Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
23 Jan, 2020 - 14:22

Estudantes da FEUP criam aplicação para combater as fake news

Mónica Carvalho

A equipa 405 Found da FEUP conquista competição internacional com aplicação online que tem como objetivo combater as fake news.

Homem no computador portátil

Leonor Sá, Álvaro Samagaio e Diogo Malafaya, estudantes de 5º ano do Mestrado Integrado em Bioengenharia da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), venceram a 4ª edição da competição internacional Devogame by Devoteam, com uma aplicação online que visa combater as notícias falsas, as chamas “fake news”, termo bastante utilizado nos últimos tempos.

Esta competição é uma iniciativa que distingue as mais inovadoras soluções tecnológicas desenvolvidas por estudantes oriundos de universidades de todo o mundo. Aliás, a equipa portuguesa, única representante de Portuga, bateu-se com equipas da Alemanha, Arábia Saudita, França, Holanda e Sérvia e o respetivo projeto reuniu os votos do júri, mas também da notação online do público.

O prémio é uma viagem de sete dias a Singapura, em março de 2020, altura em que os 405 Found poderão ainda participar, gratuitamente, na conferência tecnológica de referência mundial “FossAsia Summit”.

Saiba mais sobre o projeto vencedor

aplicacao para combater as fake news homem ao telemovel

Foi na fase final da competição que esta equipa desenvolveu o projeto “TruCheck”, uma aplicação mobile que pretende combater as ditas fake news, assim como a “crise de desinformação que vivemos atualmente através de um processo de verificação de factos em tempo real.” Isto é particularmente importante numa época em que rapidamente encontramos online respostas para muitas questões, mas muitas delas não correspondem totalmente à verdade ou são retiradas de contexto.

“Estamos muito contentes por ter provado ao júri o nosso valor. A vitória funcionou para nós como validação deste projeto e motivou-nos a possivelmente continuar a trabalhar e desenvolver esta ideia. É muito importante chamar a atenção das pessoas para as crises que estão a afetar o planeta e esta foi uma excelente forma de motivar estudantes a pensar fora da caixa e tentar encontrar soluções na tecnologia para resolver esses problemas”, destacam os estudantes.