Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
18 Mar, 2020 - 12:31

Declarado estado de calamidade pública em Ovar

Mónica Carvalho

O governo declarou estado de calamidade para o concelho de Ovar, onde se encontram a maioria dos infetados da região centro.

teste ao covid 19

O município de Ovar ficou esta tarde sujeito a “quarentena geográfica”, estando sujeito a uma cerca sanitária, após a Autoridade de Saúde Regional do Centro ter decidido encerrar todos os estabelecimentos e serviços não essenciais e limitar a movimentação de pessoas no território.

A quarentena obrigatória começa a partir de hoje, 18 de março, e só terminará previsivelmente a 02 de abril, altura em que o estado de calamidade decretado será novamente reavaliado.

No município existem 30 dos 51 infetados por Covid-19, o que representa um perigo para a Saúde Pública. A decisão visa, assim, conter a doença numa altura em que já se encontra em fase de contaminação comunitária.

As medidas de quarentena adotadas em Ovar

mulher com máscara de prevenção à janela

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, afirma que tal implica a “criação de uma cerca sanitária a todo o município; estabelecimento de restrições a atividades económicas e circulação de pessoas”, salvaguardando-se situações excecionais, como profissionais de saúde e de socorro residentes em Ovar, assim como o abastecimento de estabelecimentos que devem continuar em funcionamento, como supermercados.

Avança-se ainda com “a limitação de movimentação de pessoas, de e para o concelho de Ovar”.

No que à circulação de comboios diz respeito, a linha do Norte que atravessa o município de Ovar continuará a funcionar, porém “nas estações situadas nesse município, não haverá entrada nem saída de passageiros”, declara o ministro.

Assim, apenas de irão manter abertos os seguintes estabelecimentos: padarias, supermercados, farmácias, bancos e postos de abastecimento de combustíveis.

O controlo de fronteiras no município será feito pelo comando distrital da PSP e pelo comando territorial da GNR.

Em Portugal, estão infetadas 642 pessoas, tendo-se registado a segunda morte, um homem de 73 anos que se encontrava internado num Hospital em Lisboa.

Dos casos confirmados, 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos e os restantes pacientes confirmados com Covid-19 encontram-se a recuperar em casa.

Existem 4.074 casos suspeitos, dos quais 351 aguardam resultado laboratorial. Três cidadãos portugueses já recuperaram da doença.