Publicidade:

Porque é tão difícil dizer não aos filhos?

Dizer não aos filhos pode ser um ato de amor muito desafiante para os pais que temem magoar e dececionar os seus filhos. Negar as vontades aos filhos é difícil mas faz parte do desenvolvimento saudável. Neste artigo vamos explorar as razões pelas quais é tão difícil mas ao mesmo tempo tão importante dizer não aos filhos.

Porque é tão difícil dizer não aos filhos?
A palavra que é necessária mas que ninguém gosta de ouvir.

Muitos pais sentem dificuldade em dizer não aos filhos, apesar de ser uma das melhores coisas que podem fazer por eles.

Os pais sentem o impulso de proteger os filhos a qualquer custo e evitar que estes tenham que passar por experiências das quais não gostam, acabando por evitar dizer não aos filhos. Contudo, apesar das crianças poderem ficar desapontadas quando ouvem um não, a negação pode ser fundamental para as preparar para a realidade da vida adulta, na qual todos ouvimos essa palavra mais vezes do que gostaríamos.

8 razões pelas quais é importante dizer “NÃO”


dizer nao aos filhos e mae nao deixa filha levar para casa o que quer

Definir limites para as crianças pode ser um grande desafio para os pais. As crianças podem implorar, chorar, discutir como forma de fugir aos limites definidos. Alguns pais acabam por desistir para evitar o conflito, outros sentem-se culpados por estarem a dececionar os filhos, e outros conseguem manter os limites de forma assertiva. De facto, dizer não aos filhos é uma responsabilidade importante!

1 – Ao dizer não está a ajudar o seu filho a lidar com as frustrações e a perceber que existem respostas alternativas: vai torná-lo mais seguro e vai ensiná-lo a lidar com os “nãos” que vai ouvir no futuro;

2 – Dizer não ajuda-o a perceber que os desejos e as expetativas nem sempre são possíveis: vai ajudar a que se torne uma criança mais criativa para alcançar os seus objetivos;

3 – Vai ensinar ao seu filho que todas as atitudes têm consequências: os seus filhos vão perceber que não é possível fazer tudo o que querem ou desejam;

4 – O seu filho precisa experimentar a sensação de desconforto: se proteger sempre o seu filho de todas as situações ou sentimentos desconfortáveis vai fazer com que crie expectativas irrealistas para o futuro; para além do choque do desconforto, não estará habilitado para lidar com as negações do futuro de forma saudável e eficaz;

5 – O seu filho precisa aprender a esperar: ao dizer constantemente sim está a criar, uma vez mais, expectativas irrealistas ao seu filho; tal como acontecerá na vida adulta, é importante que o seu filho compreenda a noção de esforço e recompensa, que nem sempre é instantânea; a brincadeira vem depois dos trabalhos de casa, tal como a sobremesa chega depois do resto do jantar estar terminado;

6 – Os limites fazem as crianças sentirem-se seguras: a incerteza e inconsistência produzem ansiedade;

7 – É importante que o seu filho perceba que são os pais quem está no comando: é muito importante que as crianças saibam que a pessoa que cuida delas está no controle; Ser assertivo irá tranquilizá-lo e fará com que se sinta seguro.

8 – Colocar limites saudáveis ao seu filho enquanto este cresce vai ajudá-lo no futuro: vai ser capaz de criar limites também para si e para os seus relacionamentos na vida adulta.

Porque é tão difícil dizer não aos filhos?


crianca a chorar e pai a acalmar

Dar uma resposta negativa a um filho não significa que o esteja a rejeitar ou que não goste dele, muito pelo contrário. É importante que o seu filho compreenda esta mensagem e que perceba que os pais estão lá para cuidar e decidir o melhor para ele.

Para muitos pais é difícil dizer não porque temem que seus filhos não os amem ou não gostem deles se forem muito rigorosos. Tentam então ser mais amigos do que pais e, normalmente, os amigos não dizem não.

Contudo, não há qualquer evidência que sugira que a paternidade amorosa, mas firme, quebre o vínculo entre pais e filhos. Pelo contrário, se impuser regras e limites sensatos é mais provável que crie e mantenha um relacionamento saudável e mutuamente respeitoso com o seu filho à medida que ele cresce.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!