Publicidade:

Gastrite: conheça os sintomas e o tratamento

A gastrite afeta cerca de 50% da população mundial. Em Portugal, os números surpreendem ainda mais: 50% das crianças, com 8 anos, já têm gastrite.

 
Gastrite: conheça os sintomas e o tratamento
Se tratada, a gastrite pode ser controlada

A gastrite é uma inflamação das paredes do estômago, causada por uma infeção ou pela erosão do seu revestimento protetor. Este revestimento é muito importante porque produz substâncias fundamentais para o processo digestivo.

A inflamação provocada pela gastrite interfere com a produção destas substâncias, permitindo que o ácido produzido pelo estômago penetre e danifique ainda mais as paredes.

Sendo uma inflamação de curta duração, é designada por gastrite aguda, quando se prolonga no tempo é chamada de gastrite crónica que, se não for tratada, pode durar toda a vida.

SINTOMAS DA GASTRITE?


gastrite azia

Existem vários fatores que favorecem o aparecimento, desenvolvimento e manutenção da gastrite mas o diagnóstico da doença é, normalmente, realizado através de uma endoscopia com biópsia. Em alguns casos, também pode ser necessário realizar análises ao sangue, exames radiológicos, estudos das fezes ou testes respiratórios.

Antes destes passos, é preciso estar atento aos sintomas da gastrite, nomeadamente:

  • Perda de apetite e sensação de saciedade antes do fim da refeição;
  • Má digestão e azia;
  • Mau estar e a sensação de estômago a arder;
  • Sensação de que a comida não está a ser digerida;
  • Vómitos e enjoos;
  • Dor no abdómen;
  • Vontade de arrotar;
  • Hemorragias digestivas – nas situações mais críticas, com evidências nas fezes ou vómitos.

 

PRINCIPAIS CAUSAS DA GASTRITE


1. Bactéria Helicobacter pylori

gastrite helicobacter pylori

Um dos principais responsáveis pela gastrite é a bactéria helicobacter pylori que se transmite de pessoa para pessoa, através de comida ou de água contaminada. Estima-se que 50% da população mundial seja afetada pela bactéria.

2. Consumo excessivo de medicamentos

gastrite consumo de medicacao

O consumo excessivo de medicamentos anti-inflamatórios, como a aspirina ou o ibuprofeno, interfere com a produção da substância que contribui para a proteção do revestimento do estômago.

3. Envelhecimento

gastrite homem mais idoso

Com a idade, a proteção do revestimento do estômago fica mais fina e começa a perder o seu efeito, assim como, também aumenta a suscetibilidade a infeções e vírus que provocam danos nas paredes do estômago.

4. Stress e ansiedade

gastrite mulher ansiosa

Situações excessivas e prolongadas de pressão, stress ou ansiedade contribuem para a deterioração das paredes do estômago.

5. Consumo excessivo de álcool

gastrite consumo excessivo de alcool

O consumo excessivo de álcool prejudica o revestimento do estômago, devido ao aumento de produção do suco gástrico para ajudar na digestão.

6. HIV

gastrite HIV

Os portadoras do vírus do HIV, por deficiências no sistema imunitário, estão mais sujeitas à ação de bactérias e outros vírus.

7. Doenças autoimunes

gastrite problemas intestinais

Aqueles que sofrem de doenças autoimunes, doença de Chron ou outras infeções provocadas por parasitas estão mais sujeitos a contrair e a desenvolver problemas de gastrite

8. Consumo de drogas

gastrite consumo de drogas

Se consumir algum tipo de drogas o seu maior problema não é seguramente a gastrite, mas ainda assim o consumo de algumas drogas aumenta o risco de contrair gastrite.

TRATAMENTO DA GASTRITE


gastrite alimentos saudaveis

O tratamento é realizado habitualmente através de medicação, por indicação médica, nomeadamente: antiácidos, inibidores da bomba de prótons ou bloqueadores dos recetores da histamina.

Mudar os hábitos alimentares e privilegiar uma alimentação à base de carnes magras, verduras, legumes e frutas cozidas também ajuda no tratamento da gastrite.

Tente privilegiar alimentos alcalinos ou pouco ácidos como espinafres, melancia, abóbora, figos, batata, sumos e vegetais, entre muitos outros.

Veja também:

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].