Publicidade:

O seu gato lambe-se em excesso? Saiba porquê!

O seu gato lambe-se em excesso? Então pode estar perante um problema. Conheça todas as razões que podem levar o seu gato a não parar de se lamber.

O seu gato lambe-se em excesso? Saiba porquê!
Lamber-se é um comportamento natural no gato

Os gatos são extremamente limpos, e portanto fazem a sua higiene diariamente, passando um total entre 7 a 12 horas diárias a limpar-se. A sua língua é áspera com pequenas saliências, que funcionam como um lixa para remover o pelo morto, e sujidade do pelo. No entanto, se reparar que, ultimamente, o seu gato lambe-se em excesso, deve estar atento pois pode estar com algum problema que deve ser tratado.

O seu gato lambe-se em excesso? Como identificar?


gato a lamber as patas gato lambe se em excesso

Uma vez que os gatos dedicam muito tempo do seu dia a lavar-se, pode ser difícil perceber quando é que o gato se lambe em excesso, no entanto, muitas vezes essa lambedura excessiva pode ser notada devido a falhas de pelo ou feridas que surgem na barriga, lombo ou patas.

Gatos que se lambem em excesso normalmente apresentam:

  • Coloração diferente em determinada zona, devido ao efeito corrosivo da saliva;
  • O pelo em determinado local, normalmente patas, está molhado;
  • Pode apresentar uma ferida localizada sem razão aparente e numa área acessível a que se lamba a si próprio;
  • Se começar a apresentar falhas de pelo, como se o pelo estivesse a ser cortado e não arrancado, ou seja é possível observar a raiz do pelo cortada;
  • Ultimamente tem excretado mais bolas de pelo do que o normal, devido ao excesso de pelo ingerido.

Estes são sinais que podem sugerir que o gato está a lamber-se excessivamente. Porém, zonas de alopécia, falhas de pelo nesses locais ou, aparecimento de feridas não significam apenas que o animal se esteja a lamber em demasia, pode também ser sinal de outra doença de pele, portanto, o ideal é consultar o seu médico veterinário acerca do problema para que seja diagnosticada a verdadeira causa.

O gato lambe-se em excesso? 3 razões pelas quais o está a fazer


gato lambe se em excesso gato stressado

1. Sente comichão

Os gatos quando sentem prurido, ou seja comichão, podem tentar coçar, e a sua maneira que conseguirem coçar é lambendo ou coçando com as suas patas. Dependendo do local onde sentem comichão podem conseguir ou não lamber, no entanto se o prurido for intenso o gato não vai conseguir parar de coçar, e uma vez que a sua língua é áspera acaba por arrancar o próprio pelo.

A comichão pode ter várias origens, desde alergias ambientais, à comida, ser provocada por parasitas externos como pulgas, carraças ou ácaros. Por norma, quando o gato sente comichão existem mais sintomas associados a lamber-se excessivamente, portanto deve estar atento a mais sinais.

Independentemente da causa do prurido, é importante que leve o seu gato a uma consulta para que seja diagnosticada a causa e tratado o problema, de forma a diminuir ou acabar com o prurido e assim fazer com que o gato deixe de lamber tanto o seu pelo.

A longo prazo, lamber-se excessivamente pode levar a problemas de pele e até criar grandes feridas que pode infecionar e provocar situações complicadas.

2. Tem dor

Se o seu gato lambe-se demasiado, uma das razões pode ser a dor em determinados locais. A maneira que os animais têm de tentar aliviar a dor é lambendo.

Acontece que como a língua dos gatos contém saliências capazes de arrancar o pelo e magoar a pele por fricção, ao lamber determinado local por sentir dor o gato vai acabar por arrancar o pelo e causar outras lesões na pele.

Muitas vezes acontece os gatos lamberem as patas por terem dores osteoarticulares ou em casos de cistites, inflamação da bexiga, ou infeção urinária, podem lamber a zona da barriga e genitália.

3. Está stressado

Uma das causas mais comuns quando o gato se lambe em excesso é o stress. Os gatos são animais que gostam que se respeite o seu espaço e as suas rotinas, e uma mudança pode causar muita ansiedade a estes animais.

Mudanças recentes em casa como a chegada de um bebé, saída de um dos tutores, obras, chegada de um novo animal de companhia, podem ser razões para que o seu gato se torne ansioso e comece a desenvolver comportamentos compulsivos.

Esta lambedura em excesso provoca falhas de pelo, por vezes os gatos arrancam apenas alguns pelos, no entanto em alguns casos podem mesmo arrancar tufos de pelos. Este problema normalmente denomina-se por alopécia psicogénica e acontece quando o gato se lambe em excesso de forma compulsiva.

Para chegar ao diagnóstico deste problema é necessário descartar todas as outras causas que façam com que o gato se lamba.

Para tratar este problema psicogénico, ou seja, de origem psicológica, nomeadamente por stress, é necessário perceber qual a fonte de stress e tentar eliminá-la. Muitas vezes também requer a utilização de medicamentos ansiolíticos à base de produtos naturais ou em casos mais graves substâncias químicas.

As feromonas felinas, substâncias libertadas naturalmente para a comunicação dos gatos entre si, podem também ser utilizadas como um tratamento auxiliar sob a forma de feromonas sintéticas, para fazer com que o gato fique mais relaxado.

Um problema comportamental requer sempre ajuda de um profissional habilitado, portanto consulte sempre o seu médico veterinário assistente. Em casos mais graves pode ser necessário a ajuda de um médico veterinário especializado em comportamento animal.

Veja também:

Fonte

1. Dodman, Nicholas. (1999). Psychogenic alopecia in cats: 11 cases (1993-1996). Disponível em:
https://www.researchgate.net/publication/13401041_Psychogenic_alopecia_in_cats_11_cases_1993-1996

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].