Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
20 Dez, 2019 - 11:06

DGS alerta para os perigos dos cigarros eletrónicos

Mónica Carvalho

Todos conhecem as consequências do consumo do tabaco. Agora, a Direção-Geral de Saúde alerta para os problemas causados pelos cigarros eletrónicos.

DGS alerta para os perigos dos cigarros eletrónicos
O artigo continua após o anúncio

A Direção-Geral de Saúde (DGS) e Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) alertam para o perigo de doença pulmonar grave associada à utilização de cigarros eletrónicos.

O aviso é feito na sequência da deteção de 2.290 casos de doença pulmonar grave e de 47 óbitos nos EUA, desde agosto de 2019, associados à utilização de cigarros eletrónicos ou tabaco aquecido. Canadá, Filipinas, Bélgica e Suécia estão também em alerta para a mesma situação, que tem vindo a ser, inclusivamente, discutida na Comissão Europeia, em termos de avaliação e gestão de risco e eventuais medidas a adotar.

O perigo do consumo deste produto deve-se à grande diversidade de líquidos utilizados em cigarros eletrónicos, com e sem nicotina, e com diferentes tipos de aromas, no mercado. Apesar de ainda não existiram provas mais concretas, os dados recolhidos até ao momento apontam como principais culpadas determinadas substâncias, nomeadamente o acetato de vitamina E, o canabidiol e outros derivados de canábis e o diacetil.

Os alertas da DGS

cigarros eletronicos

Mediante estas informações, nunca é demais lembrar os cuidados a ter, de acordo com a DGS:

  • Os cigarros eletrónicos e qualquer produto de tabaco não são seguros, inclusivamente o tabaco aquecido – todos apresentam riscos para a saúde e não devem ser consumidos;
  • Os cigarros eletrónicos nunca devem ser usados, particularmente por jovens, jovens adultos ou mulheres grávidas;
  • A DGS e o SICAD desaconselham o uso de cigarros eletrónicos, particularmente os que têm líquidos contendo canabidiol e outros derivados de canábis, acetato de vitamina E e diacetil;
  • A DGS e o SICAD alertam os consumidores de cigarros eletrónicos para que não modifiquem ou adicionem quaisquer substâncias aos líquidos para cigarro eletrónico legalmente comercializados e devidamente rotulados pelo fabricante, ou usem líquidos ou produtos comprados fora dos circuitos legais de comercialização, incluindo através da Internet;
  • Deve prestar sempre atenção às instruções de uso e contraindicações que, obrigatoriamente, acompanham os cigarros eletrónicos;
  • Os cigarros eletrónicos devem ser mantidos fora do alcance das crianças;
  • Os consumidores de cigarros eletrónicos devem estar atentos a determinados e sintomas e procurar ajuda médica no caso do seu aparecimento: tosse, falta de ar, dor no peito, febre, calafrios, náuseas, vómitos, dor abdominal ou diarreia;
  • Recorrer aos cigarros eletrónicos para deixar de fumar não é uma boa alternativa. Antes devem considerar a utilização de terapêuticas de substituição de nicotina aprovadas pelo INFARMED, ou procurar apoio junto do seu médico ou de uma consulta de apoio à cessação tabágica.

Fonte

1. Direção-Geral de Saúde. Disponível em: https://www.dgs.pt/em-destaque/dgs-e-sicad-alertam-para-doenca-pulmonar-grave-associada-a-utilizacao-de-cigarros-eletronicos.aspx