Mariana Falcão de Castro
Mariana Falcão de Castro
11 Jun, 2017 - 17:46

NOS Primavera Sound: último dia…e que dia!

Mariana Falcão de Castro

Mais uma vez, dezenas de milhares de pessoas marcaram presença no último dia do NOS Primavera Sound, com a felicidade estampada nas suas caras.

NOS Primavera Sound: último dia...e que dia!

Tendo como cenário o por do sol mais bonito dos 3 dias, Sampha começou, precisamente, às 21h este último dia do NOS Primavera Sound.

Um concerto que começou de forma algo tímida, mas que foi crescendo em qualidade, tendo registado o momento alto quando toda a banda se juntou em torno de uma bateria, tocando simultaneamente. Com todo o carisma e qualidade musical, Sampha proporcionou um espetáculo animado, definindo o mind set para Metronomy, que se seguiu.

Os britânicos Metronomy deram um concerto brilhante e recheado de êxitos no último dia do festival NOS Primavera Sound, para entusiasmo da plateia. Com uma energia aparentemente inesgotável e quase sem paragens entre os temas, as pessoas que assistiam ao concerto dançaram e cantaram alegremente até ao final. Despediram-se com “The Look” e “Reservoir” e deixaram boas recordações.

Aphex Twin: ‘O’ concerto do Primavera

Primavera Sound_ultimodiaint

Sim, leu bem. Consideramos, sem pensar, que o techno pesado de Aphex Twin foi o concerto desta edição do NOS Primavera Sound. Ou não fosse ele um dos músicos do panorama eletrónico mais preponderantes e inovadores da sua geração.

As atuações ao vivo de Aphex Twin são uma raridade, motivo pelo qual este artista de culto arrastou muitos fãs fervorosos ao festival. Mas não só. Incontáveis curiosos.

Com um início caótico, muitos foram aqueles que não sabiam bem o que esperar. Mas Aphex Twin soube jogar com a situação, prendendo o nosso interesse e vontade de querer ver mais, ver o que acontecia a seguir.

Dispararam lasers verdes e ondas pelo céu, num momento eletrizante. Ao longo de todo o concerto, os diversos ecrãs espalhados pelo palco faziam videomapping com a cara das pessoas no público, para seu delírio. Olhámos para trás e vários estavam boquiabertos com o espetáculo.

Não cedendo a previsibilidades rítmicas e, por vezes, dando para dançar, outras não, basicamente, cada um interpretou o techno e drum’n’bass de Aphex Twin à sua maneira.

No final, a pergunta – “então, o que achaste?”. Ouviam-se opiniões unânimes: sem uma explicação muito precisa, a malta adorou a experiência.

O que acharam os festivaleiros

A opinião foi unânime relativamente às bandas – boas escolhas e excelentes concertos!

A oferta ao nível da restauração foi variada; da carne argentina, ao sushi, passando pelas opções vegetarianas e pelas tipicamente Portuenses.

Os postos onde ofereciam coroas de flores e a maquilhagem com purpurinas agradou a praticamente todas as mulheres (e homens também) do festival. Todavia, há coisas que podem melhorar. Havia filas extensas à porta de todos os WC’s e às horas de maior afluência de pessoas.

A organização já emitiu um comunicado oficial a dizer que não aumentará o número máximo diário de bilhetes à venda para as próximas edições (30.000), como tal, talvez devam aumentar o número de quartos de banho e mictórios, evitando esperas de, por vezes, 30 minutos.

Deixamos-vos aqui o link para que possam responder ao Inquérito de satisfação NOS Primavera Sound.

O Vida Ativa adorou o festival e, para ano, está de volta! E você, o que achou?