Danielle Paiva
Danielle Paiva
19 Dez, 2018 - 16:25

Hemorroidas que sangram: 5 formas de tratamento

Danielle Paiva

As hemorroidas que sangram podem ser tratadas com a introdução de fibras na dieta, aumento da ingestão de água e pomadas de uso tópico.

Hemorroidas que sangram: 5 formas de tratamento
O artigo continua após o anúncio

As hemorroidas que sangram são as veias dilatadas do ânus, que sofrem fissuras pela passagem das fezes endurecidas. O sangramento é o sintoma mais comum das hemorroidas e, na grande maioria das vezes, não é volumoso. Embora não seja muito frequente, o paciente pode apresentar sintomas de anemia. Além deste, os sintomas que acompanham as hemorroidas são dor, comichão, sangramento e o prolapso (a saída das hemorroidas).

Causas das hemorroidas que sangram

Hemorroidas que sangram: 5 formas de tratamento

Grande parte da população sofre desta patologia. A Sociedade Portuguesa de Coloproctologia refere que as hemorroidas sintomáticas são frequentes na população adulta. Estima-se que afetam aproximadamente 50% da população nalguma altura da vida.

Muitos fatores foram implicados no desenvolvimento da doença hemorroidária incluindo o esforço defecatório excessivo, pressão intra-abdominal aumentada, a ausência de valvas nos vasos hemorroidários, a posição vertical da espécie humana, a obstipação crónica e os factores genéticos (1).

5 formas de tratamento das hemorroidas que sangram

As hemorroidas que sangram podem ser tratadas de várias formas, o principal objetivo é tornar as fezes mais amolecidas, para que não haja ruptura dos vasos, sangramento e dor (1, 2).

1. Aumento do consumo de fibras na dieta

Alimentos para perder barriga: menos volume

Ao aumentar a ingestão de fibras é possível acelerar o transito intestinal e tornar as fezes mais macias, pois as fibras ajudam a reter mais água. Os doentes com uma dieta pobre em fibras devem ingerir 2 a 6 colheres de sopa de farelo a cada refeição e líquidos em quantidade adequada. O efeito laxante pode demorar 3 a 5 dias e o alívio da obstipação algumas semanas.

Os vegetais e frutas contêm fibra solúvel, mas nem sempre são substitutos adequados do farelo. O farelo pode causar distensão abdominal e flatulência, e deve ser ingerido com muitos líquidos.

2. Banhos de assento

Os banhos de assento podem ser feitos de 3 a 4 vezes por dia, 10 a 15 minutos, com água morna, pois a mesma alivia o desconforto causado pelas hemorróidas que sangram. Estes banhos podem e devem ser feitos após evacuar, em substituição ao uso do papel higiénico.

3. Aumento do consumo de água

20 alimentos ricos em fibra para uma boa saúde intestinal

Ao aumentar o consumo de água, o transito intestinal flui e passa a ter fezes mais amolecidas. Estas fezes não vão causar hemorroidas que sangram.

O artigo continua após o anúncio

O consumo ideal de água está relacionado ao peso e a idade. Em média, um adulto deve ingerir 2000 ml. de água. Se pratica algum desporto, ou se realiza alguma atividade de maior intensidade, pode ser necessário aumentar essa quantidade. Importa ainda observar sempre a cor da urina, que deve ser amarelo citrino e não ter um odor forte.

4. Tratamento com gelo

O tratamento com gelo vai ajudar a reduzir o sangramento, além de funcionar como um analgésico para a dor das hemorróidas que sangram.

5. Pomadas de uso tópico

Hemorroidas que sangram: 5 formas de tratamento

As pomadas atuam reduzindo a dor, a comichão e a inflamação, melhorando a circulação sanguínea e acelerando a cicatrização. Protetores da pele (creme gordo) após a defecação, anestésicos contendo benzocaina, dibucaina ou pamoxina. Pomadas com hidrocortisona são seguras e podem aliviar o prurido.

Diagnóstico das hemorroidas que sangram

O diagnóstico da doença hemorroidária é baseado na história clínica detalhada do paciente, referenciando os sintomas das hemorroidas, combinada com um exame físico do paciente e, principalmente, o proctológico cuidadoso que poderão confirmar a presença da enfermidade ou afastar outras condições que podem causar os mesmos sintomas.

Como diferenciar os sintomas das hemorroidas

É importante salientar que, uma vez descrita a história clínica minuciosa, passa a haver condições para fazer o diagnóstico da doença hemorroidária. Em determinadas situações clínicas e, sobretudo evolutivas, a história pode levantar algumas dúvidas quanto ao diagnóstico. Portanto, é fundamental a realização rotineira de um completo exame físico e, principalmente, o proctológico, para confirmar ou não a suspeita clínica (1).

Entre as patologias com sintomas semelhantes aos sintomas das hemorróidas, temos:

  • Neoplasia retal (adenocarcinoma o mais frequente)
  • Neoplasia de canal anal (principalmente o carcinoma epidermóide e o melanoma)
  • Condiloma acuminado perianal
  • Pólipo retal (pode sangrar e/ou prolapsar)
  • Papila anal hipertrófica (sangramento, prolapso, desconforto anal)
  • Prolapso retal (desconforto local, prurido, sangramento e o prolapso)
  • Fístula anorretal (desconforto local, secreção e prurido)
  • Fissura anal aguda ou crônica (dor e sangramento)

É comum observar pacientes que apresentam queixas relacionadas com o intestino e com o ânus. Muitas vezes acham, erroneamente, que os sintomas são devidos às hemorróidas.

Quando deve consultar um médico?

Ao identificar um dos sintomas das hemorroidas, pode e deve consultar um médico. Todos os pacientes com idade superior a 40 anos, apresentando-se com sangramento retal, devem ser submetidos a uma sigmoidoscopia flexível ou colonoscopia, para afastar a possibilidade da presença de tumores colorretais benignos ou malignos, de doença inflamatória intestinal e de doença diverticular (1).

O artigo continua após o anúncio
Veja também

Fontes

1. FERNANDES, V. (2009). Doença hemorroidária. Revista Portuguesa de Coloproctologia. Disponível em: http://www.spcoloprocto.org/uploads/recomendacoes_doenca_hemorroidaria.pdf
2. Sociedade Brasileira de Coloproctologia. (2009). Folheto Hemorroidas. Disponível em: https://www.sbcp.org.br/pdfs/publico/hemorroidas.pdf