Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
22 Mai, 2020 - 16:04

COVID-19: ginásios ainda sem data para abrir

Mónica Carvalho

O setor reinventou-se, privilegiando as aulas e treinos online, porém a Associação de Ginásios e Academias de Portugal quer abrir os ginásios a 1 de junho. DGS afirma que não há data para a reabertura.

Fotografia de ginásio vazio

A Direção-Geral da Saúde (DGS) e Associação de Ginásios e Academias de Portugal (APAG) reuniram na passada quarta-feira, mas continua sem haver data para os ginásios poderem reabrir em Portugal.

“Concretamente em relação à data não posso adiantar nada”, disse Graça Freitas, após a reunião. “Vamos trabalhar com as associações do setor, vamos fazer o nosso melhor para que as regras se possam cumprir e para que os utilizadores de ginásios e academias possam voltar a fazer a sua atividade seguros, protegendo a sua saúde”, garantiu a Diretora-Geral da Saúde.

Setor do desporto está parado há mais de 2 meses

Sala de musculação de ginásio

Muitos dos ginásios encerraram atividade antes da declaração do Estado de Emergência, tendo, para isso, ganho importância os treinos e aulas online.

“Tivemos a consciência que não tínhamos condições para operar em segurança para os nossos clientes. Conseguimos em dois ou três dias alterar a prescrição de exercício físico do presencial para o online. Adaptamo-nos rapidamente a uma nova realidade e conseguimos nessa ação reter a maioria dos nossos clientes, mesmo que na maioria dos casos, tivesse sido à custa de descontos nas mensalidades”, afirmou José Carlos Reis, presidente da Direção da APAG, em comunicado.

Com o pedido de reabertura para junho, o presidente da AGAP disse ao Jornal Económico, que o setor está consciente de que “tudo será diferente” no futuro. Desde já, porque o uso de desinfetantes e álcool gel para as mãos será uma obrigação, além da limitação de clientes nos ginásios, para que as “pessoas não possam estar mais do que X tempo no clube”.

O dirigente também referiu que poderão não ser usados os balneários, nos primeiros tempos após a reabertura.

Recorde-se que a AGAP representa cerca de 85% dos ginásios existentes em Portugal, incluindo cadeias como a Fitness Hut, Solinca, Holmes Place, Fitness Factory ou Pump.

Veja também