Dieta BARF: saiba mais sobre esta alimentação natural para animais

A dieta BARF é uma das vertentes da alimentação natural para animais. Trata-se de alimentação crua e biologicamente apropriada para animais. Conheça os prós e contras.

Powered by: Vetecare
Dieta BARF: saiba mais sobre esta alimentação natural para animais
Descubra a dieta que inclui 60% de proteína animal crua.

A dieta BARF provém do acrónimo de “Biologically Appropriate Raw Food”, o que traduzido significa alimentação crua biologicamente apropriada. Esta é uma das vertentes que compõem a alimentação natural para animais.

A filosofia da dieta BARF partiu de um veterinário australiano nos anos 90, o Dr. Ian Billinghurst, e foi evoluindo desde então, principalmente nestes últimos tempos devido à preocupação crescente dos donos com o bem-estar dos seus animais, acompanhando também a mudança nas tendências alimentares humanas para produtos mais naturais.

Os defensores da dieta BARF consideram que todos os animais devem ter uma dieta natural, saudável e biologicamente apropriada, ao contrário de uma alimentação processada e repleta de aditivos, como dizem ser o caso das rações secas e húmidas comerciais.

Esta dieta assenta na ideia de que, para que os cães e gatos possam ter uma vida longa e saudável, é necessário fornecer-lhes comida semelhante à qual teriam acesso caso vivessem na Natureza, como os seus ancestrais selvagens.

No entanto, há aspetos fundamentais a ter em conta antes de começar esta dieta, nomeadamente a nível de segurança alimentar e necessidades individuais do seu animal. Aconselhe-se sempre com um médico veterinário antes de avançar para qualquer mudança na alimentação do animal.

Como é composta a dieta BARF?


dieta BARF

Uma dieta BARF é baseada em alimentos crus e frescos: 60% de proteína animal crua (carne, ossos e órgãos), sendo o restante composto por vegetais crus e fruta, ovos inteiros crus, iogurte, algas e ervas frescas saudáveis.

Como fonte de proteína, são utilizadas as carnes de frango, vaca, porco, cordeiro, coelho, canguru, veado, faisão, salmão, peixe branco, entre outros.

De entre os vegetais e frutas mais comummente encontrados na dieta BARF estão a cenoura, espinafres, couves, alfafa, abóbora, aipo, maçã, laranja e frutos vermelhos. As algas e os óleos de sementes são também frequentes.

Existem à venda formulações comerciais desta dieta mas, em alternativa, também pode ser formulada em casa. No entanto, se assim o for, é conveniente que o proprietário consulte um médico veterinário entendido em nutrição. É preferível basear-se em receitas recomendadas para que não haja desequilíbrios nutricionais.

Uma suplementação com vitaminas, minerais, ácidos gordos essenciais e probióticos são frequentemente incluídos para fornecer ao animal uma dieta o mais completa possível.

Benefícios da dieta BARF


alimentacao natural caes

São vários os benefícios apontados pelos defensores da dieta BARF.

1. Objeção à comida comercial

Um dos principais argumentos a favor da dieta BARF é a de que as rações secas e húmidas comercialmente formuladas, presentes na maioria das casas onde há cães e gatos, não são adequadas.

Os métodos de confeção das rações, com recurso a processos que envolvem altas temperaturas, destroem e reduzem certos nutrientes naturalmente presentes nos ingredientes como as proteínas, vitaminas, minerais e enzimas. Como na dieta BARF os ingredientes não são expostos a estas temperaturas, há uma maior disponibilidade da proteína.

Defendem também que o sistema digestivo dos cães e, principalmente, dos gatos, não está preparado para digerir cereais, alimento esse que está muitas vezes presente nas rações em grande percentagem.

2. Saúde dentária

Em relação à saúde dos dentes, defendem que a melhor maneira de obter dentes limpos e saudáveis é através da ausência dos hidratos de carbono presentes nas rações, pois estes são o substrato ideal para o desenvolvimento de bactérias, de onde surge posteriormente a placa bacteriana e o tártaro, responsáveis pelo mau hálito e pela doença periodontal. O facto de os animais roerem os ossos também leva a uma limpeza mecânica dos dentes, prevenindo a acumulação de tártaro.

3. Pelo e pele mais saudáveis

A pele e o pelo necessitam de ácidos gordos essenciais para manterem a função de barreira cutânea e ficarem brilhantes e bonitos. A dieta BARF é frequentemente suplementada com fontes de ómega-3 e ómega-6, nomeadamente óleos de linhaça e de peixe.

Perigos da dieta BARF


E.coli

1. Segurança alimentar

Uma das grandes preocupações em relação à utilização de alimentos crus tem a ver com o perigo de contaminação. Ao não haver processos térmicos na confeção dos alimentos, deixa de haver descontaminação e como tal a dieta BARF é mais propensa a conter bactérias nocivas para os cães e gatos, nomeadamente a Salmonella e a E.coli, e também parasitas.

Isto acarreta também um risco para a saúde pública, uma vez que poderá haver maior disseminação destes organismos no ambiente. Salvaguarde-se nestas questões: o Plano de Saúde Vetecare Platinum, disponível a partir de 13 euros por mês, possibilita o acesso a uma vasta rede de veterinários e clínicas que estarão sempre disponíveis para o ajudar, aconselhar e para tratar dos seus patudos quando necessário.

2. Défices nutricionais

Quando falamos de dietas elaboradas pelos próprios donos em casa, se estas não seguirem uma receita específica, correm o risco de falhar em certos nutrientes. É preciso também reconhecer que as necessidades nutricionais de cada animal variam consoante a fase da vida em que se encontra, raça e o seu estado de saúde.

Estes desequilíbrios ocorrem principalmente com a relação do cálcio e do fósforo, do excesso de vitamina A e do défice da vitamina D e certos minerais. A ajuda de um especialista em nutrição animal pode ser fundamental nestes casos. Conheça a rede da Vetecare.

3. Lesões gastrointestinais

O fornecimento de ossos inteiros crus pode constituir um perigo para o animal pois aumenta o risco de fratura dentária, gastroenterite, obstrução e perfuração intestinal devido à sua fragmentação ou pequena dimensão. Assim, há quem opte por fornecer ossos triturados em vez de ossos inteiros como fonte de cálcio e fósforo.

Em suma…


Antes de optar por alterar a dieta do seu animal, deve informar-se com o seu médico veterinário pois é necessário avaliar se o cão ou gato estão em condições de sofrer uma alteração na dieta.

Se optar por seguir uma dieta BARF, deve fazê-lo de forma gradual para avaliar a reação do animal. Pode escolher entre comprar formulações congeladas, já preparadas comercialmente, ou então realizar o preparado em casa, seguindo sempre receitas e recomendações cientificamente comprovadas, de forma a fornecer todos os nutrientes necessários, não esquecendo que esta última opção requer algum tempo e disponibilidade.

Veja também:

Drª Rita Campilho Drª Rita Campilho

Rita Campilho é médica veterinária. Apesar de viver na cidade, sempre teve contacto com animais e desde cedo que percebeu a importância destes como parte integrante do ecossistema. Tornou-se médica veterinária no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e atualmente trabalha com cavalos, cães e gatos. Também com cães na família, acredita que é através da educação e do conhecimento sobre comportamento e saúde animal que se consegue o melhor para os animais e para quem vive com eles.