Publicidade:

Quer perder peso em 2018? Isto é o que não deve comer!

Se quer perder peso em 2018, saiba o que não deve comer ou evitar para atingir esse objetivo com sucesso. Comece o ano novo a cumprir com os objetivos traçados.

 
Quer perder peso em 2018? Isto é o que não deve comer!
O que não deve comer ou deve evitar para perder peso.

Muitos são aqueles que escolhem a entrada no novo ano para perder peso, especialmente após um período de excessos correspondente à época natalícia e logo após a passagem de ano. Melhor do que conseguir atingir o seu objetivo e perder peso em 2018, será modificar hábitos e manter uma alimentação equilibrada todo o ano, neste e nos seguintes.

Num regime de emagrecimento, alguns alimentos devem ser evitados para potenciar os resultados e atingir o seu objetivos com sucesso. É importante ainda ter em ideia que comer é, também, um ato de prazer e a total privação dos alimentos que mais se gosta pode dar origem a situações de compulsão ou até mesmo desmotivação no seguimento do regime alimentar de emagrecimento. Pode comer-se o que mais se gosta, sim, pontualmente, e em pequenas quantidades.

Além da alimentação, a prática de exercício físico regular é fundamental: procurar uma que lhe dê prazer, inscreva-se no ginásio ou pratique exercício ao ar livre.

O que não se deve comer para perder peso em 2018


Equilíbrio é a palavra-chave para o sucesso, o que significa que, e tal como referido, não há nada que tenha de deixar de comer por completo para atingir o objetivo de peso, no entanto, existem alimentos que se devem comer em menor quantidade e moderar o seu consumo de forma significa, de modo a perder peso em 2018.

1. Refrigerantes e sumos

perder peso em 2018 e sumos e refrigerantes

Evitar o consumo de bebidas como refrigerantes, néctares ou sumos à base de concentrados: têm valor calórico considerável e grandes quantidades de açúcar refinado.

Se se tem por hábito beber algo à refeição, deve-se optar por água, chás e infusões ou águas aromatizadas. Pontualmente poderão fazer-se sumos naturais com frutas e legumes frescos sem adição de açúcar.

2. Fast-food e refeições pré-confeccionadas

fast-food variado

Ainda que sejam práticas, este tipo de refeições não são saudáveis e não ajudam quando se está a tentar perder peso. Além do valor calórico, são geralmente carregadas de gorduras saturadas e sal.

3. Fruta em quantidade

fruta variada em grande quantidade

A fruta é saudável e tem valor nutricional interessante quando falamos em vitaminas e minerais, no entanto, não deve ser consumida de forma desmedida e à descrição. Consumir como snack ou depois das refeições em vez de uma sobremesa, optar apenas por uma porção e apenas um tipo de fruta.

4. Bolos de pastelaria

bolo de aniversario divertido

Ir a uma pastelaria pode ser um oportunidade para cometer alguns excessos já que a oferta dificilmente inclui opções saudáveis. Na vontade de comer um bolo, pode optar-se por fazer em casa sem adição de açúcar e com pouca gordura. Congelar ou oferecer as sobras para evitar-se comer em excesso são também dois truques infalíveis.

5. Fritos e guisados

batatas fritas com especiarias

São os tipos de confeção que adicionam maior teor de gordura aos alimentos. Deve optar-se por cozidos, grelhados, assados ou estufados com pouca gordura e evitar-se a adição de sal. Este deve ser substituído por ervas aromáticas, frescas ou especiarias a gosto.

6. Bolachas e biscoitos

bolachas e biscoitos

São hidratos de carbono simples, ricos em açúcar refinado e pobres em fibra. O consumo de bolachas e biscoitos acaba ainda por ser viciante, impedindo sempre de se ficar por 2 ou 3.

Deve evitar este tipo de alimentos se se sequer perder peso, e optar por lácteos magros, fruta ou frutos secos para os snacks ou lanches.

Veja também:

Nutricionista Margarida Beja Nutricionista Margarida Beja

Margarida Beja é Nutricionista (1859NE) e trabalha atualmente no Reino Unido na área da gestão de peso. Anteriormente, trabalhou também no âmbito da nutrição comunitária e nutrição clínica e esteve envolvida em projetos ligados à prevenção da obesidade infantil, coaching e marketing nutricional. É licenciada em Dietética e Nutrição pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].