Publicidade:

Chás para a retenção de líquidos: 3 opções que comprovadamente funcionam

A retenção de líquidos pode ser bastante incómoda. Para evitar esse desconforto, conheça e experimente estes chás para a retenção de líquidos.

 
Chás para a retenção de líquidos: 3 opções que comprovadamente funcionam
Livre-se da retenção de líquidos com estas bebidas

A funcionalidade dos supostos chás para a retenção de líquidos é uma incógnita até hoje. Alterações hormonais, voos de avião e demasiado sal na dieta podem fazer com que o corpo retenha mais água. Quando o estado de hidratação não é o ideal, o nosso organismo tende a reter mais água, provocando uma sensação de inchaço generalizado, mas especialmente nos membros inferiores e na zona abdominal.

A retenção de líquidos é um problema bastante comum que pode ter como génese vários fatores incluindo a dieta, o ciclo menstrual ou mesmo a predisposição genética. No entanto, nem tudo está perdido, uma vez que este problema pode ser contornado através de algumas alterações no estilo de vida.

De seguida, destacamos apenas os 3 chás para a retenção de líquidos com efeito em humanos, mas alertamos para a necessidade de consultar o seu médico ou nutricionista, especialmente se tomar algum tipo de medicação que possa apresentar interação fármaco-nutriente.

Chás para a retenção de líquidos


1. Cavalinha

Chás para a retenção de líquidos: cavalinha

O chá de cavalinha é utilizado frequentemente para combater a retenção de líquidos. Um ensaio clínico em voluntários saudáveis concluiu que a toma de 900 mg/dia de cavalinha produzia os mesmos efeitos de 25 mg/dia de hidroclorotiazida, um medicamento diurético, sem que se tenha verificado qualquer efeito adverso na sua toma aguda (5).

Numa revisão de literatura de 2007 foram obtidos resultados semelhantes, embora algumas espécies tenham provocado maior excreção de sódio e potássio do que outras (6).

Para além disso, alguns estudos sugerem que o extrato de cavalinha – ou qualquer produto contendo esta planta associada ao cálcio – tem a capacidade de aumentar a densidade mineral óssea em mulheres com osteoporose e após a menopausa (10).

2. Quebra-pedras (Phyllanthus amarus)

Chás para a retenção de líquidos: quebra-pedras

O chá quebra-pedras é tradicionalmente usado no tratamento de pedra nos rins, apresentando potencial anti hipertensor, analgésico, laxante e antissético entre outros (6).

Um estudo em humanos avaliou o seu papel na retenção de líquidos, mostrando que tanto o volume urinário como o sódio eliminado aumentaram no grupo que recebeu a suplementação de 5 gramas durante 10 dias (7).

Salienta-se, no entanto, que o desenho do estudo não foi dos melhores, uma vez que o grupo controlo era muito pequeno e não houve randomização dos participantes ao ponto de que o grupo de intervenção apresentava maiores valores de tensão arterial, fator que pode ter influenciado nos resultados favoráveis.

3. Chá de Hibisco

Chás para a retenção de líquidos: hibísco

Várias partes desta planta são usadas com propriedades diferentes. De facto, as folhas e cálices de hibisco são tradicionalmente utilizadas pelos seus efeitos diuréticos, sedantes e hipotensores (6).

Foi realizado apenas um ensaio clínico de forma a avaliar o potencial drenante dos cálices, tendo-se concluído que a ingestão de 10 gramas de hibisco em 500 mL de água ingeridos ao pequeno-almoço tinham um potencial hipotensor semelhante ao do captopril. Para além disso, a eliminação de sódio através da urina também aumentou (8).

No entanto, são necessários mais estudos de forma a avaliar o efeito agudo e crónico da ingestão deste produto.

Alguns dos chás para a retenção de líquidos mais populares, como é o caso do dente-de-leão, espinheiro, zimbro, verde e salsa entre outros, apresentam resultados apenas em estudos pré-clínicos e in vitro pelo que é ainda impossível – e possivelmente perigoso – extrapolar os resultados para humanos (69). São necessários ensaios clínicos controlados de forma a analisar o papel destes e outros chás na retenção de líquidos.

Como quase todos os suplementos à base de plantas, nenhum destes chás está aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) e, como tal, a sua ação terapêutica não pode ser devidamente confirmada. Devido ao  potencial efeito diurético, há risco de perda excessiva de nutrientes essenciais como o potássio e o sódio com a toma exagerada destes chás pelo que recomendamos que se aconselhe com o seu médico ou nutricionista quanto aos potenciais riscos associados a esta prática.

Sintomas da retenção de líquidos


Chás para a retenção de líquidos

Os sintomas da retenção de líquidos incluem:

  • Inchaço, especialmente na zona abdominal, mas também na cara e ancas;
  • Pernas, pés e tornozelos inchados;
  • Rigidez articular;
  • Variações de peso;
  • “Pregas” cutâneas, semelhantes àquelas que se verifica nos dedos quando se tomam banhos mais prolongados.

Causas da retenção de líquidos


Vários fatores podem contribuir para a retenção de líquidos, incluindo:

  • Voos de avião: Alterações de pressão na cabine e ficar sentado durante muito tempo podem alterar a circulação sanguínea e de líquidos;
  • Estar em pé/sentado durante muito tempo: A gravidade faz com que o sangue se acumule e permaneça nas extremidades. É importante que se levante e se movimente, especialmente se tiver um trabalho sedentário;
  • Ciclo menstrual e alterações hormonais: alterações nos níveis séricos de hormona anti-diurética e prolactina interferem na eliminação de sódio, aumentando a retenção de líquidos (1).
  • Ingestão de sódio: Utilizar bastante sal e ingerir alimentos processados ou refrigerantes podem aumentar a retenção de líquidos.
  • Fármacos: medicamentos ou tratamentos como a quimioterapia, alguns anestésicos, anti-depressivos ou antihipertesores podem influenciar na quantidade de líquidos retidos;
  • Insuficiência cardíaca: O edema é uma das principais características da insuficiência cardíaca mas a sua origem pode ser muito variada. No fundo, um coração com menor capacidade de débito faz com que o corpo acumule mais água (2).
  • Trombose venosa profunda: A formação de coágulos nas veias das pernas pode impedir o correto fluxo do sangue, potenciando a retenção hídrica;
  • Gravidez: As flutuações de peso durante a gravidez, aliadas ao descanso que muitas vezes é imposto principalmente nas últimas semanas de gestação, podem contribuir para a retenção de líquidos nas pernas.

Diuréticos naturais: o que são?


Chás para a retenção de líquidos

Algumas ervas medicinais ou concentrados de substâncias apresentam efeito diurético comprovado. Uma vez que são considerados mais seguros que os fármacos tradicionais (3), o uso indiscriminado de ervas medicinais para prevenção ou tratamento de doenças tem crescido, mesmo que as suas ações terapêuticas são questionáveis do ponto de vista científico.

Devido aos potenciais efeitos secundários graves, a maior parte das plantas medicinais são pouco estudadas; para além disso, são atribuídos vários efeitos terapêuticos às plantas medicinais, a maior parte das vezes observados em células in vitro ou modelos animais e não em humanos.

A verdade é há relatos de casos de insuficiência renal e hepática bem como alterações neurológicas associadas à toma de suplementos ou chás de ervas (4).

Veja também:

Nutricionista Hugo Canelas Nutricionista Hugo Canelas

Hugo Canelas é nutricionista (CP 1389N), licenciado em Ciências da Nutrição pela Escola Superior de Biotecnologia e mestre em Nutrição Clínica pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto. É professor assistente convidado da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Brangança desde 2018 e Nutritional Consultant do projeto de perda de peso “360em63”.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].