9 erros comuns na hora de educar o cão

Educar o cão é uma tarefa difícil, que requer algum conhecimento da parte do tutor. Conheça os erros mais frequentes na hora de ensinar os patudos.

Powered by: Vetecare
9 erros comuns na hora de educar o cão
Deve estabelecer regras logo desde cedo

Para ter sucesso a educar o cão é essencial que o tutor esteja preparado. Se o cão não aprende é porque não está a entender e o responsável é, na maioria das vezes, o tutor. Portanto, para garantir que vai conseguir ensinar ao seu cão tudo o que quer, deve evitar alguns erros comuns.

9 erros comuns na hora de educar o cão


1. Não interpretar a sua linguagem corporal

educar o cao homem a educar o cao

É importante entender a linguagem corporal do seu cão de forma a compreender o que ele lhe está a transmitir. Por vezes o seu cão dá alguns sinais do que sente ou do que pretende fazer e os tutores interpretam esses mesmos sinais de outra forma.

Por exemplo, quando o cão começa a lamber os lábios em seco, muitas vezes os tutores interpretam como o cão estando feliz, no entanto, significa que o cão está com medo e a sentir-se ameaçado. O que pode terminar com uma resposta agressiva do cão se a ameaça persistir.

2. Castigar o cão

Quando está a educar o cão não deve começar por o repreender a cada coisa que este fizer errado. Numa fase inicial é normal que o cão não entenda o que lhe pede, ou que demore mais a fazê-lo. Tal como as pessoas, o cão demora algum tempo a aprender os comportamentos desejados e castiga-lo só o irá reprimir ainda mais.

O treino com reforço negativo, ou seja, a utilização da punição para aprendizagem não deve ser utilizada. Pode inclusive gerar mais stress, ansiedade e comportamentos de agressividade.

3. Não utilizar o reforço positivo

O reforço positivo deve sempre existir, ao invés do reforço negativo tradicional. Isto significa que deve recompensar o cão de cada vez que este demonstrar um comportamento desejado, e ignorar os comportamentos negativos.

Desta forma, o cão irá fazer uma associação positiva com os comportamentos e compreender que se fizer uma determinada coisa vai ter em troca algo que gosta muito.

Pode utilizar snacks para cães, biscoitos, brinquedos que o cão goste, ou qualquer coisa que seja positivo para o animal em específico. Daí a importância de conhecer as preferências do seu cão antes de o começar a educar.

4. Tentar ensinar tudo de uma só vez

educar o cao cao a dar a pata

Tal como nós, pessoas e crianças, os cães necessitam de tempo para aprender. Não espere ensinar ao seu cão tudo num só dia, pois o mais provável é que este não aprenda nada.

Comece por educar o cão no básico, como ir à rua para fazer as necessidades fisiológicas a determinadas horas, ensinar onde deve dormir, onde não deve e nem pode ir. E só depois de entendidas estas regras é que o cão deve começar gradualmente a aprender novas coisas.

5. Dar ordens complicadas

Os cães entendem bem os humanos e conseguem entender a sua linguagem corporal, no entanto, se emitir ordens demasiado complexas pode confundir o seu patudo.

Quando lhe ensina novos comportamentos opte por palavras curta e ordens em que diz apenas uma palavra, de forma a que este associe a palavra ao referido comportamento, como por exemplo “senta” e “fica”.

6. Não fazer treinos com frequência

É importante fazer vários treinos com o seu cão, especialmente numa fase inicial. Tal como as pessoas os cães demoram algum tempo a processar e a memorizar determinados comportamentos, portanto se quer educar o seu cão o ideal é ser persistente.

Faça sessões de treino curtas diariamente, de forma a não saturar o animal mas fazê-lo memorizar por repetição. Com o plano de saúde animal Vetecare, também pode ter acesso a uma vasta rede de profissionais de treino animal que o podem ajudar a determinar regras e comportamentos essenciais para a sua segurança e bem-estar.

7. Não começar a educar desde cachorro

Em determinadas situações não é possível começar a educar o cão enquanto é cachorro, por diversas razões, nomeadamente se adotar o cão já adulto.

No entanto, sempre que possível é bom que ensine o seu cão a ter regras e determinados comportamentos logo a partir do momento que vai para a sua casa. Nesta fase a aprendizagem é feita de uma forma lenta e gradual e é provável que seja demorada, no entanto, é quando mais aprendem.

Assim, poderá fazer sentido investir numa escola de treino animal nesta fase, de forma a garantir que o cão adquire as regras base logo desde início. Com a Vetecare, desde 13€ por mês para 1 ou 2 animais de companhia, poderá ter vantagens nestes serviços.

Quando são adotados em idade adulta, os cães podem ter maior dificuldade em aprender, pois durante a sua vida já realizaram outras aprendizagens. No entanto, mesmo nessa idade é possível ensinar o seu cão.

Tanto em cachorros como em adultos deve procurar a ajuda do seu médico veterinário especialista em comportamento animal ou um treinador.

8. Desistir

educar o cao mulher a ensinar cao a sentar

Quando começa a educar o seu cão a fase inicial pode ser complicada. Os cachorros e cães adultos levam o seu tempo a fazer as aprendizagens e para o tutor pode parecer uma “luta inglória”.

No entanto, deve saber que em todas as aprendizagens é normal haver uma fase de assimilação e o animal leva tempo até demonstrar os comportamentos esperados.

Por exemplo, no caso de ensinar o cão a fazer as necessidades fora de casa, pode acontecer que, mesmo já sabendo que devem fazer no exterior, podem acontecer “acidentes” e o animal fazer dentro de casa. No entanto, faz tudo parte de um processo normal de aprendizagem.

9. Irritar-se

Quando o seu cão não colabora com os treinos, ou de repente teve um descuido e fez exatamente o que lhe ensinou a não fazer, não se irrite, pois pode ser contraproducente. Se se chatear com o seu cão ou este o sentir irritado e stressado irá gerar maior ansiedade no animal.

Sentindo-se ansioso o cão pode ter comportamentos negativos como destruição de objetos, urinar e defecar em locais inapropriados e inclusive pode levar o cão a desenvolver distúrbios graves de ansiedade a longo prazo.

Veja também:

Fonte

1. Training Your Dog With Rewards And Positive Reinforcement, 2016. Disponível em:
https://www.akc.org/expert-advice/training/training-your-dog-with-rewards-and-positive-reinforcement/

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.