Nutricionista Luís Cristino
Nutricionista Luís Cristino
30 Dez, 2019 - 09:11

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

Nutricionista Luís Cristino

A alergia ao amendoim é uma das principais alergias alimentares. No entanto, é uma área que não recebe a merecida atenção, apesar dos riscos associados.

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

Já alguma vez pensou porque, por vezes, não são vendidos produtos com amendoim num avião? Ainda que possa parecer excessivo, o simples facto de um produto que contenha amendoim ser vendido a bordo de um avião pode causar um choque mortal em pessoas com alergia ao amendoim.

Além de todos os cuidados alimentares, as pessoas alérgicas ao amendoim têm de se preocupar com a higiene dos transportes públicos que vão usar. Basta que o passageiro anterior tenha consumido um produto que contenha amendoim e tenha deixado migalhas no banco pode por em risco a vida daqueles que apresentem alergia.

A temática sobre alergia alimentar tem vindo a ser estudada há algumas décadas, no entanto a importância dada e o conhecimento são escassos. A desinformação sobre o que é, como se diagnostica ou como se trata, pode ter consequências irreversíveis, uma vez que uma alergia alimentar pode, em situações graves, ser fatal.

Alergia alimentar vs Intolerância alimentar

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

Primeiramente, é necessário esclarecer a confusão ainda existente nos dias de hoje entre alergias alimentares e intolerâncias alimentares, uma vez que os mecanismos envolvidos e as suas consequências são distintos.

Na alergia alimentar ocorre uma reação do sistema imunitário na presença do alergénio desencadeando uma reação mais generalizada, como o caso da alergia ao amendoim.

Por sua vez, na intolerância alimentar não há o envolvimento do sistema imunitário, verificando-se uma incapacidade do organismo digerir um componente alimentar, como é exemplo a lactose (açúcar do leite) resultando essencialmente em consequências no trato gastrointestinal, nomeadamente cólicas e diarreias (1, 2).

Os casos de intolerância alimentar são muito mais frequentes enquanto que as alergias alimentares são um problema mais raro.

Alergia ao amendoim

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

O amendoim é uma leguminosa originária da América do Sul que cresce subterraneamente dentro de uma vagem. É essencialmente constituído por gordura, entre 40% a 50% do seu peso.

A alergia ao amendoim é uma das alergias alimentares mais comuns e, como tal, é necessária precaução nas escolhas alimentares, nomeadamente na informação da presença de alergénios nas embalagens dos alimentos pré-embalados, assim como nos alimentos vendidos avulso não pré-embalados vendidos em restaurantes e cafés (3).

O consumo de amendoins por pessoas alérgicas pode causar uma reação alérgica grave, com dificuldade respiratória, perda de consciência e potencialmente fatal (anafilaxia). A ingestão de uma pequena quantidade de amendoim pode causar uma reação alérgica e por esta razão é importante a leitura atenta dos rótulos alimentares, nomeadamente da indicação de alergénios.

De realçar que existem alergénios com obrigatoriedade legal de constar na rotulagem alimentar de forma realçada, como é o caso do amendoim. Quando determinado alergénio não é um ingrediente intencional, mas pode estar presente no alimento por contaminação cruzada deverá estar igualmente indicado (por exemplo: Pode conter vestígios de…) (1,3).

No entanto, para além de evitar alimentos que apresentem no rótulo a indicação do alergénio, são necessárias precauções acrescidas no manuseamento e preparação de alimentos. É possível ocorrer a contaminação de alimentos livres de amendoim durante o processamento, através do uso de equipamentos utilizados na produção de outros produtos contendo amendoim, assim como durante o preparo e manipulação de alimentos com utensílios ou superfícies contaminadas em serviços de restauração e alimentação (1).

Alergia ao amendoim: reação alérgica

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

As manifestações clínicas de reações alérgicas podem variar de moderadas a graves, podendo ser fatais. Os sintomas surgem rapidamente e podem incluir manifestações cutâneas, respiratórias, gastrointestinais e cardiovasculares (1).

Como já referido anteriormente, a reação alérgica mais grave ao amendoim é a anafilaxia – reação alérgica generalizada e potencialmente fatal. Os sintomas podem incluir dificuldade respiratória, inchaço na garganta, queda súbita da pressão arterial, pele pálida, desmaios e tonturas.

O tratamento da anafilaxia continua a ser a administração de adrenalina, geralmente administrada através de um autoinjetor, sendo prudente recorrer a um local de prestação de cuidados de saúde urgentes mesmo que a situação fique controlada com a administração de adrenalina (1).

O contacto casual com a pele é menos provável de desencadear uma reação grave. No entanto, se as áreas a entrar em contacto forem os olhos, o nariz ou a boca poderá ocorrer o desencadeamento de uma reação grave. Por exemplo, quando um individuo após ter contacto cutâneo com amendoim esfrega os olhos ou a boca com as mãos (4).

Alergia ao amendoim: como evitar o amendoim

Alergia ao amendoim: riscos e cuidados a que deve estar atento

O tratamento para a alergia ao amendoim é a evicção de produtos que possam apresentar este alimento. Assim, para evitar uma reação alérgica, é fundamental evitar o consumo de amendoim e de produtos que possam conter na sua composição amendoim ou vestígios de amendoim por contaminação cruzada, devido ao processo de fabrico (1).

Alimentos e constituintes alimentares que não deve consumir se for alérgico ao amendoim (1,4):

  • Óleo de amendoim;
  • Pasta (manteiga) de amendoim;
  • Hidrolisado de proteína de amendoim;
  • Farinha de amendoim.

Todos os produtos alimentares que apresentem na sua composição os alimentos citados acima, como bolachas, rebuçados, gelados, muesli e produtos de pastelaria ou confeitaria não devem ser igualmente consumidos.

No entanto, ainda que a alergia ao amendoim possa ser extremamente perigosa – nomeadamente em crianças alérgicas – é uma área que, nos dias que correm, não recebe a merecida atenção, apesar dos riscos associados.

Veja também

Fontes

1. Direção Geral da Saúde. (2016). Alergia alimentar na restauração. Disponível em: https://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt/activeapp/wp-content/files_mf/1464873118AlergiaAlimentarnaRestaurac%CC%A7a%CC%83o.pdf
2. Ministério da Educação e Ciência. (2012). Alergia Alimentar. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Esaude/referencial_alergias_alimentares.pdf
3. ASAE. (2017). Rotulagem de Géneros Alimentícios: Regulamento (UE) nº1169/2011, o que estipulam as novas regras? Disponível em: http://www.asae.gov.pt/pagina.aspx?f=1&lws=1&mcna=0&lnc=7010AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA&parceiroid=0&codigoms=0&codigono=57997230AAAAAAAAAAAAAAAA
4. FARE. Peanut allergy. Disponível em: https://www.foodallergy.org/common-allergens/peanut-allergy