Publicidade:

Gastroenterite em cães: sintomas a estar atento e como prevenir

A gastroenterite em cães carateriza-se por uma inflamação do sistema digestivo, que pode ter variadas causas. Esteja atento aos sintomas que possam aparecer.

Gastroenterite em cães: sintomas a estar atento e como prevenir
Esteja atento a sintomas como diarreia e vómitos

A gastroenterite em cães é um designação que se refere a uma inflamação do aparelho digestivo. A causa da gastroenterite pode ser variada, e tendo em conta a sua origem a gastroenterite pode ter diversas classificações.

Dependendo da causa da gastroenterite, pode ser ou não transmissível a outros cães e em determinados casos até a outras espécies, portanto, se o seu cão está doente, deve sempre ter alguns cuidados de higiene e limpeza para evitar a disseminação da doença.

Causas da gastroenterite em cães


gastroenterite em caes cao a roer osso

As gastroenterites podem ter várias causas, apesar de na sua maioria apresentarem sinais clínicos semelhantes.

As causas mais frequentes de gastroenterite em cães são as seguintes:

  • Stress;
  • Corpos estranhos, objetos que os cães podem comer inadvertidamente, como ossos, pedras;
  • Alimentos inadequados, como lixo, plantas;
  • Doenças renais;
  • Doenças hepáticas;
  • Parasitas intestinais;
  • Vírus, como é o caso do vírus da parvovirose canina;
  • Bactérias como Campylobacter, helicobacter, SalmonellaClostridium;
  • Sensibilidade alimentar;
  • Tumores no sistema digestivo.

Porém, a causa nem sempre é fácil de detetar, e pode inclusive nunca ser encontrada mesmo através da realização de exames complementares.

Sintomas de gastroenterite em cães


gastroenterite em caes cao triste

Os sintomas mais comum de gastroenterite em cães são os seguintes:

  • Vómitos;
  • Diarreia com ou sem sangue e/ou presença de muco;
  • Perda de apetite, anorexia;
  • Dor abdominal;
  • Depressão;
  • Fraqueza;
  • Em alguns casos pode surgir febre.

Se o seu cão apresentar algum destes sintomas deve consultar o seu médico veterinário. Em alguns casos mais graves os animais podem ficar desidratados e surgir complicações graves, especialmente se estiverem debilitados, forem cachorros ou idosos.

Diagnóstico da gastroenterite em cães


gastroenterite em caes medica a examinar cao

O diagnóstico é realizado pelo médico veterinário através dos sinais clínicos, exame físico e história do animal. Para perceber a causa da gastroenterite, o médico veterinário pode pedir análises sanguíneas e análises às fezes.

Também pode ser necessário a realização de ecografia e radiografia abdominal para verificar a presença de algum corpo estranho ou aspeto anormal dos órgãos do sistema digestivo.

Em casos mais severos, que com exames complementares mais simples não seja possível perceber a causa, o médico veterinário pode ainda sugerir a realização de uma endoscopia ou até mesmo cirurgia exploratória, em que é possível fazer biópsias.

Tratamento de gastroenterite em cães


gastroenterite em caes cao a beber agua

O tratamento pode variar consoante a causa, no entanto, sendo que é difícil chegar à origem do problema, na maioria das vezes, é usual realizar tratamento sintomático, ou seja, de acordo com os sintomas.

1. Se o seu cão apresentar uma gastroenterite simples

Sem febre, diarreia, ou mais nenhum sintoma para além da diarreia ou vómitos, o tratamento irá consistir no “descanso” do sistema digestivo, para permitir que passe a irritação.

Esse descanso tem por base uma suspensão na alimentação e água, por aproximadamente 12 horas e depois introduzir gradualmente tanto a água como a comida em pequenas quantidades.

2. Se o cão tem vómitos

Numa primeira fase irá introduzir a água, e se o cão conseguir “aguentar” a água no estômago passa a introduzir lentamente comida de fácil digestão como por exemplo arroz com frango ou uma ração ou alimento húmido específico para estas situações, recomendado pelo médico veterinário.

3. Se o cão tem diarreia

Deve retirar o alimento mas manter sempre a água à disposição, pois devido às perdas de líquidos através da diarreia o animal pode desidratar. Se em 12 a 24 horas a diarreia parar, pode começar a oferecer pequenas quantidades de alimento de dieta, arroz com frango ou alimento específico recomendado pelo médico veterinário.

Deve manter a dieta gastrointestinal durante aproximadamente 1 semana, e se nessa altura, o cão já estiver recuperado, começar a fazer uma transição de alimento, da dieta para o seu alimento usual.

4. Se o seu cão vomita ou tem diarreia

Não deve tentar fazer dieta em casa sem consultar o médico veterinário. O cão deve sempre ser avaliado, pois estes são procedimentos que podem ser realizados se o animal desenvolver uma gastroenterite simples. No caso de haver complicações graves, não medicar o animal pode levar a que este piore.

Caso o cão demonstre sinais como febre, apatia, anorexia entre outros, em simultâneo com a diarreia e vómitos pode estar perante uma gastroenterite mais grave em que o animal necessita de ser medicado com antibióticos, antieméticos e analgésicos.

Em casos mais severos pode haver necessidade de o animal ficar hospitalizado para receber fluidoterapia, soro, para repor os fluidos e não desidratar.

Prevenção da gastroenterite em cães


gastroenterite em caes vacinacao de cao

A gastroenterite em cães pode ser prevenida de várias formas.

1. Desparasitação interna

Este é um dos cuidados profiláticos mais importantes e que deve ter em consideração, uma vez que os parasitas intestinais podem ser transmissiveis às pessoas.

A desparasitação contra os vermes intestinais deve ser feita regularmente, sob o aconselhamento do médico veterinário que acompanha o seu cão. Normalmente, em cães adultos é realizada de 3 em 3 meses.

Em cachorros até aos 3 meses de idade deve ser feita quinzenalmente, e entre os 3 aos 6 meses mensalmente.

2. Vacinação

Existem algumas doenças causadoras de gastroenterite em cães que podem ser prevenidas através da vacinação normal dos cães, como é o exemplo da parvovirose canina.

Informe-se acerca do plano de vacinação com o seu médico veterinário e comece a proteger o seu melhor amigo desde cachorro.

3. Cuidados com a alimentação

A alimentação é um fator que pode influenciar a saúde do seu cão a vários níveis. Evite dar restos de comida humana ou comida crua.

O mais indicado é alimentar o seu cão com comida adequada para a espécie e idade.

Veja também:

Fonte

1. MSD Veterinary Manuals. Disorders of the Stomach and Intestines in Dogs. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/dog-owners/digestive-disorders-of-dogs/disorders-of-the-stomach-and-intestines-in-dogs?query=gastroenteritis%20dog#v3202591

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].