Publicidade:

Hérnia inguinal em cães: em consiste este problema?

Uma hérnia inguinal é uma abertura na zona da virilha do animal, pela qual podem protusar órgãos. Conheça melhor este problema e proteja o seu animal.

Hérnia inguinal em cães: em consiste este problema?
A única resolução é cirúrgica

A hérnia inguinal em cães, por norma é hereditária e envolve vários órgãos da cavidade abdominal. Pode ser uma situação mais ou menos grave, consoante o tamanho da hérnia e órgãos que estejam a protusar pelo orifício.

Consiste numa protusão de gordura ou outros órgãos, comummente o intestino, através do canal inguinal, na zona da virilha. O canal inguinal é um espaço pequeno no interior da parede abdominal onde nas fêmeas passa o ligamento redondo do útero e nos machos o cordão espermático. Quando este canal fica mais aberto do que o normal forma-se um espaço maior por onde podem passar órgãos e gordura.

Qual a causa de hérnia inguinal em cães?


hernia inguinal em caes basset hound

A causa de hérnia inguinal em cães ainda não está bem estabelecida podendo existir vários fatores que predisponham o animal ao desenvolvimento deste defeito anatómico. No entanto, o mais frequente é que esteja associada a uma predisposição genética.

Também podem existir hérnias inguinais adquiridas mais tarde devido a outros fatores que não hereditários.

1. Hereditária

Algumas raças têm mais predisposição para desenvolver este defeito, como é o caso do Basset Hound, Pequinês, Border Collie e Cocker Spaniel. Cães sem raça definida ou proveniente de cruzamentos de raças também pode sofrer deste problema.

2. Adquirida

A maioria das hérnias inguinais adquiridas surgem em cadelas com cio ou prenhas, o que sugere um envolvimento hormonal no desenvolvimento de herniação.

Também se podem formar hérnias devido a traumatismos ou qualquer processo que cause fraqueza da parede abdominal. Animais obesos também têm maior predisposição para o seu desenvolvimento.

Hérnia inguinal em cães: é uma situação grave?


hernia inguinal em caes cao doente

Dependendo do tamanho da hérnia pode haver protusão de órgãos por esse orifício. Uma vez que no interior da cavidade abdominal os órgãos estão em constante movimento, a qualquer momento algum órgão pode começar a exteriorizar-se por esse orifício.

Com o constante movimento do animal, caso algum órgão esteja no orifício pode ficar “entalado”. A esta situação se chama “estrangulamento”.

Quando ocorre estrangulamento de uma hérnia inguinal em cães, no órgão que fica “entalado” ocorre uma falta de suprimento sanguíneo ao órgão, podendo ocorrer isquémia, e uma parte do órgão não ficar viável, tornando-se numa situação de emergência médica.

O órgão que por norma é mais afetado nestas situações é o intestino, o que pode levar o animal à morte, uma vez que partes do intestino podem não ser viáveis.

Em fêmeas também pode ocorrer o aprisionamento do útero no orifício. Caso a fêmea esteja gestante pode ainda causar mais problemas pois um ou mais fetos podem ficar no orifício ou fora deste, e com o crescimento ser impossível reposicioná-los no interior da cavidade abdominal.

Como identificar uma hérnia inguinal em cães e quais os sinais clínicos?


hernia inguinal em caes dono e cao no chao

Por norma a hérnia inguinal em cães surge como um pequeno nódulo na zona da virilha. A consistência da hérnia pode ser mais ou menos dura, mas por norma, numa fase inicial é possível empurrar esse nódulo com o dedo sem o animal manifestar dor. Se o nódulo for maior, não for possível empurrar com o dedo ou o animal demonstrar dor ao toque pode tratar-se de uma situação mais grave que deve ser tratada com urgência.

Na maioria das vezes o animal não apresenta nenhum sintoma de hérnia, a não ser o aumento de volume na zona da virilha, que muitas vezes passa desapercebido.

Caso haja encarceramento o animal pode apresentar uma dor abdominal aguda.

Como é feito o diagnóstico de hérnia inguinal em cães?


hernia inguinal em caes veterinaria a examinar cao

Normalmente, o médico veterinário consegue identificar a existência de uma hérnia inguinal em cães através do exame físico do animal. No entanto, podem ser realizados outros exames complementares para confirmar o diagnóstico e perceber a gravidade da situação.

A radiografia e a ecografia são os exames mais apropriados para identificar uma hérnia inguinal em cães. É possível também, com estes exames, saber quais os órgãos que estão encarcerados caso existam.

Tratamento de hérnia inguinal em cães


hernia inguinal em caes cirurgia em cao

O único tratamento para este defeito é cirúrgico. O seu médico veterinário irá avaliar a gravidade da hérnia e o risco que apresenta e então ponderar se deve ser reparada cirurgicamente. No entanto, por norma, sempre que existe uma hérnia inguinal em cães, tendo em conta os seus riscos devido à sua localização, a recomendação é sempre cirúrgica.

Em caso de encarceramento de algum órgão a cirurgia passa a ser uma urgência médica e deve ser realizada de imediato.

A cirurgia passa por uma incisão na cavidade abdominal para identificar a hérnia e recolocar os órgãos no interior da cavidade abdominal. Se algum órgão estiver aprisionado deve ser avaliada a sua integridade, pois pode haver necessidade de o retirar ou retirar uma porção.

Veja também:

Fonte

1. Edwin, W.M. (n.d.). Unilateral Inguinal Hernia In a 5 Years Old Bitch – A case report. Disponível em: 
https://profiles.uonbi.ac.ke/willymwangi/files/unilateral_inguinal_hernia_in_a_5_years_old_bitch-_a_case_report.pdf

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].