Priscilla Fortinho
Priscilla Fortinho
08 Nov, 2019 - 19:10

Descubra quais as diferenças entre o polvilho doce e azedo

Priscilla Fortinho

A diferença entre o polvilho doce e azedo está na textura e no sabor dos mesmos. Podem ser utilizados nas mesmas receitas mas obter “prazeres” diferentes.

Diferenças entre polvilho doce, azedo e tapioca

A tapioca é um alimento de muito sucesso principalmente no Brasil. É derivada de uma raiz típica do país, a mandioca, também conhecida como aipim ou macaxeira.

Esta raiz foi muito utilizada pelos povos indígenas antigos, como base da sua rotina alimentar, por ser rica em hidratos de carbono e oferecer derivados como o polvilho doce e azedo, por exemplo.

Conheça agora o processo de obtenção do polvilho doce e azedo e sua transformação em tapioca.

POLVILHO DOCE E AZEDO: AS DIFERENÇAS

Diferenças entre polvilho doce, azedo e tapioca

Não se pode falar de tapioca sem falar do polvilho, pois é dele que a tapioca é feita.

Tudo parte do seguinte princípio:

1.

Mandioca

  1. Depois de colhida, retirar a sua casca, lavar e triturar.
  2. Depois de triturada, deve passar por um processo de decantação, onde é colocada num recipiente específico e coberta por água para que separem as fibras e se obtenha o sumo.
  3. A partir desta etapa, irão diferenciar-se o polvilho doce e azedo.
2.

Polvilho doce

  1. Para se obter o polvilho doce, o sumo em forma de goma densa é levado diretamente ao processo de secagem ao sol e trituração.
receitas saudaveis para a bimby
Veja também Polvilho azedo: 3 receitas diferentes
3.

Polvilho azedo

  1. Para o polvilho azedo, antes da secagem, o sumo passa pela fermentação, um processo de alguns dias a descansar num recipiente, o que faz com que fique azedo.
  2. Só então ele passará pela secagem e trituração, transformando-se em farinha seca.

Agora que já sabe como é feito o polvilho e qual a diferença no processo para obter-se o doce e o azedo, veja como este se transforma em tapioca.

AFINAL, O QUE É A TAPIOCA?

Diferenças entre polvilho doce, azedo e tapioca

A tapioca é o polvilho misturado com água. É muito utilizada para complementar um plano alimentar, pois oferece diversas formas de preparação e é um alimento muito simples e rápido para um pequeno-almoço ou lanche.

Além destes benefícios, a tapioca não contém glúten, o que atrai ainda mais adeptos.

tapioca granulada: as receitas ideais
Veja também Tapioca granulada: as receitas ideais

COMO FAZER A MASSA DE TAPIOCA

Aprenda agora como fazer a massa da tapioca a partir do polvilho desidratado:

  1. Colocar o polvilho desidratado numa taça.
  2. Acrescentar água aos poucos, enquanto mistura com auxílio de uma colher. Irão formar-se pequenas “pedras” com textura elástica.
  3. Para dissolver as pedras, deve passar por uma peneira e amassar com uma colher até que se torne numa goma (farinha húmida com textura elástica).
  4. Depois, basta colocar um pouco da goma numa frigideira anti-aderente (quantidade igual à de uma panqueca) até que fique tostada.
  5. Se preferir, pode acrescentar um recheio doce ou salgado ao centro da massa ainda no fogo, dobre a massa ao meio e estará pronta para servir.

ONDE ENCONTRAR MASSA DE TAPIOCA?

A tapioca pode ser encontrada em lojas ou supermercados em forma de farinha desidratada, granulada ou em goma.

A farinha deve ser hidratada para se tornar tapioca, conforme o processo já citado, enquanto a goma vem pronta em forma de discos e basta levá-la ao lume.

Diferença de usar polvilho doce ou azedo nas receitas

A diferença entre os dois tipos de polvilho nas receitas está na textura e no sabor. Mas pode utilizar os dois tipos para as mesmas receitas, e pode também misturá-los em algumas preparações.

O polvilho azedo é uma farinha mais granulada e solta, que deixa um sabor mais acentuado e caraterístico nas receitas, pois é fermentado. Com este, a massa que preparar ficará menos elástica e mais leve. É ideal para fazer pão de queijo e rosquinhas de polvilho bem crocantes mas pode também utilizar para panquecas, biscoitos, chipa, pães, waffle, omelete e outras.

Já o polvilho doce é uma farinha mais fina e compacta, semelhante à farinha maizena. Seu aroma e sabor são mais suaves, e a massa ficará mais elástica, consistente e cremosa. Pode ser utilizado para muitas preparações, como bolos, pães, bolachas, rosquinhas, pão de queijo com massa mais consistente no interior, panqueca, tarte, brevidade e tantas mais.

2 Receitas com polvilho doce e azedo para experimentar

1. Bolo com polvilho doce

fatia de bolo com polvilho doce

Cozinha: Portuguesa Tipo: Doce Tempo de preparação: 00:40

Ingredientes

  • 6 ovos
  • 2 e 1/2 chávenas de açúcar
  • 2 chávenas de farinha de trigo
  • 2 chávenas de polvilho doce
  • 1 copo americano de leite
  • 1 colher de sobremesa de fermento em pó

Modo de preparação

  1. Numa batedeira, bater as claras em castelo e reservar.
  2. Na batedeira com o bowl limpo, bater as gemas com o açúcar até ficar homogéneo.
  3. Acrescentar a farinha de trigo, bater mais um pouco, e em seguida, acrescentar o leite e bater bem.
  4. Depois bater na mão, com uma colher, e acrescentar o polvilho, mexer bem até incorporar tudo.
  5. Depois acrescentar as claras em castelo (reservadas) e mexer levemente até a massa ficar bem homogénea.
  6. Finalmente, acrescentar o fermento em pó e misturar.
  7. Verter a massa numa forma média untada com manteiga e farinha de trigo.
  8. Levar ao forno preaquecido, a 180 graus, por cerca de 30 minutos.

2. Rosquinhas de queijo com polvilho azedo

rosquinhas de queijo e polvilho azedo

Cozinha: Portuguesa Tipo: Salgado Tempo de preparação: 00:50

Ingredientes

  • 500g de ricota ou queijo cottage (usar uma ricota que não seja muito seca, se for necessário, acrescentar uma colher de nata)
  • 2 ovos
  • 2 colheres de manteiga à temperatura ambiente (pode substituir por azeite)
  • 1 pitada de sal
  • 500g de polvilho azedo (ou suficiente para amassar até a mistura ficar bem consistente e não despegar das mãos)

Modo de preparação

  1. Numa tigela colocar a ricota, os ovos, o sal e a manteiga. Misturar tudo com uma colher ou batedor.
  2. Em seguida, acrescentar aos poucos o polvilho e ir mexendo, preferencialmente com as mãos para sentir o ponto da massa.
  3. Depois de amassar bem, e a massa não pegar mais nas mãos, fazer pequenas bolinhas e, numa bancada com um pouco de polvilho, abrir em rolinhos.
  4. Em seguida fechar círculos com os rolinhos, a formar anéis, e dispor numa forma. Pode usar o polvilho na forma para que as rosquinhas não grudem. Deixar um espaço entre elas, pois vão dobrar de tamanho.
  5. Levar a forno preaquecido a 180 graus por cerca de 25 minutos, ou até que fiquem douradinhas.

Fontes

As receitas presentes neste artigo foram adaptadas das páginas Tudo Gostoso e Cozinha a dois respetivamente.

Veja também