específica indicada pelo médico. Nunca se deverá automedicar e, em caso de dúvida, consulte sempre o seu médico.

Fontes

  1. The National Heart, Lung, and Blood Institute. (2020) Thrombocythemia and Thrombocytosis. Acedido a 28 de Janeiro de 2020. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/thrombocythemia-and-thrombocytosis
Veja também