Farmacêutica Cátia Rocha
Farmacêutica Cátia Rocha
19 Out, 2018 - 11:07

Embolia Pulmonar: como prevenir esta condição que pode ser fatal

Farmacêutica Cátia Rocha

Uma embolia pulmonar ocorre quando um vaso sanguíneo nos pulmões é bloqueado por um coágulo sanguíneo. Tome medidas para prevenir problemas mais graves.

Embolia Pulmonar: como prevenir esta condição que pode ser fatal
O artigo continua após o anúncio

A embolia pulmonar é um bloqueio que ocorre nas artérias pulmonares. Na maioria dos casos, a embolia pulmonar é causada por coágulos sanguíneos que viajam para os pulmões a partir das pernas ou, ainda que raramente, de outras partes do corpo (trombose venosa profunda).

O maior risco de embolia pulmonar ocorre nos primeiros dias da trombose venosa, devendo o paciente permanecer em repouso relativo neste período.

A embolia pulmonar é mais grave do que a trombose venosa profunda. Como os coágulos bloqueiam o fluxo sanguíneo para os pulmões, a embolia pulmonar pode ser fatal.

No entanto, o tratamento imediato reduz muito o risco de morte. Tomar medidas para prevenir coágulos sanguíneos nas pernas ajudará na proteção contra a embolia pulmonar.

SINTOMAS DA EMBOLIA PULMONAR

homem com forte tosse

Os sintomas da embolia pulmonar podem variar muito, dependendo do envolvimento pulmonar associado, do tamanho dos coágulos e se tem uma doença pulmonar ou cardíaca subjacente.

Os sinais e sintomas comuns incluem:

  • Falta de ar: Este sintoma geralmente aparece de repente e piora com o esforço;
  • Dor no peito: Dor que piora quando respira profundamente, quando tosse, come ou se inclina. Dor que piora com o esforço e não melhora com o descanso;
  • Tosse: A tosse pode produzir expectoração com ou sem sangue.

Outros sinais e sintomas que podem ocorrer com a embolia pulmonar incluem:

  • Dor nas pernas ou inchaço;
  • Cianose (coloração azul-arroxeada da pele);
  • Febre;
  • Suor excessivo;
  • Batimento cardíaco rápido ou irregular;
  • Tonturas.

Na presença de qualquer um destes sinais e sintomas, deve de imediato ser consultado um médico. Procure atendimento médico imediato se tiver falta de ar inexplicável, dor no peito ou tosse que produza expectoração com sangue.

O artigo continua após o anúncio

CAUSAS DA EMBOLIA PULMONAR

coagulacao de sangue

Uma embolia pulmonar ocorre quando um vaso sanguíneo nos pulmões é bloqueado por um coágulo sanguíneo, ou parte de um coágulo (êmbolo), que se tenha separado de uma trombose venosa profunda e deslocado ao longo da corrente sanguínea para o interior dos pulmões.

  • Caso seja de grande dimensão, o coágulo pode restringir o fluxo de sangue para os pulmões e causar dificuldades respiratórias;
  • Caso a trombose venosa profunda não seja tratada, o risco de ocorrer uma embolia pulmonar aumenta.

O tipo mais frequente de êmbolo é um trombo que se forma numa veia da perna ou da pélvis. Esses coágulos tendem a formar-se quando o sangue circula lentamente ou está parado, como acontece nas veias das pernas de alguém que permanece na mesma posição durante muito tempo. Quando a pessoa retoma o movimento, o coágulo pode desprender-se.

Mais raramente, os coágulos formam-se nas veias dos braços ou no lado direito do coração.

FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE EMBOLIA PULMONAR

Os fatores que aumentam a predisposição para o embolismo pulmonar são os mesmos da trombose venosa profunda, ou seja, os que predispõe para a coagulação do sangue, como a cirurgia, obesidade, repouso prolongado ou inatividade e sedentarismo e, ainda, aumento da tendência coagulante do sangue (seja por certas formas de cancro, anti-concecionais ou deficiência hereditária de inibidores da coagulação sanguínea).

COMO SE TRATA A EMBOLIA PULMONAR?

analise de exame medico

O tratamento da embolia pulmonar engloba dois aspetos essenciais: suporte cardiovascular e ventilatório agudo e o tratamento definitivo.

O tratamento visa evitar que o coágulo sanguíneo fique maior e impedir a formação de novos coágulos. O tratamento imediato é essencial para prevenir complicações graves ou morte.

  • Medicamentos anticoagulantes: Estão indicados na profilaxia e tratamento de doenças tromboembólicas venosas e pulmonares. A heparina é um anticoagulante frequentemente usado, administrado por injeção subcutânea.
  • Medicamentos antiagregantes plaquetários: São utilizados na profilaxia e tratamento da patologia trombótica arterial. Dentro deste grupo temos a reconhecida aspirina.
  • Medicamentos fibrinolíticos: Os fibrinolíticos são ativadores do plasminogéneo, usados na terapêutica da trombose, para a dissolução rápida da rede de fibrina. Embora os coágulos geralmente se dissolvam por conta própria, existem medicamentos que podem ser necessários, particularmente em casos mais graves e situações em que há riscos de vida associado.
  • Procedimentos cirúrgicos: Podem também ser equacionados quando os êmbolos se repetem apesar de todos os tratamentos de prevenção ou se os anticoagulantes causam hemorragias significativas.

Veja também: