Publicidade:

Ter cão ou cadela? Saiba qual a melhor opção para si!

Na altura de adotar um novo animal a dúvida entre ter cão ou cadela surge no pensamento. Saiba qual a escolha mais acertada para si e para sua família.

Ter cão ou cadela? Saiba qual a melhor opção para si!
O sexo do animal é um dos fatores a ter em conta quando escolhemos o novo animal de estimação.

Quando se pensa em adotar um novo animal, há vários fatores a considerar como ter cão ou cadela, cachorro ou adulto, raça pura ou rafeiro, entre outras. Todos estes fatores irão ser condicionados por preferências pessoais dos tutores.

Ter cão ou cadela: machos


ter cao ou cadela buldogue macho com dono

Tanto os machos como as fêmeas tem algumas vantagens e desvantagens, portanto é importante ter em conta todos os fatores para perceber qual o sexo que mais se adequa a si.

Desvantagens

Os machos tendem a ser activos e brincalhões, o que poderá ser uma desvantagem caso o espaço não seja grande ou não tenha grande disponibilidade para dar grandes passeios com ele. De qualquer forma, a raça do animal e o seu porte irão sempre condicionar o grau de atividade física necessária.

Caso não sejam castrados, os machos podem marcar território urinando por toda a casa, especialmente se sentirem por perto cadelas com cio. Optando pela castração do macho, é possível por um fim a esta desvantagem, mas caso queira utilizar o cão para fins reprodutivos, ou por alguma razão não o queira castrar, mantê-lo no interior pode tornar-se uma dor de cabeça incontrolável.

Também relativamente a fatores hormonais, portanto cães não castrados, têm mais tendência para serem agressivos com outros cães, principalmente com outros machos. Geralmente os machos envolvem-se mais em conflitos por competição por fêmeas ou território. Mas também esta situação poderá ser controlada com a castração, caso a agressividade seja resultante de fatores hormonais.

Saiba mais sobre a castração em cães aqui >>

Caso já tenha outro cão em casa e for macho, especialmente se não for castrado, levar outro macho para casa pode ser uma ideia problemática, pois terão mais dificuldade em aceitar-se um ao outro pela disputa territorial.

Vantagens

Apesar de serem mais energéticos também possuem maior resistência física, e se o seu objetivo for arranjar um companheiro para longos passeios, caminhadas ou corridas, poderá ser uma boa opção. Mais uma vez, o sexo por si só não determina que o animal tenha grande capacidade física, pois o porte é também um fator importante.

A nível de comportamento, há tutores que referem que os machos são mais dóceis e sociáveis com as pessoas no geral.

Se pretender castrar o cão, o custo em relação a uma cadela será menor pois, trata-se de um procedimento menos invasivo.

Ter cão ou cadela: fêmeas


ter cao ou cadela escondida debaixo da manta

As fêmeas também podem apresentar vantagens e desvantagens, tendo em conta o estilo de vida do tutor e as suas intenções com o animal.

Desvantagens

A desvantagem que acaba por ser notória para a maior parte dos tutores é o facto das cadelas terem o cio, aproximadamente de seis em seis meses. Durante este período de cerca de duas semanas libertam sangue pela vulva, acabando por sujar todos os locais por onde passam.

Também durante o cio tentam fugir de casa e cães vadios podem tentar entrar em casa sentindo-se atraídos pelo cio da cadela. É também um período difícil para levar a sua cadela a passear, pois todos os cães machos não castrados irão querer segui-la durante o passeio.

Caso não seja a sua intenção utilizar para fins reprodutivos a cadela, se por acidente acontecer a cadela ficar prenhe, pode também ser complicado. Durante aproximadamente dois meses de gestação a cadela necessitará de cuidados extra e é necessário acompanhamento médico veterinário.

Caso o parto não ocorra de forma natural ou haja alguma complicação a cadela poderá precisar também de intervenção médica que poderá passar por cesariana, sob risco de vida dela e dos cachorros.

Ainda que, assumindo que toda a gestação e o parto corram conforme o previsto, será ainda necessário arranjar quem adote todos os cachorros, o que pode ser complicado. E mesmo arranjando tutores para todos os cachorros, durante pelo menos dois meses, os cachorros devem ficar com a mãe.

Também, cadelas não esterilizadas, mesmo não estando com nenhum macho podem desenvolver gravidez psicológica, em que demonstram comportamentos de gravidez e podem inclusive produzir leite.

Todos estes problemas podem ser solucionados através da esterilização da fêmea, que para além de impedir o cio e gestações indesejadas também previne o aparecimento de outros problemas como o aparecimento de tumores mamários.

Saiba mais sobre a esterilização de fêmeas aqui >>

Vantagens

As cadelas têm tendência para serem menos territoriais do que os machos, e portanto, envolverem-se menos em conflitos com outros cães.

Há tutores que referem que as fêmeas por norma são mais fáceis de treinar e aprendem melhor do que os machos.

Sendo que são menos energéticas, podem também ser ideais para pessoas mais idosas que não tenham tanta disponibilidade para brincar com o cão.

Em suma…


Para escolher entre cão e cadela a decisão não é simples. Os fatores apresentados são variáveis não só com o sexo mas também de acordo com a raça e a personalidade do animal.

Tanto sendo macho como sendo fêmea, é necessário ter em conta a personalidade individual do animal e ter em conta que o seu comportamento irá depender da sua socialização desde jovem, personalidade e treino, portanto, independentemente de se tratar de macho ou fêmea, deve criar regras e treinar o seu melhor amigo.

Relativamente a diferenças físicas e hormonais entre sexos, a castração do macho e esterilização da fêmea desde cedo pode ter um impacto positivo.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].