Publicidade:

O papel do pai durante a gravidez: 6 formas importantes de cuidar da grávida e do bebé

Os pais também têm dúvidas e sentem-se inseguros. O papel do pai durante a gravidez passa por estar presente e envolvido durante toda a gestação.

O papel do pai durante a gravidez: 6 formas importantes de cuidar da grávida e do bebé
Criar laços com o bebé deve ser a prioridade do pai.

Apesar de ser a mãe quem está grávida, o pai também está à espera do tão desejado bebé e, muitas vezes, as informações e os recursos disponíveis para o futuro pai são escassos. No entanto, o papel do pai durante a gravidez é deveras importante.

O papel do pai não tem início apenas após o nascimento. Pelo contrário, o pai desempenha tarefas cruciais nos cuidados à mulher grávida e ao bebé que está para nascer. Durante a gestação, o pai acompanha o espantoso processo da gravidez, que acarreta muita felicidade e excitação, mas também uma boa dose de preocupação.

As preocupações do pai, apesar de legítimas, são muitas vezes esquecidas. Apesar de este também sentir necessidade de conforto, apoio e informação, estas necessidades nem sempre são atendidas, dando origem a um sentimento de exclusão.

Qual é afinal o papel do pai durante a gravidez?


o papel do pai durante a gravidez pai a sentir bebe

Quer dar ao ser bebé o melhor início de vida possível, bem como quer cuidar excelentemente da sua companheira, mas não sabe como fazê-lo? Estas 6 dicas vão ajudá-lo!

1. Ajude a sua companheira a lidar com os sintomas da gravidez

As hormonas da gravidez, cruciais para o desenvolvimento do bebé, podem provocar na mulher grávida uma grande variedade de sintomas, difíceis de enfrentar. Como futuro pai não se deve limitar a assistir ao surgimento desses sintomas, sem nada fazer.

Se os enjoos matinais são uma experiência demasiado desagradável para a sua companheira, esteja atento e descubra como pode ajudar. Experimente oferecer-lhe alimentos que atenuem as náuseas, esteja sempre lá para a amparar quando a indisposição chegar, incentive-a a fazer pequenas refeições ao longo do dia e, sobretudo, dê-lhe conforto e carinho.

Não utilize os enjoos e a aversão a determinados alimentos como piada. Se a sua companheira passa o dia nauseada é muito provável que não ache graça. Pelo contrário, ajude-a a manter-se longo dos alimentos que lhe causam repugnância e surpreenda-a com refeições e alimentos que ela adora.

Na gravidez, a exaustão e as alterações no padrão de sono podem ganhar enormes proporções. Ajude a sua companheira a sentir-se confortável, relaxada e descansada. Mime-a.

2. Lute contra o sentimento de exclusão

Sente que é excluído e que toda a atenção recai na sua companheira? Não se preocupe em demasia com essa situação. Apesar de a gestação não estar a acontecer no seu corpo, tal não significa que não a partilhe.

A melhor forma de não se sentir excluído passa por envolver-se. Participe em todas as consultas e exames, coloque à equipa médica que vos acompanha todas as suas dúvidas, adquira novos conhecimentos acerca da gravidez e dos cuidados ao bebé, participe na compra do enxoval, planeie a sua licença de paternidade e aproveite todos os momentos para estabelecer contacto com o seu bebé.

3. Aprenda a sobreviver às bruscas mudanças de humor da sua companheira

É verdade, por vezes, as hormonas parecem apoderar-se da sua companheira, que pode oscilar entre estados de grande entusiasmo, ansiedade ou choro. Seja paciente, até porque a gravidez não dura para sempre e estas alterações são mais exuberantes no primeiro trimestre.

Não leve a peito o mau humor da sua companheira, já que esta dificilmente o consegue controlar. Evite chamar demasiado a atenção para estas alterações bruscas de humor e tente reconforta-la. Convidá-la para fazer exercício ou dar um passeio à beira mar podem ser boas ideias. Experimente!

4. Lide com as suas próprias mudanças de humor

Há estudos que avançam que as hormonas dos homens também sofrem alterações durante a gravidez, embora longe da amplitude com que acontece nas gestantes. Pode sentir-se mais melancólico e ansioso. É natural, uma grande mudança de vida avizinha-se.

Converse, partilhe os seus sentimentos e emoções. Pratique atividade física e mantenha-se ocupado com a preparação da chegada do bebé e vai ver que a ansiedade vai diminuir.

5. Enfrente os seus medos

Qual é afinal o papel do pai durante a gravidez? Serei um bom pai? A minha relação amorosa sofrerá grandes alterações? Conseguiremos fazer face a todas as despesas? Como é que vamos conseguir realizar todos os cuidados ao bebé?

Todas estas perguntas são comuns aos futuros pais. É natural que durante a gravidez se questione e que, apesar do entusiasmo e felicidade, se sinta apreensivo. Tenha calma, afinal de contas, ninguém nasce ensinado.

Apesar de já sentir o amor de pai, as capacidades e habilidades de pai terão que ser aprendidas. Terá a oportunidade de treinar essas competências a cada banho que der e a cada fralda que mudar. Com a prática, o que agora parece assustador, vai tornar-se natural e vai aprender a confiar nos seus instintos paternos.

6. Esteja presente

O papel do pai durante a gravidez passa, acima de tudo, por estar presente. Acompanhe a sua companheira durante toda a gestão, esteja em casa o máximo de tempo possível após o nascimento do bebé, e tenha como prioridade criar laços com o seu bebé, mimar e cuidar da sua companheira.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!