Publicidade:

Alimentos que interferem com a flora vaginal: conheça os bons e os maus da fita

Existem alimentos que interferem com a flora vaginal, afetando, positiva ou negativamente, o equilíbrio entre as bactérias benéficas e as nocivas.

Alimentos que interferem com a flora vaginal: conheça os bons e os maus da fita
À primeira vista, pode parecer uma associação estranha, mas alimentação e saúde vaginal podem estar ligadas

À primeira vista, a relação entre alimentação e saúde vaginal pode parecer estranha. Mas, é verdade que existem alimentos que interferem com a flora vaginal.

A flora vaginal constitui um sistema equilibrado, com cerca de 50 estirpes de bactérias, existindo um equilíbrio entre os agentes patogénicos e não patogénicos que mantém a saúde do aparelho genital feminino (1).

Este equilíbrio é influenciado por diversos fatores, nomeadamente hormonas, higiene, uso de contracetivos orais, espermicidas, por doenças e pela genética, os quais podem levar ao aparecimento de problemas quando geram algum desequilíbrio na dinâmica natural deste sistema.

Composição da Flora Vaginal


Cerca de 95% da flora vaginal é composta por uma estirpe de microrganismos chamados de bacilos de Doderlein ou Lactobacillus acidophilus, que constituem bactérias benéficas e naturais na flora vaginal. A sobrevivência destes bacilos depende da riqueza do epitélio vaginal em glicogénio, que por sua vez depende dos níveis de estrogénios.

O glicogénio é libertado pelas células da mucosa vaginal e é transformado em glicose pelos bacilos de Doderlein com comitente produção de ácido láctico, que é responsável por manter o pH da vagina entre 3,8 a 4,5.

A fixação dos bacilos de Doderlein no epitélio vaginal é facilitada com estes valores de pH, enquanto certos agentes patogénicos, responsáveis por infeções vaginais, não se fixam às células do epitélio nestas condições de pH e não se desenvolvem (1).

Em virtude de algum desequilíbrio nos fatores mencionados anteriormente, pode ocorrer uma diminuição de Lactobacillus benéficos, o que por sua vez faz aumentar o pH da vagina e favorece o aparecimento de infeções, em particular as vaginoses bacterianas, as quais podem originar sintomas como comichão, corrimento, sensibilidade, secura vaginal e ardor e, sintomatologia mais grave que pode levar à infertilidade e ao aborto (1,2).

E é precisamente aqui que podem entrar os alimentos que interferem com a flora vaginal e ajudam a mantê-la saudável. Vejamos, então, quais são estes alimentos.

Alimentos que interferem com a flora vaginal


Antes de lhe indicarmos quais os alimentos que interferem com a flora vaginal, é importante salientar que manter um estilo de vida saudável é o primeiro passo para preservar o equilíbrio da flora vaginal, em particular no que diz respeito a hábitos de higiene e proteção sexual.

Além disso, evite também lavagens excessivas e o uso recorrente de sabonetes íntimos, assim como o uso de roupas apertadas e pensos higiénicos diários (1).

Por outro lado, sabe-se que uma ingestão proteica inferior às necessidades, assim como uma reduzida ingestão de zinco, vitamina A e C, afetam negativamente o sistema imunitário, potenciando a ocorrência de infeções gerais e locais 8 (2).

Vejamos, então, quais os alimentos que deve privilegiar.

1. Água

As membranas mucosas que compõem a vagina dependem de um corpo hidratado para funcionarem na perfeição e produzirem muco protetor.

Beber cerca de 1,5l de água ou chá sem açúcar por dia pode ajudar a manter a vagina lubrificada e a flora vaginal saudável.

alimentos que interferem com a flora vaginal mulher com copo de agua

2. Batata-doce

Pela sua riqueza em vitamina A, a batata-doce é um melhores aliados do sistema imunitário, evitando situações de infeção bacteriana vaginal. Além disso, a vitamina A parece também melhorar a fertilidade e fortalecer a parede uterina (1).

3. Fruta, vegetais e frutos secos

Alimentos como vegetais e fruta fresca são ricos em vitaminas e minerais importantes para reforçar o sistema imunitário e evitar a ocorrência e suscetibilidade para infeções.

O caso da vitamina E, em particular, que se encontra em alimentos como o gérmen de trigo, azeite, nozessementes e abacate, evita a secura vaginal e promove a produção de muco (1).

4. Probióticos

Os probióticos são organismos vivos que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), quando consumidos em quantidades adequadas, são benéficos para a saúde do hospedeiro.

Neste caso, os seus mecanismos de ação podem ser diversos:

  • Promoção da produção de ácido lático, ajudando a manter os níveis naturais de pH da vagina;
  • Produção de biosurfactantes e de muco, que funcionam como barreira protetora;
  • Limitam a passagem dos patogénicos do reto para a vagina;
  • Aumentam a imunidade da flora intestinal, que por seu lado afeta a imunidade vaginal, tornando o ambiente mais resistente aos agentes infeciosos.

Dentro dos alimentos ricos em probióticos salientam-se o iogurte e leites fermentados, chucrute e pickles. Além destes alimentos, pode também recorrer a suplementação com probióticos (1).

alimentos que interferem com a flora vaginal alimentos probioticos

5. Mirtilo e arandos e respetivos sumos

O mirtilo e o arando são excelentes aliados na prevenção e alívio dos sintomas provocados por infeções urinárias, visto que contém polifenóis, compostos ácidos com ação antioxidante, que combatem as bactérias nocivas e restituem o pH da vagina favorável às bactérias benéficas (1).

Pode consumi-los na forma natural ou o seu sumo natural sem adição de açúcar.

6. Soja

Pelo facto de conter fitoesteróis, compostos de origem vegetal que mimetizam o papel dos estrogénios, a soja é também um dos alimentos que interferem com a flora vaginal de forma positiva, pois ajuda a manter os valores de pH regulados.

A sua ação é particularmente relevante para mulheres com baixos níveis de estrogénios por défice de produção endógena (1).

7. Alimentos ricos em fibra

Alimentos ricos em fibra, como cereais integrais, legumes, fruta, leguminosas, entre outros, são também alimentos que ajudam a manter a flora vaginal saudável, visto que promovem a nutrição das bactérias benéficas e permitem que elas se repliquem de forma adequada. São também designados por alimentos prebióticos.

alimentos que interferem com a flora vaginal alimentos probioticos alimentos ricos em fibra

Alimentos que interferem negativamente com a flora vaginal


Por oposição aos alimentos mencionados anteriormente, deve evitar o consumo excessivo de alimentos ricos em nutrientes ou compostos que promovem o desequilíbrio da flora vaginal, em particular:

  • Açúcar nas suas várias formas (refrigerantes, sumos, bolachas, bolos) e alimentos de elevada carga glicémica, que favorecem o desenvolvimento de fungos, em particular os responsáveis pela conhecida candidíase vaginal;
  • Alimentos ricos em ácidos gordos saturados e trans, como manteiga ou margarina, bolachas e alimentos processados;
  • Alimentos com edulcorantes (3).

 

Veja também:

Fontes

1. “Balancing health below the belt”. (2018). Disponível em:
healthline.com/health/womens-health/food-for-vagina
2. Yasmin H. Neggers et al. (2009. “Dietary Intake of Selected Nutrients Affects Bacterial Vaginosis in Women”. Disponível em:
ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2663425/
3. Marie E. Thoma et al, 2011. “Bacterial Vaginosis Is Associated with Variation in Dietary Indices”. Disponível em:
ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3159055/

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].