Entenda o funcionamento do ciclo sexual da mulher

Todos os meses, enquanto estiver em idade fértil, o corpo da mulher sofre um conjunto de alterações ao nível do útero. Saiba mais sobre o ciclo sexual da mulher.

Entenda o funcionamento do ciclo sexual da mulher
Saiba mais sobre este ciclo.

O ciclo sexual da mulher envolve o conjunto das alterações fisiológicas que ocorrem nas mulheres em idade fértil, que são alterações cíclicas que ocorrem todos os meses, com a finalidade da reprodução sexual e da fecundação.

A idade fértil é o período que ocorre entre a menarca (1ª menstruação da mulher) e a menopausa (última menstruação), correspondendo ao período em que a mulher pode engravidar se não existirem problemas anatómicos/fisiológicos com ela ou com o seu parceiro.

Apesar de não ser estanque, normalmente a menarca ocorre por volta dos treze anos de idade e significa que o corpo já está preparado para a reprodução.

Este ciclo que é de extrema importância na mulher, é dividido no ciclo ovárico e no ciclo uterino, em cada um ocorre uma série de transformações sincronizadas nos ovários e no útero respetivamente, que funcionam de maneira cíclica e não de forma contínua.

Este ciclo tem uma duração diferente para cada mulher, tendo uma duração média de 28 dias (mas pode variar entre 20 e 45 dias), contando-se a partir do primeiro dia da menstruação ao dia anterior da próxima menstruação.

Este ciclo é regulado pela complexa interação entre as hormonas foliculoestimulante (FSH) e luteinizante (LH), produzidas no cérebro, com as hormonas produzidas pelos ovários, estrogénio e progesterona.

Ciclo sexual da mulher: ciclo ovárico


ciclo sexual da mulher

O ciclo ovárico é o período durante o qual é produzido o óvulo, recolhido pelas Trompas de Falópio e transportado até ao útero, e tem essencialmente 3 fases:

1. Fase folicular

Esta fase tem uma duração de 14 dias, inicia-se no 1º dia de cada ciclo, começando com o desenvolvimento de folículos (é uma estrutura localizada no ovário que permite o crescimento e libertação do óvulo).

Tudo começa quando a hipófise aumenta ligeiramente a secreção da hormona folículo-estimulante (FSH), o que estimula o crescimento de 3 a 30 folículos, cada um contecndo um óvulo, os folículos estimulados produzem estrogénio, estimulando o espessamento do endométrio e a formação de vasos, no entanto só um folículo continua a crescer e os outros degeneram.

O principal folículo continua a desenvolver-se e a crescer, produzindo mais rapidamente estrogénio. Os níveis de LH e FSH mantêm-se baixos, no entanto estáveis, suportando o desenvolver do folículo. Esta fase termina precisamente antes do aumento da LH que antecede a ovulação.

2. Fase ovulatória

A fase ovulatória começa após 14 dias do inicio do ciclo sexual da mulher, verifica-se o aumento progressivo da LH, que 16 a 32 horas depois resulta num pico de concentração, levando à rotura do folículo, permitindo a saída do óvulo ou oócito, que irá descer pelas trompas de Falópio até ao útero. O óvulo fica aí alojado à espera que ocorra a fecundação pelos espermatozoides, no caso de esta não ocorrer, o óvulo continua a descer.

3. Fase luteínica

Esta fase dura cerca de 14 dias e termina imediatamente antes do início da maturação de um novo folículo, podendo ocorrer uma das duas situações:

  • Inicia-se a formação e o desenvolvimento do corpo amarelo ou lúteo, que consiste no folículo rebentado, segregando elevadas quantidades de estrogénio e progesterona;
  • O óvulo não é fecundado, logo o corpo amarelo começa a degenerar-se, acabando por sair com a menstruação.

 

Ciclo sexual da mulher: ciclo uterino


ciclo menstrual

Este ciclo prepara a parede mais interna do útero designada de endométrio, para acolher um eventual embrião em caso de fecundação, devido à ajuda das hormonas ováricas. Esta preparação envolve um conjunto de modificações que se dividem em 3 fases:

1. Fase Menstrual

O início é marcado pelo surgimento da menstruação, esta tem uma duração variável, no entanto a duração média é de 3 a 5 dias, que corresponde a uma perda sanguínea devido à rutura dos vasos sanguíneos, destruição parcial ou descamação da camada superficial do endométrio e expulsão do oócito. Esta descamação resulta da diminuição de estrogénios e progesterona, devido ao desaparecimento do corpo lúteo.

2. Fase proliferativa

Com o desenvolvimento de um novo folículo, o endométrio engrossa novamente estimulado por um aumento da produção hormonal de estrogénios, esta fase tem uma duração aproximada de 9 dias.

Depois da evolução, a secreção de progesterona permite que o endométrio passe pelas últimas mudanças que o deixarão apto a acolher um embrião, se o oócito for fecundado. Na ausência da fecundação, o ciclo uterino recomeça. A duração média de um ciclo é de 28 dias.

Estas alterações têm como objetivo principal tornar o endométrio propício a receber e nutrir o óvulo fecundado, desta forma, o endométrio produz grandes quantidades de reservas nutritivas. Nesta fase ocorre também, uma alteração no muco cervical, que passa para um exsudado fino e pegajoso, de forma a auxiliar a subida dos espermatozoides até ao útero.

3. Fase secretora

É nesta fase que o endométrio atinge a sua espessura máxima e ocorre uma produção das hormonas progesterona e estrogénio, por parte das glândulas do útero. O objetivo da atividade destas hormonas é preparar o útero para a chegada de um possível embrião, provocando os seguintes acontecimentos:

  • Estrogénio: leva a um crescimento adicional do endométrio;
  • Progesterona: desenvolve as glândulas secretoras e tecido conjuntivo, o que torna o endométrio rico em nutrientes, ajudando o embrião a fixar-se.

Caso não ocorra a fixação do embrião, o corpo lúteo degenera, há quebra dos níveis de estrogénio e progesterona, e aparece a menstruação, iniciando-se um novo ciclo.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.