Publicidade:

Cão de Crista Chinês: tudo o que precisa de saber sobre esta raça

Visualmente, o Cão de Crista Chinês destaca-se dos outros cães, pois a sua variedade mais conhecida é desprovida de pelo. Não sendo considerada a raça mais bonita do mundo, trata-se, no entanto, de um companheiro fiel e brincalhão que adora colo. Amigável com quase todos os que se cruzam consigo, fará de tudo para agradar.

Cão de Crista Chinês: tudo o que precisa de saber sobre esta raça
Um "cãopanheiro" à medida.

O Cão de Crista Chinês tem duas variedades, sendo que a primeira é a mais conhecida e a mais fácil de ser encontrada atualmente. Ambas podem nascer da mesma ninhada.

  • Hairless – sem pelo, com excepção das patas, cabeça e cauda;
  • Powderpuff – com pelo longo e fino por todo o corpo.

A raça apresenta também duas variedades de ossatura:

  • Deer Type – ossatura fina;
  • Cobby Type – ossatura e constituição mais pesada.

 

Características gerais do Cão de Crista Chinês


Grupo: Grupo 9 – Cães de Companhia

Finalidade: cão de companhia

Ambiente ideal: apartamento

País de Origem: China

Porte: pequeno

Altura: de 27cm a 33cm

Peso ideal: de 4kg a 6kg

Cor: São admitidas todas as cores, sólidas, mistas ou manchadas, mas as mais comuns são castanho, cinza, mogno, preto, creme

Esperança Média de Vida: entre 10 a 14 anos

Preço médio: de 480€ a 960€

 

Características específicas do Cão de Crista Chinês


É um cão sensível que precisa de tutores pacientes e pouco ríspidos. Tem alguma tendência para fugir e pode ser difícil capturá-lo, devido à sua teimosia, outra das características da raça. Também são bons em saltos e escalada, por isso certifique-se que a sua casa está bem cercada.

Com pouca necessidade de exercício físico, não será o companheiro de corridas ideal, mas vai necessitar de estimulação mental frequente. Dá-se bem com crianças, outros animais e pessoas estranhas, mas mantém-se alerta.

Energia
Inteligência
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor
Cuidados de higiene
Tendência para problemas de saúde
Facilidade de aprendizagem
Socialização com crianças
Socialização com estranhos
Socialização com cães
Socialização com gatos

Fases da vida do Cão de Crista Chinês


Bebé

0 – 6 meses

Adulto

6 meses – 10 anos

Idoso

10 – 14 anos

 

Físico do Cão de Crista Chinês


cao de crista chines

A sua característica mais marcante é a ausência de pelo em grande parte do corpo, excepto nas patas, na cauda e na cabeça, onde forma uma crista, que dá nome à raça. Mas também há uma variedade com pelos, mais rara. Ambas apresentam um corpo comprido, mas flexível, com dorso horizontal.

A cabeça é triangular e achatada, sem muitas rugas e com um focinho que se afina gradualmente. As patas são compridas e finas.

Temperamento do Cão de Crista Chinês


Em geral, o Cão de Crista Chinês é um cão bem-disposto e alegre, nunca arisco nem agressivo. Muito apegado aos donos, não será difícil conquistar a sua confiança, mas deve ser treinado para receber ordens de toda a família ou poderá desenvolver alguma timidez.

Adapta-se bem à vida num apartamento, embora não deva ser deixado sozinho durante muito tempo, pois pode sofrer de ansiedade de separação. O Cão de Crista Chinês calvo é, por norma, mais carente que a variedade Powderpuff, que possui uma natureza mais independente.

Problemas de Saúde do Cão de Crista Chinês


Pele

  • Problemas dermatológicos (cravos, alergias, insolação).

Dentes

  • Problemas dentários (cáries e perda de dentes).

Olhos

  • Atrofia progressiva da retina.
  • Glaucoma.
  • Síndrome do olho seco.

 

Cuidados a ter com o Cão de Crista Chinês


Temperatura

  • São muito sensíveis a variações de temperatura. Quando está frio e húmido, a variedade sem pelo deve sair à rua com um casaco próprio para cães. Algumas pessoas defendem que, nos dias mais quentes, é importante usar protetor solar e hidratante, mas informe-se melhor sobre este assunto com o médico veterinário.

Pelo e pele

  • A variedade Powderpuff deve ser escovada semanalmente e ter o focinho aparado a cada duas semanas. Depois do banho, que deve ser dado com alguma frequência com produtos de qualidade, é importante secar muito bem a pele, evitando assim uma dermatite.

Dentes

  • Escove duas a três vezes por semana. A partir dos 2/3 anos aposte mais na comida húmida para evitar a perda de dentes.

 

Origem do Cão de Crista Chinês


Com uma origem difícil de precisar, há relatos de que os cães desta raça teriam pertencido a famílias da dinastia Han, uma das mais importantes da cultura chinesa. Na altura, era uma raça maior e mais forte, cuja função era guardar o tesouro real. As variedades mais pequenas eram usadas pelos marinheiros que levavam os animais nos barcos para caçar ratos e outras pragas. Nos portos, eles eram trocados e foi desta forma que o Cão de Crista Chinês se espalhou pelo mundo.

No final do século XIX e início do século XX, chegou aos Estados Unidos da América já com uma aparência semelhante aos parâmetros atuais, tornando-se popular nas exposições que iam acontecendo no país.

Curiosidades sobre o Cão de Crista Chinês


A nível de aparência, o Cão de Crista Chinês não gera unanimidade e durante muitos anos foi o vencedor de uma competição norte americana que elege o cão mais feio do mundo.

O Cão de Crista Chinês apareceu em vários filmes e séries de televisão populares. Fluffy era o animal de estimação de Cruella de Ville em Os 102 Dálmatas; Krull, o de Kate Hudson a Matthew McConaughey em Como Perder um Homem em 10 Dias; e Halston, o da personagem Amanda em Betty Feia.


Conheça mais raças de cães:

Todas as raças de cães

Todas as
raças de cães

Raças de cães pequenos

Raças de
cães pequenos

Raças de cães médios

Raças de
cães médios

Raças de cães grandes

Raças de
cães grandes

Mafalda Braga Mafalda Braga

Depois da licenciatura em Comunicação Social e Cultural e do mestrado em Media e Jornalismo, tirados na Universidade Católica Portuguesa, fez um estágio na extinta Rádio Clube Português e outro na Revista Máxima, onde ficou a trabalhar durante cinco anos e meio. Passou ainda pela Revista Must, suplemento do Jornal de Negócios, e atualmente é jornalista freelancer. Além desta área, tem uma grande paixão por cinema, viagens, animais e comida, de preferência com muito sol a acompanhar.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].