Piroplasmose: sintomas, tratamento e formas de prevenção

Uma simples picada de um carrapato pode ser fatal para o seu animal. Saiba tudo sobre a piroplasmose e como pode prevenir e proteger o seu melhor amigo.

Powered by: Vetecare
Piroplasmose: sintomas, tratamento e formas de prevenção
Saiba tudo sobre uma doença que pode ser fatal.

De um momento para o outro, tudo pode mudar e uma simples picada de carrapato pode ser fatal para o seu cão. Falamos da piroplasmose, uma doença provocada por um protozoário chamado babesia canis, que se reproduz na corrente sanguínea e se alimenta dos componentes sanguíneos do animal que foi picado, principalmente os glóbulos vermelhos.

Os carrapatos são parasitas que se alimentam de sangue e responsáveis por várias doenças transmitidas aos mamíferos. É difícil de descobrir a sua presença, visto que são sensíveis à luz, e, como tal, preferem ambientes escuros onde se podem esconder facilmente.

A transmissão da doença ocorre quando, com o intuito de se alimentar do sangue, o carrapato, injeta saliva no cão, facilitando a sua alimentação.

Quais são os sintomas da piroplasmose?


febre e piroplasmose

Os sinais clínicos da manifestação desta doença dependem do grau de evolução da mesma, dado que poderão demorar meses até que a doença se manifeste. Todavia, deverá ficar atento aos seguintes sinais:

  • Perda de apetite;
  • Febre;
  • Mucosas pálidas ou ictéricas;
  • Prostração;
  • Depressão;
  • Possíveis problemas na coagulação sanguínea.

É certo que alguns destes sintomas, como a febre, poderão passar um pouco despercebidos aos donos dos animais. Todavia qualquer sinal de alteração no comportamento do animal poderá ser motivo de preocupação, pelo que deverá levá-lo ao veterinário. E até num contexto preventivo, no sentido de perceber quais os melhores cuidados a ter para proteger o seu animal.

E no meio de tanta oferta, nem sempre é fácil decidir quais são as melhores opções e as que poderão efetivamente ajudá-lo a si, a ser um melhor dono. Todavia, se subscrever o Plano de Saúde para Animais de Companhia Vetecare, disponível a partir de 13 euros por mês, perceberá como tudo isso poderá ajudá-lo a ser um melhor dono e a ter um animal mais saudável e feliz.

Este plano de saúde animal dá cobertura a despesas veterinárias rotineiras, mas também abrange doenças ou acidentes inesperados. É certo que se trata de mais um custo mensal ou anual adicional, no entanto, perceberá que, na realidade, poderá estar a poupar dezenas ou até centenas de euros anuais.

Com o Plano de Saúde para Animais de Companhia da Vetecare, terá acesso a condições preferenciais nos melhores produtos e serviços através dos parceiros da rede Vetecare, composta por consultórios, clínicas e hospitais veterinários, lojas especializadas para animais, centros de treino e reabilitação, hotéis, creches, entre outros, que disponibilizam consultas gerais e consultas de especialidade, consultas de urgência, assistência veterinária ao domicílio, vacinação, medicamentos e produtos clínicos (incluindo desparasitantes), cirurgias e tratamentos.

Assim, com o Plano Vetecare é mais simples e económico aceder a todos os cuidados que o seu animal de companhia necessita.

Diagnóstico e quadro clínico da piroplasmose


ecografia abdominal

O diagnóstico da piroplasmose deve ser feito por um veterinário após alguns exames e histórico do paciente, onde se incluem:

  • Exame físico;
  • Hemograma;
  • Testes sorológicos;
  • PCR;
  • Ecografia da região abdominal;
  • Ultrassom, em especial da região abdominal.

Após o contágio do animal, a piroplasmose apresenta três fases, de acordo com o grau de evolução da doença:

  • Fase hiperaguda: a mais rara de acontecer e a mais grave, já que o animal pode falecer em 3 dias devido a danos fortes nas células sanguíneas o que leva a uma anemia grave;
  • Fase aguda: onde se dá uma anemia acentuada com o aparecimento de febre, prostração, falta de apetite e fraqueza generalizada;
  • Fase crónica: o cão pode apresentar febre intermitente e perda de peso com uma leve diminuição do apetite, o que pode dificultar o diagnóstico da doença e agravar a condição do animal.

Tratamento da piroplasmose


cao e veterinaria

Após a confirmação do diagnóstico, o plano a elaborar pelo veterinário dependerá do grau da doença. Num cenário mais positivo e menos grave, o animal será medicamento e rapidamente poderá regressar a casa à sua vida normal. Todavia, em casos mais graves da doença, será necessário o internamento para alimentação por sonda e, inclusive, a transfusão sanguínea em casos de anemia severa.

Como prevenir a piroplasmose


desparatizacao externa

A melhor forma de o fazer é desparasitar o animal, devendo, assim, cumprir sempre com os períodos recomendados para a desparatização interna e externa.

Além disso, é muito importante higienizar o ambiente onde o animal vive, principalmente se é um animal que está habituado a estar bastante tempo no exterior. Nesses casos, recomenda-se recorrer à técnica popular conhecida como “vassoura de fogo” – uma técnica utilizada em grandes quintas ou quintais para desparasitar um espaço de consideráveis dimensões.

Veja também: