Publicidade:

Crianças com necessidades especiais: um desafio para toda a família

Todos somos diferentes e as necessidades especiais são apenas uma característica. Crianças com necessidades especiais precisam de serviços de educação especial e programas educativos individuais. São capazes de atingir os mesmos resultados, mas necessitam de abordagens de ensino distintas e de algum tempo. Saiba tudo.

Crianças com necessidades especiais: um desafio para toda a família
Não esperem perfeição. Esperem felicidade!

A maioria das pessoas não imagina o quanto podemos aprender com as crianças com necessidades especiais. Estamos tão presos à perfeição e aos aspetos materiais da vida que nos esquecemos de observar a riqueza oculta em cada pessoa e de apreciar o quanto a diversidade é enriquecedora.

Naturalmente que nem tudo é um mar de rosas e que as famílias com crianças com necessidades especiais têm intensos desafios pela frente, mas o importante é nunca esquecer que é possível ser feliz na diferença.

Crianças com necessidades especiais


criancas com necessidades especiais

Todas as crianças são diferentes e especiais. Cada criança tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento e as suas próprias necessidades educativas, que devem ser respeitadas. O que acontece é que algumas delas, dadas as características que apresentam, se tornam muito diferentes dos seus pares.

O termo necessidades educativas especiais refere-se ao desfasamento entre o nível de comportamento ou de realização que a criança apresenta e o que dela seria esperado em função da idade. Este conceito aplica-se a todas as crianças que apresentam risco de défice cognitivo (por exemplo, deficiência mental), motor (por exemplo, paralisia cerebral), emocional (por exemplo, psicoses), comportamental ou do desenvolvimento, bem como a todas as crianças que necessitam de serviços de saúde específicos por tempo indeterminado.

Assim sendo, são consideradas crianças com necessidades especiais todas as que apresentam os seguintes problemas:

  • Problemas motores;
  • Dificuldades de aprendizagem;
  • Cegos-surdos;
  • Deficiência mental;
  • Deficiência auditiva;
  • Perturbações emocionais graves;
  • Problemas de comunicação;
  • Deficiência visual;
  • Multideficiência;
  • Dotados e sobredotados;
  • Autismo;
  • Traumatismo craniano;
  • Outros problemas de saúde.

 

Crianças com necessidades especiais: desafio para toda a família


pai e crianca na piscina

Em algum momento, todas as famílias estão sujeitas a algum tipo de alteração na sua dinâmica. De repente pode ocorrer uma crise inesperada, como por exemplo o nascimento de uma criança portadora de um qualquer tipo de necessidade especial.

Receber a notícia de que um filho é portador de necessidades educativas especiais não é fácil. É preciso enfrentar a realidade da perda do bebé idealizado e a existência de um bebé diferente. É uma tarefa árdua e dolorosa para a família.

A família precisa de tempo para fazer o luto da criança idealizada e exteriorizar os seus sentimentos. É através deste processo que a família vai ganhar maior consciência da realidade e aceitar a condição da criança.

Após a fase inicial de impacto vivido pela família, a existência de uma criança com necessidades especiais irá continuar a exigir novas organizações no sistema familiar, para que este consiga responder eficazmente às necessidades da criança. Assim, estas famílias deparam-se diariamente com um sem número de situações e desafios com os quais podem ter grandes dificuldades em lidar.

Muitas vezes, estes pais não têm qualquer tipo de apoio psicológico e, à medida que a criança cresce, outras preocupações surgem, nomeadamente quando se aproxima a idade escolar. Os pais procuram as melhores creches e as melhores escolas mas veem-se confrontados com novas dificuldades: nem sempre a organização escolar está preparada para receber adequadamente crianças com necessidades especiais.

Apesar de todas estas contrariedades e desafios, os pais de crianças com necessidades especiais podem encontrar dentro de si habilidades para reaprenderem a ser uma família feliz.

Escola e Família: trabalho de equipa


terapeuta e crianca

O trabalho colaborativo entre os docentes, as famílias, os psicólogos e os restantes elementos da equipa que acompanha a criança é essencial. Cada técnico, com a sua especialidade, ajudará a família e a criança nas seguintes áreas de intervenção:

  • Estimulação sensorial (por exemplo, reagir a estímulos visuais);
  • Motricidade (por exemplo, controlar a postura);
  • Atividades da vida diária (por exemplo, alimentação; vestir; higiene);
  • Comunicação;
  • Relações interpessoais (por exemplo, reagir ao contacto físico com outra pessoa);
  • Cognição (por exemplo, adquirir noções de tamanho, cor e forma);
  • Ocupação (por exemplo, realizar trabalhos em madeira);
  • Tempos livres.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!