Enfermeira Bárbara Andrade
Enfermeira Bárbara Andrade
17 Set, 2018 - 13:08

Enterocolite necrosante neonatal: saiba tudo sobre esta patologia!

Enfermeira Bárbara Andrade

Uma das doenças gastrointestinais frequentes em bebés até aos 28 dias de vida, principalmente naqueles que nasceram prematuros, é a enterocolite necrosante.

Enterocolite necrosante neonatal: saiba tudo sobre esta patologia!
O artigo continua após o anúncio

A enterocolite necrosante é uma doença caraterizada por necrose (morte tecidual) da mucosa intestinal, muito frequente em bebés prematuros e/ou gravemente doentes.

A necrose inicia-se na mucosa do intestino e pode progredir envolvendo toda a espessura da parede intestinal, causando perfuração. Essa lesão permite que as bactérias que normalmente existem dentro do intestino, invadam a parede intestinal e, depois, entrem na corrente sanguínea, causando uma infeção generalizada (sépsis).

Se a lesão avançar através de toda a espessura da parede intestinal e esta for perfurada, o conteúdo intestinal vaza para a cavidade abdominal e causa inflamação e, normalmente, infeção da cavidade abdominal e do seu revestimento (peritonite). A perfuração é geralmente mais frequente no íleo terminal.

Enterocolite necrosante neonatal: fatores de risco

enterocolite necrosante

Os fatores de risco incluem:

  • Ruptura prolongada da bolsa com amnionite (inflamação da membrana que envolve o feto);
  • Asfixia neonatal;
  • Bebé pequeno para a idade gestacional;
  • Cardiopatia congénita, que pode provocar um sistema de fluxo sanguíneo reduzido ou a dessaturação do oxigénio arterial, levando a hipóxia intestinal/isquemia;
  • Exsanguinotransfusões, que pode levar a uma diminuição do fluxo sanguíneo;
  • Lactentes alimentados com leite artificial hipertónico, sendo menos comum ocorrer esta doença, em lactentes alimentados ao seio materno.

Enterocolite necrosante neonatal: sinais e sintomas

distencao abdominal bebe

Esta é uma das doenças emergentes gastrointestinais mais comuns nos neonatos (bebé até ao 28º dia de vida), no entanto é mais frequente de ocorrer nos bebés prematuros ( cerca de 85% dos casos).

Os sinais e sintomas incluem:

  • Intolerância ou dificuldades em se alimentar;
  • Resíduos gástricos biliares após alimentação, podendo evoluir para vómitos de líquido intestinal sanguinolento ou misturado com bílis;
  • Distensão abdominal;
  • Sangue nas fezes;
  • Letargia (estado de fraqueza generalizada, caraterizado por sono profundo e inércia);
  • Instabilidade térmica;
  • Aumento dos surtos de apneia (pausas na respiração);
  • Sinais de septicemia (infeção generalizada do corpo).

Enterocolite necrosante neonatal: diagnóstico

Analises ao sangue

O diagnóstico é confirmado através de:

  • Exames imagiológicos, geralmente são realizadas radiografias abdominais, que mostram ar na parede intestinal ou ar livre na cavidade abdominal;
  • Visualização de sangue nas fezes;
  • Análises ao sangue, para examinar a presença de bactérias e outras anomalias (por exemplo, um número elevado de glóbulos brancos).

Enterocolite necrosante neonatal: tratamento

sonda nasogastrica bebe

O tratamento inicial é de suporte e inclui:

O artigo continua após o anúncio
  • Suspender a alimentação temporariamente;
  • Realizar aspiração nasogástrica;
  • Aplicação de sonda nasogástrica, conectada a sucção intermitente, para descompressão do intestino, ajudando também, a diminuir a frequência dos vómitos;
  • Reposição de líquidos através da hidratação parentérica (via endovenosa);
  • Iniciar alimentação parenteral, que é necessária durante 14 a 21 dias, de forma a ajudar na recuperação do intestino;
  • Iniciar a toma de antibióticos de largo espetro por via intravenosa;
  • Iniciar isolamento do doente em casos de infeção;
  • Monitorização e reavaliação completa pelo menos a cada 12 horas, isto inclui a realização de várias radiografias abdominais, análises ao sangue;
  • Em última instância, é necessária a realização de cirurgia, para remover o intestino lesionado, que não está a receber sangue suficiente.
    As extremidades do intestino saudável são trazidas à superfície da pele para criar uma abertura temporária que permite a drenagem do intestino (ostomia). Mais tarde, as extremidades do intestino são reunidas e o intestino é colocado de volta na cavidade abdominal.

Enterocolite necrosante neonatal: prognóstico

Com os tratamentos médicos de suporte e cirúrgicos, 70 a 80% dos doentes com enterocolite necrosante neonatal sobrevivem.

A complicação a longo prazo mais comum nesta patologia é, a estenose (estreitamento) do intestino, podendo ser necessária a sua correção cirúrgica.

Veja também: