Liliana Lima
Liliana Lima
03 Jul, 2017 - 12:58

Marsúpios: o que são, quais as vantagens e desvantagens da sua utilização

Liliana Lima

Conhece os marsúpios? O que sabe sobre estes porta-bebés? Valerá tanto a pena ter um para transportar o seu filho?

Marsúpios: o que são, quais as vantagens e desvantagens da sua utilização
O artigo continua após o anúncio

Os marsúpios são os porta-bebés vulgarmente comercializados nas lojas que conhecemos do dia-a-dia.

Comparando com os artigos de babywearing:

  • não são ergonómicos;
  • geralmente têm o assento estreito, fazendo com que os bebés fiquem “pendurados”, potenciando o risco de luxações ou de displasia da anca e inflamações genitais;
  • o painel (tecido das costas) é acolchoado, impedindo o respeito pela curvatura natural das costas dos bebés;
  • não se adequa ao crescimento de cada criança individualmente;
  • não distribui de forma equilibrada o peso, levando a possíveis dores localizadas no portador;
  • o bebé fica demasiado baixo no tronco do portador, alterando o ponto de gravidade, levando a posturas de compensação e de risco para a coluna, pouco confortáveis e ergonómicas.

A partir de que idade se podem utilizar os marsúpios?

idade para utilizar marsupios

Pelas orientações do babywearing, um artigo idêntico aos marsúpios (as mochilas ergonómicas) apenas se devem utilizar depois de o bebé saber sentar, uma vez que os bebés por volta dessa idade conseguem ter a musculatura das costas e coluna desenvolvida o suficiente para aguentar com o peso da cabeça e aguentar uma postura da coluna mais ereta.

Mas, se já em recém-nascido temos o problema da falta de apoio de joelho a joelho, com um bebé com idade a rondar os 6 meses, maior será esta falta de apoio, e, portanto, mais grave.

Teremos mais pressão na anca e zona genital dos bebés, teremos mais desconforto para ambos (bebés e portadores), teremos mais “pernas soltas”, caídas e a bater nas pernas do portador ao caminhar e teremos uma maior deslocação e menor estabilidade no ponto de equilíbrio.

Qual o melhor marsúpio?

qual o melhor marsupio

Os comerciantes de marsúpios estão a tentar aperfeiçoar. Contudo, ainda têm um longo caminho a percorrer no sentido da ergonomia do portador e dos bebés.

Alguns deles têm o carimbo do International Hip Dysplasia Institute (Instituto Internacional da Displasia da Anca), mas a ergonomia dos bebés não se deve prender apenas à anca (que ainda assim poderão dar um apoio de joelho a joelho, mas por pouco tempo), mas também ao desenvolvimento da coluna, que começa por ser uma postura muito idêntica à fetal e deve permanecer agrupada até que, com o crescimento, tenha capacidade de se endireitar.

Quais as vantagens e desvantagens dos marsúpios?

Vantagens

vantagens dos marsupios

A principal vantagem, claramente que é o dar colinho, amor e maior contacto. Nunca podemos negar isso.

E antes de termos bons porta-bebés (babywearing), houveram imensos porta-bebés e apoios de braços ao longo da história, pouco ergonómicos mas muito práticos e necessários.

O artigo continua após o anúncio

Com o contacto com o portador os bebés sentem-se:

  • seguros;
  • mais calmos;
  • choram menos;
  • têm menos cólicas;
  • amamentam-se melhor;
  • têm mais tempo de sono e melhor qualidade;
  • têm menor incidência de plagiocefalia;
  • são mais sociais;
  • sentem-se mais integrados;
  • são mais independentes.

As mamãs ou portadores:

  • têm os braços livres para realizar pequenas tarefas;
  • estão mais calmos;
  • criação de afectos e laços com os bebés;
  • têm as saídas de casa mais acessíveis (degraus, escadas, passeios, obstáculos, transportes públicos).

Desvantagens

desvantagens dos marsupios

As desvantagens, como já foi referido são os problemas que podem causar ao nível do desconforto do portador e do bebé ao nível da coluna e dores localizadas.

  • podem causar graves problemas na anca dos bebés;
  • podem provocar inflamações nas zonas genitais dos bebés;
  • não respeitam a coluna dos bebés;
  • não distribuem o peso do bebé sobre o portador;
  • obriga a posturas de compensação ao portador, causando fortes dores nas costas dos portadores;
  • altera o ponto de equilíbrio no portador;
  • alteração da postura e compensações não ergonómicas.

Reforçamos que o babywearing é uma opção mais vantajosa e duradoura para os portadores e para os bebés, evitando as desvantagens que são tão desconfortáveis.

Veja também: