x
Publicidade:

5 doenças parasitárias em cães que deve conhecer

As doenças parasitárias são comuns em cães e podem prejudicar gravemente a sua saúde. Conheça melhor algumas destas doenças.

 
5 doenças parasitárias em cães que deve conhecer
Conhece os parasitas que podem afetar os cães?

Existem inúmeras doenças que podem afetar os cães, sendo que umas são restritas à espécie e outras comuns a outras, como felinos e humanos. Dentro das doenças que afetam os cães são vários os agentes (como os vírus, bactérias e parasitas) que causam doenças infeciosas e doenças parasitárias em cães.

Doenças parasitárias em cães: o que são?


Doenças parasitárias em cães

As doenças parasitárias em cães são doenças causadas por parasitas, ou seja, organismos que vivem em associação com outros retirando beneficio para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o hospedeiro, o ser que parasitam.

Podem ser classificadas em endoparasitoses, quando são causadas por parasitas que vivem no interior do hospedeiro, ou ectoparasitoses, quando causadas por parasitas que vivem na parte externa do organismo do animal.

5 doenças parasitárias em cães


1. Leishmaniose

Doenças parasitárias em cães

A leishmaniose é uma doença parasitária em cães cada vez mais comum no nosso país, devido ao clima favorável aos vetores desta doença, os flebótomos. Esta é uma doença transmissível apenas através deste vetor, quando este pica um animal infetado e posteriormente um animal saudável.

É uma doença que também é transmissível ao homem, ainda que o contágio nunca ocorre por via direta, mas sempre através do vetor. Assim, é necessário tomar medidas preventivas no sentido de evitar a picada dos flebótomos no cão utilizando repelentes apropriados.

Esta doença pode causar vários sintomas entre os quais crescimento exagerado das unhas, problemas dermatológicos, claudicação, entre outros mais graves como insuficiência renal.

2. Dirofilariose

A dirofilariose é uma doença causada por um parasita, Dirofilaria immitis, que afeta o coração. A sua forma de transmissão também é através de um vetor, neste caso, um mosquito culicóide.

Também pode afetar gatos e humanos mas é raro, sendo mais comum que sejam os cães a espécie mais afetada. Os sinais clínicos mais comuns são a tosse, dificuldade em respirar, intolerância ao exercício físico e outros sinais comuns de insuficiência cardíaca.

3. Toxocaríase

Doenças parasitárias em cães

Esta é uma das doenças parasitárias mais comuns em cães e pode também infetar outras espécies, incluindo os humanos. Esta doença é causada por um parasita gastrointestinal, denominado por Toxocara, sendo que a espécie mais comum em cães é Toxocara canis.

O modo mais usual de infeção nos animais é através da via transplacentária, ou seja, os cachorros adquirem-no através da mãe infetada. O contágio também pode ocorrer através da ingestão de óvulos infetados.

Em cachorros esta infeção pode levar a perda de condição corporal, falta de crescimento, apresentam uma barriga inchada, muitas vezes muito magros mas “barrigudos”.

Os parasitas adultos, com aspeto de “massa” podem ser excretados através das fezes, que podem ser diarreicas e com muco, e em casos mais severos vómitos. Em infeções graves, estes parasitas podem migrar para outros órgãos e causar problemas hepáticos, pneumonia, e infeções graves no intestino.

É muito importante tomar medidas profiláticas, que passam pela desparasitação interna regular com produtos apropriados, logo desde cachorros. Os cachorros devem ser despararasitados. Consulte o seu médico veterinário acerco do plano de desparasitação para o seu cão.

4. Dipilidiose

A dipilidiose é uma das doenças parasitárias em cães também provocada por parasitas gastrointestinais, neste caso, o Dipylidium caninum, um tipo de ténia. Esta é uma das doenças parasitárias mais comuns em cães, no entanto, também pode afetar os gatos.

A infeção por Dipylidium envolve um vetor contaminado, que por norma é uma pulga ou piolho infetado. Quando um cão tem pulgas ou piolhos é natural que sinta prurido, comichão, e uma das maneiras de se aliviar é lambendo, acabando muitas vezes por ingerir o parasita externo que pode estar contaminado.

Os sinais clínicos podem depender de múltiplos fatores, como a idade do animal, o seu estado de saúde, raça e grau de infeção. No entanto, não é comum resultar em problemas graves.

Os sintomas mais comuns são o aparecimento nas fezes de ovos ou proglótides (parte da ténia) que se assemelham a um pequeno grão de arroz. Também pode surgir diarreia com muco e sangue.

5. Sarna

Doenças parasitárias em cães

A sarna é uma doença de pele causada por ácaros de várias espécies, e consoante o agente causador existem diversos tipos de sarna.

Os ácaros provocam irritação na pele resultando em prurido, inflamação da pele e perda de pelo, sendo que os sinais clínicos e os locais do corpo afetado podem variar consoante o tipo de sarna.

As sarnas mais comuns nos cães são:

  • Sarna sarcóptica, provocada por Sarcoptes scabiei, que é um parasita altamente contagioso e pode ser transmitido ao ser humano, sendo que o sinal mais caraterístico desta doença é o prurido intenso;
  • Sarna demodécica, que não provoca prurido, é causada pelo ácaro Demodex canis e não é contagiosa, no entanto existe uma componente hereditária no desenvolvimento desta doença;
  • Sarna otodécica, que afeta os ouvidos dos cães, causada por Otodectes cynotis que provocam uma otite parasitária;
  • Queiletielose, ou também conhecida por caspa ambulante, pois os ácaros Cheyletiella yasguri assemelham-se a pequenas partículas de caspa e é possível observa-los a moverem-se no corpo do animal.

Veja também:

Fontes:

1. MSD Veterinary Manual. “Overview of Leishmaniosis”. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/generalized-conditions/leishmaniosis/overview-of-leishmaniosis?query=leishmaniasis
2. MSD Veterinary Manual. “Overview of Heartworm Disease”. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/circulatory-system/heartworm-disease/overview-of-heartworm-disease
3. MSD Veterinary Manual. “Roundworms in Small Animals”. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/digestive-system/gastrointestinal-parasites-of-small-animals/roundworms-in-small-animals?query=toxocara%20canis
4. MSD Veterinary Manual- “Mite Infestation (Mange, Acariasis, Scabies) in Dogs”. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/dog-owners/skin-disorders-of-dogs/mite-infestation-mange,-acariasis,-scabies-in-dogs?query=scabies
5.Andrade Rodrigues, D. S.;  Alencar, D. F.; Medeiros, B. L. “Dipilidiose em cães – Relato de caso”. Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: http://www.pubvet.com.br/uploads/c39e9c9f55836a05918e0d6f6b80d958.pdf
6. MSD Veterinary Manual. “Tapeworms in Dogs and Cats”. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/digestive-system/gastrointestinal-parasites-of-small-animals/tapeworms-in-dogs-and-cats?query=dipylidium%20caninum

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].