Enfermeira Isabel Silva
Enfermeira Isabel Silva
30 Nov, 2017 - 16:50

Astigmatismo infantil: esteja atento aos primeiros sintomas

Enfermeira Isabel Silva

O seu filho sofre de dor de cabeça? Comichão nos olhos? Tonturas? Provavelmente sofre de astigmatismo infantil. Esteja atento aos primeiros sintomas para intervir o mais precocemente possível.

Astigmatismo infantil: esteja atento aos primeiros sintomas
O artigo continua após o anúncio

O astigmatismo é uma perturbação ocular que se caracteriza pela visão desfocada das imagens, tanto ao perto como ao longe. No caso das crianças, o astigmatismo infantil, afeta-as quer na visão ao perto como ao longe, devido à superfície da córnea não ser totalmente côncava mas sim ovalada.

Esta doença oftalmológica está, normalmente, associada a outros problemas oculares como miopia ou hipermetropia e apresenta um grande impacto negativo na qualidade de vida.

A incidência do astigmatismo varia com a idade, sendo que é um problema bastante frequente nos primeiros meses de vida (aproximadamente 20%), diminuindo para cerca de 5% na idade escolar e nos jovens adultos atinge perto de 60% dos indivíduos.

Em Portugal, estima-se que aproximadamente 20% das crianças sofrem de erros refratários, incluindo o astigmatismo.

O que é o astigmatismo?

O astigmatismo é um erro refractivo, ou seja, é uma alteração na fisionomia ocular que interefere na forma como as imagens são formadas e ao cérebro.

É um doença oftalmológica relativamente comum, correspondendo a aproximadamente 13% de todos os erros refrativos. Outros erros refrativos também muito comuns são a miopia e a hipermetropia.

Este problema surge devido a uma alteração da curvatura da córnea, a camada mais anterior dos olhos. A córnea devia ser perfeitamente convexa mas, ao invés disso, apresenta-se irregular. Esta alteração faz com que, quando as imagens são projetadas na retina, sejam distorcidas ao passar pela córnea, fazendo com que elas surjam desfocadas.

Causas do astigmatismo infantil

A causa do astigmatismo ainda não é bem conhecida. Normalmente, a criança nasce com astigmatismo e, na maior parte dos casos, aparece associado a hipermetropia ou miopia.

A sua origem é genética embora, em alguns casos, possa aparecer após um trauma ou cirurgia ocular.

O artigo continua após o anúncio

Sintomas do astigmatismo infantil

crianca com dores de cabeca

As manifestações mais frequentes do astigmatismo infantil são dores de cabeça, comichão nos olhos e tonturas, devido ao facto do astigmatismo infantil estar associado à miopia ou à hipermetropia. Deve estar atento a pequenos sinais que podem indicar que o seu filho sofre desta perturbação ocular:

  • Dores de cabeça ao sair da escola;
  • Olhos irritados;
  • Sensibilidade à luz;
  • Cerra os olhos para ver melhor ao longe;
  • Aproxima muito os objetos do rosto para ver melhor;
  • Coloca o rosto muito próximo dos livros e revistas para ler;
  • Diminuição do rendimento escolar.

Estes sintomas podem por vezes ser confundidos com transtornos ao nível da escrita, já que muitas crianças, pelo facto de não conseguirem ver bem, pode trocar letras como p com q, ou b com d.

Por vezes as crianças também rodam a cabeça, à procura de uma forma através da qual conseguem ver um pouco melhor.

Tratamento do astigmatismo infantil

uso de oculos de correcao

Se esta perturbação não for detetada e corrigida atempadamente, a criança pode vir a ter várias dificuldades emocionais e de aprendizagem.

Os problemas de focagem nas crianças são normalmente resolvidos com recurso à utilização de óculos. Para as crianças mais pequenas existem óculos especiais e adaptados, com lentes inquebráveis e armações feitas em borracha, para que não provoque lesões em caso de queda.

No caso de existir um astigmatismo significativo que esteja presente desde os primeiros anos de vida e que não tenha sido corrigido até aos 5 ou 6 anos de idade, pode desenvolver-se um quadro que se designa por ambliopia, o chamado “olho preguiçoso”. Este problema provoca uma alteração do desenvolvimento normal da visão. Essa alteração, quando ocorre depois dos 5-6 anos, tende a tornar-se permanente e irreversível.

Veja também: