Enfermeira Bárbara Andrade
Enfermeira Bárbara Andrade
02 Out, 2022 - 16:36

Perigos e contraindicações dos andarilhos em bebés

Enfermeira Bárbara Andrade

Muitas vezes os pais de bebés optam por utilizar os famosos andarilhos. Será uma boa decisão? Quais os riscos para os mais novos?

A utilização do andarilho (andador, voador ou aranha) em bebés é relativamente controversa: existem especialistas que recomendam a sua utilização devido a apresentar várias vantagens, no entanto, simultaneamente surge um número cada vez maior de profissionais de saúde especializados que advertem para as contraindicações dos andarilhos em bebés.

Informe-se muito bem antes de tomar qualquer decisão.

Andarilhos para bebés: o que são?

Os andarilhos para bebés são uma espécie de cadeirinhas suspensas com rodas, frequentemente utilizados quando o bebé já apresenta controlo postural e começa a manifestar algum interesse em descobrir o mundo que o rodeia, facilitando a sua deslocação de uma forma relativamente fácil e autónoma.

Este tipo de equipamento de puericultura pode ser utilizado entre os seis e os 15 meses de idade, mas nunca deve ultrapassar os 18 meses, idade em que o bebé deverá já possuir alguma ou total autonomia na marcha e noutras competências como o gatinhar, rebolar, etc.

Contraindicações dos andarilhos em bebés

Apesar de facilitarem a deslocação do bebé, existem algumas contra-indicações dos andarilhos em bebés, tais como:

  • Não podem ser usados na ausência da supervisão de um adulto responsável;
  • Evite a sua utilização em áreas com escadas ou zonas com declives, locais com presença de fios soltos ou pendurados, devido ao elevado de risco de trauma (por quedas, choques ou capotagem), bem como perto de locais que contenham líquidos quentes (risco de queimadura). A verdade é que a maioria das casas não se encontram preparadas para que o bebé brinque à vontade e sem qualquer perigo à sua volta;
  • A sua utilização excessiva é contra-indicada, pelo que se deve utilizar com moderação (períodos de aproximadamente 20 minutos) e apenas de forma esporádica;
  • O uso do andarilho força a criança a permanecer longos períodos de tempo em “bicos de pés”, o que pode de alguma forma condicionar posteriormente a correta colocação dos pés para andar/caminhar por criar posições viciosas, não trazendo qualquer vantagem a nível ortopédico, bem como pode afetar o equilíbrio postural da criança;
  • Atenção, este equipamento não deve ser utilizado em bebés com peso corporal acima dos 12 quilogramas e idade superior a 18 meses.

Uso de andarilhos em bebés: é recomendado ou não?

Muitos fornecedores destes equipamentos defendem que eles estimulam o desenvolvimento psicomotor do bebé, favorecendo os primeiros passos de forma autónoma, mas será que isto é mesmo verdade?

No Boletim de Saúde Infantil e Juvenil dos bebés fornecido pelo serviço nacional de saúde, existe um alerta a informar que os andarilhos para bebés podem, apesar da sociedade pensar o contrário, atrasar quer o gatinhar, quer a marcha do bebé.

O facto de a criança ficar em pé no andarilho impede-a de rolar, sentar-se ou gatinhar, que são as bases para a aquisição da marcha, constituindo-se uma das contra-indicações dos andarilhos em bebés.

Existem outros perigos a ter em conta. Veja abaixo.

  • Estes equipamentos tornam-se perigosos pois, quando o bebé está dentro deste equipamento, ele ganha uma velocidade de cerca de um metro por segundo, movendo-se de divisão em divisão sem qualquer controlo. A rapidez com que se desloca não permite aos pais, na maior parte dos casos, reagir a tempo de impedirem um acidente.
  • Quando o bebé está em cima do andarilho elas ficam mais altas e acedem a tudo muito mais facilmente, podendo facilmente puxar toalhas, pegar em objetos cortantes, alimentos ou líquidos quentes, entre outros;
  • Está comprovado que os andarilhos são dos equipamentos de puericultura que causam mais acidentes ligeiros a graves (como por exemplo no caso dos traumatismos cranianos), pelo que é fundamental que os pais olhem atentamente os movimentos  do bebé e façam uma vigilância adequada para evitar acidentes de percurso.

Artigo originalmente publicado em Abril de 2019. Atualizado em Setembro de 2022.

Veja também