Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
27 Set, 2022 - 18:18

Reabilitação respiratória: mais autonomia e qualidade de vida

Catarina Milheiro

Os benefícios e objetivos da reabilitação respiratória: técnica de prevenção e tratamento de doenças do sistema respiratório.

A reabilitação respiratória é uma área crucial da Medicina Física e de Reabilitação – principalmente no que diz respeito ao tratamento, prevenção e reabilitação das doenças do aparelho respiratório.

E como sabemos, os problemas respiratórios podem ter repercussões significativas na autonomia do indivíduo e na sua qualidade de vida em geral. É precisamente por este motivo, que a reabilitação respiratória é tão importante.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, esta não está somente indicada para a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), que é bastante frequente na população.

Na verdade, é dirigida a adultos, crianças e bebés com patologias respiratórias como sequelas por infeção por Covid-19, bronquiectasias, bronquiolites, doença pulmonar obstrutiva crónica, dispneia, fibrose quística e até no pré e pós-operatório de cirurgias cardio-torácicas e abdominal alta (entre outras doenças).

Fique connosco e saiba tudo sobre esta técnica de prevenção e tratamento de doenças do sistema respiratório.

Enurese noturna: criança no médico

O que é a reabilitação respiratória?

Tendo em consideração a definição da American Thoracic Society e da European Respiratory Society, a reabilitação respiratória é uma intervenção baseada na evidência científica, multidisciplinar e com foco nos pacientes com doenças respiratórias crónicas.

Estes doentes são caracterizados por serem sintomáticos (apresentarem sintomas) e em muitos casos, apresentam ainda uma diminuição na capacidade de participar em algumas atividades do quotidiano.

Portanto, é necessário que seja feito um diagnóstico médico multidisciplinar – que abranja várias áreas da medicina – para que se consiga definir, em conjunto, uma estratégia adequada às necessidades específicas de cada pessoa.

Por que motivo é tão importante?

Apesar de existirem vários tipos de tratamento para as pessoas com doenças pulmonares, a verdade é que cada um atua com um determinado objetivo.

Assim, a reabilitação respiratória é essencial na vida destes indivíduos que sentem muitas vezes falta de ar, desconforto e fadiga com as atividades do dia-a-dia e que por isso mesmo, acabam por reduzir a sua frequência e/ou intensidade.

Por exemplo: para alguém que tenha uma doença respiratória, uma simples caminhada a pé até ao supermercado pode tornar-se num autêntico pesadelo. Em apenas poucos passos, a pessoa sente-se com falta de ar, extremamente cansada e quase sem forças para continuar.

Muitas vezes, acaba mesmo por desistir, tornando-se mais sedentária e, paralelamente, isolada. E para que isto não aconteça e retire a qualidade de vida das pessoas, há que iniciar uma avaliação médica completa e rigorosa antes do início de cada programa de tratamento.

O objetivo deste acompanhamento inicial altamente exigente é garantir os critérios de segurança na realização do mesmo. Só assim a equipa de profissionais conseguirá ajudá-lo através de um programa de exercícios adequados para reduzir os sintomas e melhorar a sua capacidade física.

Os 10 objetivos da reabilitação respiratória

A reabilitação respiratória tem como principais objetivos:

  1. Aumentar a capacidade pulmonar;
  2. Prevenir complicações nos pulmões;
  3. Manter a mobilidade torácica;
  4. Melhorar a resistência ao esforço físico;
  5. Diminuir as resistências brônquicas;
  6. Mobilizar e eliminar as secreções presentes nas vias respiratórias;
  7. Reduzir a dor torácica;
  8. Fortalecer a musculatura respiratória;
  9. Melhorar a tolerância ao esforço;
  10. Aumentar a qualidade de vida e a autonomia da pessoa.

Para o efeito, recorre-se normalmente a diversos equipamentos para que seja possível ajudar a mobilizar e a diluir as secreções, com vista a eliminá-las de uma forma mais fácil.

Para além disto, os exercícios respiratórios são também cruciais para melhorar a respiração e fortalecer os músculos torácicos.

Por exemplo: quando os doentes se queixam que não conseguem realizar tarefas simples do dia-a-dia como subir escadas, então significa que se trata de um cansaço superior ao normal.

Desta forma, os exercícios para fortalecer os músculos respiratórios contribuem assim para melhorar a capacidade de resistência a estes e outros esforços físicos imprescindíveis na sua vida quotidiana.

Os benefícios da reabilitação respiratória quando realizada antes e depois de algumas cirurgias

Se, por um lado, a reabilitação respiratória tem um papel fundamental no dia-a-dia das pessoas com doenças do trato respiratório, por outro pode ter vantagens quando realizada antes e depois de algumas cirurgias.

Falamos, portanto, de intervenções cirúrgicas cardíacas, abdominais ou torácicas, por exemplo.

O que significa que fazer reabilitação funcional respiratória antes de uma intervenção cirúrgica contribui não só para reduzir o risco de complicações no período pós-operatório, como também para um menor risco de infeções hospitalares.

Assim, depois de uma intervenção deste género, a reabilitação respiratória é de extrema importância quando o objetivo é uma recuperação mais rápida e total das atividades do quotidiano. Afinal, o que se pretende é aumentar a qualidade de vida do paciente.

Outras alterações no estilo de vida que devem ser consideradas

Especialmente para as pessoas que têm alguma doença respiratória e que estejam a fazer reabilitação, existem duas principais alterações no estilo de vida que devem ser tidas em consideração.

Deixar de fumar

Como sabemos, o tabaco é um dos fatores que mais contribui para agravar a função dos nossos pulmões. Por isso mesmo, parar de fumar é um passo crucial para que a sua reabilitação respiratória seja eficaz.

Se sente que não consegue largar o cigarro e que precisa de ajuda para parar, consulte o seu médico. Atualmente já existem diversas estratégias e medicação que poderão ser bastante úteis para quem estiver decidido quanto à cessação tabágica.

Fazer uma alimentação saudável

Se tem uma alimentação saudável e equilibrada por norma, não terá motivos para se preocupar.

Mas se faz parte daquele grupo de pessoas que por falta de tempo ou até por desleixo, não consegue alimentar-se como deveria, saiba que durante a realização do programa é fundamental fazer uma alimentação saudável e variada.

Além disto, deverá manter-se muito bem hidratado durante todo o dia. No caso de ter dificuldades, poderá sempre colocar alarmes no telemóvel para não se esquecer de beber água.

Se preferir, também já existem aplicações que o fazem por si. Cuide da sua saúde e aumente a qualidade de vida.

Veja também