Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
04 Mar, 2020 - 14:06

Dia Mundial da Obesidade: mais de metade dos portugueses tem excesso de peso

Mónica Carvalho

No Dia Mundial da Obesidade, destaca-se o tema “The Roots of Obesity Run Deep – Together we can create a healthier future”, que visa alertar para o problema.

Mulher a pesar-se numa balança

Até à data, o Dia Mundial da Obesidade assinalava-se a 11 de outubro, mas a partir de 2020, 04 de março é a data eleita para destacar a importância de abordagens que alertem para a prevenção e tratamento da obesidade, apelando-se ainda a uma responsabilidade coletiva para fazer face a este problema.

O tema escolhido para celebrar a data este ano é “The Roots of Obesity Run Deep – Together we can create a healthier future”, ou seja, “As raízes profundas da obesidade – juntos podemos criar um futuro mais saudável”. Para cumprir com o propósito, o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) destaca alguns números que mostram a capacidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em avaliar antropometricamente as crianças portuguesas, de modo a intervir antecipadamente em situações problemáticas.

O PNPAS destaca que, em 2019, os Cuidados de Saúde Primários avaliaram o peso e a altura de 64.822 crianças com 2 anos, 63.849 crianças com idades entre os 5 e os 7 anos e 57.832 crianças com idades entre os 11 e os 14 anos, de modo a agir preventivamente para que as situações problemáticas registadas não se agravem.

Registaram-se ainda outros números preocupantes: a obesidade afeta mais de 20% da população adulta portuguesa, sendo que o excesso de peso, seja nos estados de obesidade e pré-obesidade, está presente em mais de metade da nossa população.

dia mundial da obesidade em cima da balanca

Nesse sentido, dada a elevada prevalência da obesidade, o PNPAS revela que este é um problema de elevado impacto económico e social, visto que o custo associado ao tratamento é um “peso pesado” nas despesas em saúde.

Além disso, a obesidade e problemas consequentes são também responsáveis por perdas importantes ao nível da produtividade. “De acordo com o relatório The Heavy Burden of Obesity – The Economics of Prevention, da OCDE, em Portugal, 10% da despesa total da saúde é utilizada para o tratamento de doenças relacionadas com o excesso de peso, uma percentagem superior à média dos países da OCDE (8,4%), valor que representa 3% do Produto Interno Bruto.”

O relatório faz ainda uma previsão de futuro alarmante: entre 2020 e 2050, o excesso de peso e as doenças associadas poderão contribuir para uma diminuição da esperança média de vida em cerca de 2,2 anos.

Logo, é urgente a necessidade de uma aposta forte na área da prevenção da obesidade, assim como um maior investimento em ações e políticas que promovam estilos de vida saudáveis.