Enfermeira Filipa Pinto
Enfermeira Filipa Pinto
17 Dez, 2019 - 11:07

Dor de pescoço: causas, diagnóstico, tratamento

Enfermeira Filipa Pinto

Saiba quais as causas mais comuns da dor de pescoço e fique a par de algumas dicas para aliviar as dores.

Dor de pescoço: causas, diagnóstico, tratamento

O pescoço é a parte do corpo que une a cabeça ao tronco. Apresenta grande mobilidade e é formado por vértebras  cervicais que articulam com o crânio, com as clavículas e com a coluna vertebral. O pescoço é suportado por vários músculos que dão os movimentos e o peso à cabeça. Encontra-se menos protegido do que o resto da coluna, sendo vulnerável a diversos tipos de lesões que podem causar dor e limitação de movimentos. Saiba, então, o que está na origem da dor de pescoço.

Dor de pescoço: principais causas

A dor de pescoço pode envolver lesões nos ossos, músculos, discos ou ligamentos, mas também pode ser causada por lesão nos nervos ou medula espinhal.

Causas mais comuns

  • Stresse muscular
  • Entorse de ligamentos
  • Espasmos musculares
  • Artrite (geralmente osteoartrite)
  • Espondilose cervical
  • Estenose da coluna cervical
  • Hérnia
  • Espondilolistese
  • Fratura por compressão (geralmente torácica ou lombar)
  • Fibromialgia
Dor de pescoço: causas, diagnóstico, tratamento

Causas menos comuns

  • Rompimento no revestimento de uma artéria do pescoço (dissecção)
  • Meningite
  • Tumor ou infeção na coluna vertebral
  • Torcicolo  espasmódico (espasmo grave que faz a cabeça inclinar-se e ter uma rotação, adotando uma posição anormal e em alguns casos os espasmos são rítmicos fazendo com que a cabeça se sacuda)
  • Distúrbios gastrointestinais (colescistite, diverticulite, abscessos, pancreatite, úlcera péptica)
  • Doenças pélvicas (gestação ectópica, cancro nos ovários, Doença inflamatória pélvica);
  • Distúrbios pulmonares pleurite, pneumonia)
  • Distúrbios do trato urinário (prostatite, pielonefrite, nefrolitíase)
  • Tumores vertebrais metastáticos (mama, pulmão ou próstata)

Quando consultar o médico?

A dor de pescoço, na maioria dos casos, é temporária. Contudo, em algumas situações é necessário um tratamento médico sendo importante dar relevo a sinais de alerta como:

  • Perda de força ou sensibilidade nos braços e pernas
  • Febre ou calafrios
  • Dor de cabeça intensa
  • Letargia ou confusão mental
  • Desconforto no tórax
  • Sudorese repentina ou dificuldade em respirar
  • Dor que é desencadeada pelo esforço ou que piora durante o esforço
  • Alterações Gastrointestinais (dor à palpação abdominal, sinais de irritação peritoneal, melenas ou hematoquezia)
  • Fatores de risco de infeção (imunossupressão, uso de drogas, cirurgia recente, trauma penetrante ou infeção bacteriana)
  • Dor noturna grave ou incapacitante
  • Perda de peso inexplicável

Como realizar o diagnóstico?

Dor de pescoço: causas, diagnóstico, tratamento

O diagnóstico das dores de pescoço passa pelo exame médico, pela história clínica do utente e pela avaliação da região do pescoço. O estudo radiográfico, por tomografia computorizada ou por ressonância magnética complementa essa avaliação e deve ser solicitado sempre que a dor no pescoço não melhore ao fim de algumas semanas; ou quando existe um traumatismo associado ou a presença dos sinais de alerta.

O exame físico foca a coluna vertebral e o sistema nervoso (exame neurológico), procurando sinais de compressão da medula espinhal ou das raízes nervosas. Com informações acerca da dor, o histórico clínico da pessoa, e os resultados do exame físico, os médicos podem ser capazes de determinar as causas mais prováveis.

A ressonância magnética fornece imagens mais claras dos tecidos moles (incluindo discos e nervos) do que a tomografia computorizada.

A tomografia computorizada fornece melhores imagens dos ossos do que a radiografia simples. A radiografia pode identificar anomalias comuns no osso, como artrite.

Ocasionalmente, a eletromiografia e os estudos de condução nervosa são realizados para avaliar a possível compressão da raiz nervosa.

Qual o tratamento para a dor de pescoço?

A dor músculo-esquelética aguda, com ou sem lesão ou comprometimento de um ou mais nervos e raízes nervosas que passam pela coluna vertebral (radiculopatia) é tratada com:

  • Medicação (Analgésicos, anti-inflamatórios, relaxantes musculares e/ou corticoides)
  • Estabilização lombar e exercícios
  • Calor ou frio
  • Modificação das atividades e do repouso, conforme necessário

Nos indivíduos com dor de pescoço aguda inespecífica (não radicular), pode-se iniciar o tratamento sem uma avaliação exaustiva para identificar a etiologia. Dor no pescoço, com radiculopatia, por exemplo, se a medula espinhal ou nervo espinhal estiver comprimido, pode ser necessária uma cirurgia.

O médico deve tranquilizar o paciente com dor no pescoço aguda não específica que o prognóstico é positivo e que a atividade e exercício são seguros mesmo quando causam algum desconforto.

Dicas para aliviar a dor de pescoço

  • Mexer o pescoço, frequentemente, tentando aumentar a variação de movimentos gradualmente
  • Evitar permanecer sentado por muito tempo, mantendo atividades diárias normais, conforme possível
  • Aplicar calor sobre os músculos da região do pescoço também pode ajudar no relaxamento da musculatura cervical, facilitando alongamentos e diminuindo a inflamação local
  • Se conduzir distâncias longas ou se o tipo de trabalho for maioritariamente sentado, recomenda-se parar e alongar, diminuindo a tensão muscular na zona do pescoço. O banco ou cadeira deve ser regulado de modo a manter as costas direitas
  • Manter a cabeça para trás em direção à coluna, em vez de debruçada para a frente
  • Se possível, dormir de costas e evitar dormir de barriga para baixo. Usar almofada firme e que se adapte à sua curvatura natural do pescoço
  • Usar cinto de segurança e capacete nos desportos motorizados reduz o risco de lesões da coluna cervical
  • Modificar, sempre que possível, as atividades quotidianas que podem contribuir para a dor de pescoço, tais como a posição durante o sono ou quando se está sentado
Veja também