Anemia ferropriva: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento

Sente-se cansada ao mínimo esforço? Tem tonturas ou sensação de desmaio? A sua pele está mais pálida que o habitual? Estes podem ser os sintomas de anemia ferropriva.

Anemia ferropriva: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento
Reconheça os primeiros sintomas desta doença.

Anemia ferropriva é um tipo de anemia onde se verifica uma privação ou deficiência de ferro no sangue, o que tem como consequência, uma diminuição da produção, do tamanho e teor de hemoglobina no sangue, prejudicando consequentemente toda a cascata de produção das hemácias.

A hemoglobina é essencial no organismo, uma vez que ela é responsável pelo transporte de oxigénio para todas as células do corpo humano. A diminuição da hemoglobina no sangue pode provocar consequências graves no organismo.

Este tipo de anemia é preocupante, uma vez que pode colocar em risco a vida da pessoa, nomeadamente quando os valores de hemoglobina na mulher estão inferiores a 11 g/dl e no homem abaixo dos 12 g/dl.

Anemia ferropriva: fatores de risco associados


Anemia ferropriva gravida

Está comprovado que o maior fator de risco nesta patologia é a ingestão alimentar insuficiente de ferro, que se verifica frequentemente nas crianças/adolescentes, idosos e grávidas.

Outros grupos que estão em risco são: vegetarianos mal orientados, doentes que são submetidos a cirurgia bariátrica com o objetivo de perder peso corporal, pessoas que sofrem com hipotiroidismo ou pessoas que realizam dádivas de sangue frequentemente.

Anemia ferropriva: causas possíveis


Este tipo de anemia pode ser provocada por quatro motivos:

  • Ingestão alimentar insuficiente de alimentos que contenham ferro;
  • Gravidez, uma vez que o organismo da mulher prioriza o desenvolvimento do bebé, o que faz com que o stock de ferro presente seja direcionado para o desenvolvimento fetal;
  • Diminuição da absorção de ferro pela mucosa intestinal, cuja causa pode ser por:
    • Cirurgias onde se removem parte do estômago ou intestino;
    • Parasitoses intestinais;
    • Dejeções líquidas (diarreia) frequentes;
    • Doença celíaca, devido à inflamação crónica da mucosa intestinal.
  • Hemorragias recorrentes, causadas por:
    • Hemorragias crónicas do sistema gastrointestinal (causado por exemplo pela doença de Crohn, varizes esofágicas, hérnias ou úlceras gástricas, entre outras situações);
    • Hipermenorréia ou fluxo menstrual anormalmente elevado e extenso no tempo;
    • Miomas uterinos;
    • Epistáxis (sangramento nasal) ou hematúria (sangue na urina) constantes.

 

Anemia ferropriva: sintomas associados


Anemia ferropriva cansaco

Este tipo de anemia pode apresentar-se de forma subtil no inicio da patologia, no entanto à medida que agrava pode manifestar-se da seguinte forma:

  • Cansaço fácil, que agrava com esforços;
  • Fraqueza generalizada;
  • Sonolência;
  • Desânimo;
  • Tonturas e/ou sensação de desmaio iminente;
  • Taquicardia (frequência cardíaca acelerada, nos adultos acima dos 100 batimentos por minuto);
  • Pele e mucosas descoradas (pálidas);
  • Cefaleias (dores de cabeça);
  • Dores nos membros inferiores (pernas);
  • Edema (inchaço) dos tornozelos;
  • Queda de cabelo;
  • Unhas frágeis e quebradiças;
  • Geofagia ou Pica (vontade incontrolável de ingerir terra);
  • Diminuição do apetite;
  • Diminuição da capacidade de concentração e raciocínio;
  • Lapsos da memória;
  • Diminuição do apetite sexual;
  • Pele seca.

 

Anemia ferropriva: diagnóstico


Anemia ferropriva analise ao sangue

O diagnóstico desta patologia é realizado através de controlo analítico, ou seja através de análise ao sangue, onde será colhido um tubo para hemograma, que avalia a quantidade de hemoglobina, os valores de RDW, nível sérico de ferro, ferritina, transferrina e saturação de transferrina.

A anemia ferropriva é percebida pela diminuição de ferro sérico e da ferritina (proteína que armazena o ferro), aumento da transferrina (proteína que transporta o ferro quando está fora dos glóbulos vermelhos) e da saturação da transferrina.

Quando o médico considera que a diminuição do ferro no sangue não é causada devido à alimentação, ele poderá requerer os seguintes exames de forma a determinar a causa da anemia:

  • Endoscopia Digesta Alta;
  • Colonoscopia;
  • Exame Parasitológico de Fezes;
  • Esfregaço da Medula Óssea;
  • Análise à urina;
  • Pesquisa de sangue oculto nas fezes.

 

Anemia ferropriva: tratamento


Anemia ferropriva alimentos ricos em ferro

O tratamento deve ser feito tendo em conta a causa subjacente da patologia, no entanto, baseia-se maioritariamente na suplementação medicamentosa de ferro durante aproximadamente quatro meses e numa dieta rica em alimentos que contenham ferro (por exemplo: carnes vermelhas, espinafres, feijão preto, lentilha, salsa, gema do ovo, fígado, entre outros).

Tenha em atenção de que os suplementos de ferro tornam as fezes escuras ou pretas e com frequência causam obstipação.

É aconselhado também a ingestão de alimentos que potencializam a absorção do ferro, como por exemplo, alimentos ricos em Vitamina C, bem como deve diminuir a ingestão de alimentos que possam favorecer ainda mais a diminuição da absorção do ferro, como por exemplo, a cafeína ou o chocolate.

Nos casos em que a suplementação de ferro por via oral não é eficaz, é necessário ponderar o recurso à administração de ferro via parental (intravenosa).

É importante realizar um controlo analítico três a quatro meses após o inicio do tratamento, uma vez que ferro em excesso pode prejudicar o fígado.

Apenas o médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].