Descubra todas as recomendações sobre os cuidados físicos pós-parto

O pós-parto surge como um período de alterações físicas e psicológicas no corpo da mulher, no entanto deve tentar ultrapassá-las com cuidados físicos pós-parto.

Powered by: BodyScience
Descubra todas as recomendações sobre os cuidados físicos pós-parto
Saiba como cuidar de si nesta fase tão especial!

Geralmente, após o primeiro mês de adaptação ao novo membro da família, onde todas as atenções se focam no bebé, a mulher começa a sentir-se novamente capaz de encontrar um equilíbrio na sua vida, procurando englobar no seu dia-a-dia outras atividades para além do bebé e da amamentação, verificando-se uma preocupação crescente em retomar ao seu corpo pré-gravidez.

Existem vários cuidados físicos pós-parto que a mulher deve ter para que tenha uma boa recuperação e para que se sinta bem consigo mesma.

O período pós-parto ou puerpério, inicia-se logo após a saída da placenta (dequitadura), apresentando uma duração variável. aproximadamente entre seis a oito semanas nas mulheres que não amamentam e até oito meses nas mulheres que amamentam. No entanto, estes períodos variam pois o fim do pós-parto culmina com a primeira ovulação, um momento de difícil previsão.

O puerpério é dividido em três fases:

  1. Puerpério imediato (do 1º ao 10º dia);
  2. Puerpério tardio (do 11º ao 45º dia);
  3. Puerpério remoto (período após o 45º dia pós-parto, até ao dia em que ocorre a ovulação).

 

Cuidados físicos pós-parto


O processo de recuperação pós-parto começa de dentro para fora. Se evitar mudanças drásticas durante a gestação, mais rápido e fácil será recuperar o seu corpo.

1. Episiotomia

cuidados fisicos pos parto e episiotomia

A episiotomia é uma incisão que o enfermeiro especialista/obstetra realiza no períneo (área entre o ânus e a vagina) da grávida, de forma a alargar o espaço de saída para o bebé, para evitar que a pele rasgue durante o nascimento. Este procedimento evita um processo doloroso desnecessário, bem como uma cicatrização lenta.

Geralmente, a cicatrização da episiotomia decorre sem complicações, e demora entre uma a duas semanas até que o corpo comece a extrair de forma autónoma os pontos.

No caso de sentir dor na região do períneo, recomenda-se:

  • A utilização de gelo (10 a 15 min, 3 a 4 vezes por dia) para diminuir o edema;
  • Lavar os genitais várias vezes ao dia e manter a área em redor das suturas limpa e seca;
  • Utilizar roupa interior de algodão, sem ser demasiado justa ao corpo;
  • Evitar a utilização de tampões, realizar relações sexuais, ou qualquer outro tipo de atividade, que só deve ser retomada após observação médica (geralmente 4 a 6 semanas pós-parto), de forma a evitar romper a sutura.

2. A cicatriz da cesariana

cicatriz da cesariana

A mulher submetida a cesariana pode apresentar um período de recuperação variável, principalmente se houver alguma complicação pós-parto. A recuperação de uma cesariana envolve um período maior que um parto normal, no entanto essa recuperação deverá englobar os seguintes cuidados:

  • Utilização de uma cinta pós-parto: ajuda a dar maior conforto na região abdominal, ajuda a reduzir o seroma na região da cicatriz, e dá uma sensação mais confortável na região abdominal;
  • Peça ajuda a um familiar ou amigo nos primeiros dias, pois deve evitar ao máximo realizar esforços físicos. O ideal será centrar-se, de forma exclusiva, ao bebé e numa correta amamentação;
  • Aplicar gelo (envolvido num saco) sobre a cicatriz de forma a diminuir o edema (inchaço). Deixe atuar cerca de 15 a 20 minutos e re-aplique três a quatro vezes por dia;
  • Os pontos devem ser retirados oito a doze dias após o parto, dependendo da recomendação do obstetra, e deve evitar molhar o penso (para evitar a proliferação de microrganismos). Peça a um profissional de saúde um penso impermeável para poder tomar um banho sem condicionamentos;
  • O tratamento da ferida geralmente é feito, em dias alternados, por uma enfermeira. Se o penso da ferida apresentar conteúdo exsudativo ou sangue, terá de ser mudado rapidamente;
  • Utilize uma boa pomada cicatrizante após lhe serem retirados os pontos, para ajudar a descolar a cicatriz, contribuindo de forma positiva para a tornar mais pequena e o mais discreta possível;
  • Enquanto apresentar pontos, opte por dormir de lado ou de barriga para cima.

3. cuidados de higiene

mulher a tomar banho

O banho é algo de extrema importância no período pós-parto, pois ajuda a prevenir infeções urinárias e vaginais, ajuda na aceleração da cicatrização da região perineal, e promove o bem-estar físico e uma sensação de relaxamento. Deverá ser diário, lavar e secar adequadamente a região perineal com cuidado, sempre de frente para trás para evitar infeções.

Durante o primeiro mês pós-parto poderá ter lóquios (hemorragia vaginal), muito parecida com a menstruação, e são o sinal de que o útero se está a contrair e a voltar ao tamanho normal.

É importante mudar o penso higiénico, ou fralda de incontinência, várias vezes ao dia, evitar relações sexuais durante este período, e evitar a utilização de tampões.

Nota: Deverá dirigir-se ao médico no caso de verificar as seguintes situações: mau cheiro, presença de secreção purulenta, febre, o corrimento não diminui ou aumenta com o passar do tempo.

4. Métodos contracetivos

metodos de contracecao pos parto

Existe um mito de que, enquanto a mulher amamenta, não pode engravidar. No entanto, esta ideia está errada pois a ovulação ocorre, ainda que sem data certa, pelo que, de forma a evitar uma gravidez no primeiro ano pós-parto (para a ajudar a restabelecer toda a região perianal e órgãos internos envolvidos no parto), aconselha-se não arriscar ter relações sexuais desprotegidas.

Os métodos contracetivos recomendados são: a pílula de amamentação se ainda estiver a amamentar, a sua pílula habitual no caso de já não estar a amamentar ou o recurso ao preservativo. Para a escolha, deverá aconselhar-se com o seu médico.

Estes métodos também contribuem para estabilizar as alterações hormonais que ocorrem na vagina no pós-parto, como uma diminuição da líbido, ou a falta de lubrificação, podendo tornar as relações sexuais mais dolorosas.

5. Incontinência urinária

incontinencia urinaria

As perdas involuntárias de urina no período pós-parto são frequentes, independentemente da idade da puérpera, devido a alterações dos esfíncteres urinários e do pavimento pélvico. Estão associadas, geralmente, a um parto normal traumático, sobretudo quando é um parto instrumentado ou prolongado.

As perdas urinárias acontecem com ações simples do dia- a-dia, como tossir, espirrar, rir ou baixar-se para apanhar um objeto.

Na maior parte das situações, a incontinência urinária resolve-se naturalmente nos seis meses pós-parto. Contudo, há situações em que esta se prolonga e os músculos pélvicos não conseguem cumprir a sua função.

O tratamento poderá passar por:

  • Alteração dos estilos de vida: perda de peso, alimentação saudável;
  • Aumentar a frequência de ida à casa de banho e realizar um treino à bexiga: contrair e relaxar várias vezes a região perineal de forma a tentar prender/libertar urina;
  • Exercícios/fisioterapia, nomeadamente os exercícios de kegel, que poderá fazer a qualquer hora do dia, idealmente várias vezes por dia, sem que ninguém se aperceba. Estes consistem em trabalhar os músculos que controlam o fluxo da urina. Basta contrair com força os músculos do pavimento pélvico, como se estivesse a impedir a saída da urina, durante alguns segundos.Pode fazer em pé, sentada ou deitada;
  • Fármacos;
  • Cirurgia.

Cuidados físicos pós-parto: Alimentação e Amamentação


Alimentação pós-parto

mulher a beber agua

Uma alimentação adequada e variada ajuda na recuperação do seu peso, anterior à gravidez, na produção do leite materno, bem como no bom funcionamento intestinal.

  1. É extremamente importante a ingestão de líquidos em grandes quantidades pois, ajuda na diminuição da retenção de líquidos, e contribui para o correto estabelecimento da amamentação;
  2. É importante a ingestão em doses adequadas de proteínas, sais minerais, vitaminas e fibras;
  3. Evite ingerir bebidas alcoólicas e não se exceda no consumo de produtos processados, frituras, condimentos e sal.

Amamentação

mae a dar de mamar a bebe

É indiscutível que o leite materno é o melhor alimento para seu bebé. E para que todo o processo corra bem, tenha em atenção à sua postura quando está a dar de mamar: o bebé deverá ser levado ao peito e não deve ser o peito ir ter com o bebé.

Para ser mais fácil ficar com as costas direitas, contraia o abdómen e utilize a almofada de amamentação ou almofadas altas para colocar debaixo do bebé e facilitar este processo.

Dicas:

  1. No caso de sentir dores, a mama dura e vermelha (por todo ou só numa região) e febre, deverá procurar um profissional de saúde com urgência, pois poderá estar a desenvolver uma mastite (inflamação da mama) e poderá ter de fazer antibiótico;
  2. É importante que a mãe use um soutien adequado ao tamanho do seu peito, com alças largas de forma a lhe conferir um suporte adequado;
  3. A prática de exercício físico com intensidade entre o leve e o moderado, não afetam a composição e a quantidade do leite materno ou o crescimento do bebé.

Trânsito intestinal

Transito intestinal

No período pós-parto, principalmente no imediato, o intestino apresenta uma tendência para trabalhar mais lentamente, acabando por acumular gases e fezes, levando a uma zona abdominal mais inchada. Também pode acontecer o aparecimento de hemorroidas.

A primeira vez que se evacua após o parto é, por norma, um momento que provoca ansiedade, devido ao medo de romper os pontos da episiotomia, e por toda a região perianal estar ainda a recuperar da expulsão do bebé, podendo causar dor.

Para combater a obstipação recomenda-se a ingestão de muitos líquidos, alimentos ricos em fibras e, se o médico o permitir, realizar pequenos percursos a pé. Em último caso, poderá ter de recorrer a ajuda de medicação, nomeadamente laxantes.

 

Cuidados físicos pós-parto: Exercício físico


mulher a nadar

Durante a gravidez, o corpo da mulher sofre um conjunto de alterações fisiológicas, psicológicas e morfológicas que, mesmo após o parto, persistem no mínimo entre quatro a seis semanas, dependendo do tipo de parto em questão e de pessoa para pessoa.

Além das alterações externas, existem também alterações internas a ter em conta, tal como o deslocamento dos músculos do pavimento pélvico ou a perda de tonicidade. Isto pode resultar em problemas como: obstipação, dor durante as relações sexuais, dor perineal, dores lombares ou incontinência urinária e fecal.

Estas consequências são comuns, no entanto deve de trabalhar para que sejam apenas alterações temporárias, pelo que as deve tratar imediatamente com recurso a um especialista adequado.

Período de início da atividade

Para iniciar a atividade física, para além da autorização do seu médico, a mulher deverá sentir que está na hora de voltar ao ativo, com uma melhor dos ritmos de sono dela e do bebé.

Habitualmente, deverá haver uma consulta de revisão quatro a seis semanas após o parto, idealmente com um médico ginecologista/obstetra ou com o seu médico de família. Nesta consulta o médico realiza um exame físico à puérpera e, se estiver tudo dentro da normalidade, poderá iniciar quer a atividade física, quer a atividade sexual.

Por norma, os médicos aconselham a iniciar o exercício físico quatro a seis semanas após o parto, no caso dos partos vaginais e, depois das oito a dez semanas, no caso das cesarianas.

Tipos de exercícios apropriados ao período pós-parto

O exercício físico deverá ser de intensidade leve a moderada, de forma a não interferir na produção do leite. Os exercícios recomendados nesta fase são:

  • Fazer caminhadas, sozinha ou com o seu bebé (no carrinho de bebé ou no sling/marsúpio). Se for com o seu bebé opte por horas de pouca exposição solar e proteja-o com roupa adequada;
  • Natação ou hidroginástica: são excelentes opções para quando já não apresentar lóquios, pois o facto de estar dentro de água facilita os movimentos e, simultaneamente, ajuda a relaxar;
  • Yoga: ajuda no desenvolvimento de posturas corretas para aliviar as dores de levantar, carregar e amamentar a criança, para fortalecer os músculos das costas, abdómen, pavimento pélvico e pernas, e para aliviar tensões no pescoço, nos ombros e nas costas. O ambiente calmo, os exercícios respiratórios e as técnicas de relaxamento ajudam a retirar qualquer tensão existente e a recuperar energias.
  • Pilates: trabalha menos a meditação, mas auxilia muito na melhoria da postura, na contenção urinária e no alívio de dores;
  • Alongamentos;
  • Ginástica abdominal hipopressiva, já que os abdominais tradicionais não são os mais adequados para recuperar do parto devido à pressão que se exerce na zona abdominal e pélvica.

Benefícios do exercício físico pós-parto

  • Redução do peso corporal;
  • Melhoria do tónus muscular, da silhueta e postura do corpo;
  • Preservação ou restauração das funções normais do útero, bexiga e intestino;
  • Proporciona melhores prestações sexuais, pelo incremento da vascularização no pavimento pélvico;
  • Estimula a libertação de endorfinas, hormonas que promovem a sensação de bem-estar, ajudando a prevenir a depressão pós-parto;
  • Aumenta os níveis de energia;
  • Promove um sono mais reparador.

 

Cuidados físicos pós-parto: Tratamentos estéticos não invasivos


tratamentos inovadores

Uma das principais alterações na vida de uma recém-mamã, que é sentida por quase todas as mulheres neste estado de graça é, sem dúvida, a falta de tempo para gerir o bebé, a família, a casa e a si própria.

Desta forma, para tentar colmatar o tempo que pode não ter para ir ao ginásio, os tratamentos estéticos não invasivos surgem como uma forma eficaz de recuperar a forma aos poucos, ao mesmo tempo que descansa e tem um tempo inteiramente dedicado a si.

Uma das clínicas onde pode encontrar um conjunto de tratamentos aconselhados no período pós-parto são as Clínicas BodyScience, onde os resultados começam logo a notar-se nas primeiras sessões. Nesta clínica poderá contar igualmente, com a competência, profissionalismo, simpatia e a disponibilidade dos vários profissionais, aos quais se soma os equipamentos e as técnicas mais avançadas.

Aliada a uma boa alimentação e hidratação, poderá recuperar o seu corpo com os seguintes tratamentos não invasivos:

  1. Endermologia LPG: consiste numa drenagem linfática mecanizada que combate a celulite difusa e gordura generalizada mesmo a que se encontra nas camadas mais profundas, apresentando um efeito relaxante;
  2. Radiofrequência Tripolar Cronus: é um tratamento inovador, de tripla ação, que trabalha em todas as camadas da pele, para reduzir a flacidez cutânea e a celulite;
  3. Pressoterapia: melhora o sistema circulatório e o sistema linfático, sendo uma solução para a retenção de líquidos, no retorno da circulação, bem como, ajuda a desintoxicar o organismo;
  4. Lipo3action: é um tratamento inovador que ajuda na eliminação da gordura localizada, no combate à celulite e à flacidez;
  5. Bodyshape: tonifica o corpo de forma rápida, segura e sem qualquer tipo de esforço para a mulher. Apresenta a duração de 30 minutos e equivale a 750 abdominais.

Não descure o cuidado do seu corpo, e marque já a sua primeira consulta de avaliação gratuita!

Veja também:

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].