Publicidade:

Desejos durante o período: como controlar?

Os desejos durante o período são difíceis de controlar, principalmente no que diz respeito a alimentos doces. No entanto, é importante salientar que esta maior necessidade de comer, deve-se a alterações hormonais e não propriamente ao aumento das necessidades energéticas nem de fome. Fique a conhecer melhor este tema.

 
Desejos durante o período: como controlar?
Sendo uma altura de desregulação hormonal, a menstruação caracteriza-se pela maior vontade de comer.

A menstruação ou período menstrual, como é vulgarmente designada, é uma altura complicada para a maioria das mulheres, visto que ocorrem alterações hormonais que levam a uma instabilidade de humor, irritabilidade, acne, cólicas e dores de cabeça, entre outros sintomas.

A juntar a isso, existem ainda desejos durante o período de cariz alimentar, principalmente por alimentos de baixa densidade nutricional, ricos em açúcar e / ou gordura.

No entanto, e ao contrário do que muitas mulheres pensam, estes desejos alimentares não refletem uma necessidade fisiológica de um maior aporte energético por aumento de necessidades nutricionais. Eles refletem uma necessidade psicológica por relaxamento e bem-estar, algo frequentemente em falta durante esta altura do mês.

Neste sentido, e principalmente para quem tem necessidade de controlar o peso, é importante não ceder a todos os desejos durante o período e aprender a controlar os seus impulsos, até porque só através da natural retenção de líquidos, a mulher já aumenta cerca 1-3 kg de peso face ao peso habitual.

Porque surgem os desejos durante o período?


desejos durante o periodo e vontade de comer doces

Com o desequilíbrio natural dos níveis de estrogénios que caracterizam a menstruação e a semana que a antecede, as mulheres tendem a ficar um pouco mais tristes / deprimidas, instáveis do ponto de vista emocional e sensíveis.

Neste contexto, o organismo procura combater este espírito mais deprimido através do aumento dos níveis de serotonina (o neurotransmissor do bem estar) e de endorfinas (as moléculas do prazer), potenciando a vontade de comer alimentos ricos em açúcar, que funcionam como alimentos conforto, aumentando os níveis das moléculas acima mencionadas.

Daí resulta a necessidade emocional pelos doces e a grande dificuldade em controlá-la.

Desejos durante o período: como controlar?


1. Faça refeições regulares ao longo do dia

comer de 3 em 3 horas

Como referido anteriormente, os desejos durante o período derivam, essencialmente, de um cenário de fome emocional, resultante das oscilações hormonais que o organismo sofre durante esta fase.

Se a esta fome emocional, juntar uma fome fisiológica, a situação torna-se realmente difícil de controlar.

Neste sentido, faça pequenas refeições ao longo do dia, com um intervalo de cerca de 3h entre elas, de modo a manter a glicemia estável e não ter picos de fome que sejam propícios à satisfação dos seus desejos alimentares.

Obviamente, saltar refeições também deve ser algo em que não deve facilitar precisamente para não descontrolar o apetite para as refeições seguintes.

2. Pratique exercício físico

pilates aula

Pode parecer estranho e até desconfortável que estejamos a aconselhar a prática de exercício nesta altura do mês, mas a verdade é que o exercício tem uma função relaxante, ajuda a aliviar o stress, a controlar melhor os impulsos alimentares e na estabilidade hormonal.

Neste sentido, mesmo que não se sinta nos seus melhores dias, pratique algum exercício físico, sendo interessante optar por aulas de yoga ou pilates para descontrair de forma mais significativa sem forçar muito o seu corpo.

3. Não contrarie todos os seus desejos alimentares

comer pequeno pedaco de chocolate

Permita-se cometer um pecado alimentar durante esta fase, como por exemplo comer um quadrado de chocolate ou uma bolacha / biscoito mais açucarado, pois se contrariar todos os seus desejos durante o período menstrual poderá, ao final de algum tempo, não conseguir controlar a fome emocional e acabar por comer de forma ainda mais descontrolada.

E a sua perdição for mesmo o chocolate, opte pelo seu chocolate preferido, mesmo que esse não seja o negro com 70% cacau. A verdadeira intenção deste “mimo” é que se sinta realizada com a sua escolha e que evite episódios de compulsão alimentar.

O importante é ter sempre em atenção as quantidades e ter apenas este mimo, ou seja, não abrir esta exceção para todos os seus alimentos conforto.

4. Aposte em alimentos ricos em triptofano

frutos secos em tigela de madeira

O triptofano é um aminoácido que, após várias reações biológicas pode ser convertido em serotonina, um neurotransmissor crucial na comunicação entre neurónios e na promoção de sensações de bem estar, felicidade e maior controlo de apetite.

Como tal, os alimentos ricos em triptofano são bons aliados para os desejos durante o período, facilitando o controlo da ingestão alimentar e melhorando o seu estado de espírito.

Além de controlar o apetite, a serotonina modula a qualidade das suas opções alimentares, diminuindo a necessidade por alimentos pouco interessantes do ponto de vista nutricional.

Dentro dos alimentos ricos em triptofano salientam-se as carnes magras, o peixe, ovo, leite e derivados e frutos secos oleaginosos. Aposte diariamente em incluir uma destas fontes de proteína em todas as suas refeições.

5. Recorrer a alimentos de baixo valor energético

gelatina de morango

Outra estratégia para controlar estes desejos alimentares, poderá ser recorrer a alimentos pobres em calorias para enganar a vontade de comer, nomeadamente pastilhas elásticas sem açúcar, gelatinas sem açúcar, bebidas quentes, como chás, vegetais crus, fruta (com moderação), pequenos snacks à base de proteína (iogurtes magros, queijos light, ovo cozido), bolachas sem açúcar, entre outras.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].