Calendário de vacinação dos cães: estas são as vacinas que o seu cão precisa

O calendário de vacinação dos cães deve ser seguido à risca de forma a prevenir que o seu cachorro fique doente e também evitar problemas legais.

Powered by: Vetecare
Calendário de vacinação dos cães: estas são as vacinas que o seu cão precisa
A vacinação do seu cão é a melhor forma de evitar que fique doente

Existem várias vacinas para o seu amigo de quatro patas, a questão é saber quando deve fazê-las e para que serve cada uma delas. Fazem parte do calendário de vacinação dos cães vacinas que protegem contra mais do que uma doença, numa única administração, enquanto outras são específicas para uma doença apenas.

Lembre-se que é de extrema importância que todas as vacinas sejam dadas ao seu patudo para evitar problemas graves de saúde e que deve sempre ter em consideração as indicações do médico veterinário.

plano de saúde Vetecare pode ajudá-lo a poupar em possíveis despesas , com uma vasta lista de veterinários parceiros por todo o país. Por apenas 13€ por mês, poderá ter acesso a descontos para tratamentos e tudo o que o seu patudo precisa para se sentir bem.

Calendário de vacinação dos cães: doenças infeciosas


calendario de vacinacao dos caes cao no medico veterinario

A vacina contra as doenças infeciosas pode ser administrada a cachorros a partir das 6 semanas de idade. Um reforço da mesma vacina deve ser administrado com intervalos de 3 a 4 semanas até as 16 semanas de idade.

Quando a vacinação é iniciada na idade adulta (cães com mais de 6 meses) são administradas duas doses de vacinas com um intervalo de 4 semanas entre ambas.

A partir do primeiro ano de vacinação, o reforço desta vacina é feito anualmente. É importante cumprir o calendário de vacinação dos cães à risca para evitar o risco de diminuir a eficácia da vacina.

Esta vacina protege contra as seguintes doenças:

1. Parvovirose

A parvovirose é uma doença vírica (parvovirus) que provoca gastroenterites hemorrágicas especialmente em cachorros, mas pode também afetar adultos não vacinados. É de difícil tratamento e o prognóstico varia consoante a idade e outros fatores, sendo que em cachorros não vacinados é muito frequente causar a morte.

2. Hepatite infeciosa canina

Também conhecida como doença de Rubarth, é uma infeção do fígado causada por um vírus (adenovírus canino 1) que pode causar icterícia (amarelecimento da pele e dos olhos), vómitos, diarreia, anorexia, febre, entre outros sinais.

3. Esgana

É uma doença vírica causada por um coronavírus, que causa sintomas gastrointestinais (vómitos e diarreias), respiratórios (tosse, pneumonia) e neurológicos (desequilíbrios, convulsões). Tem uma alta taxa de mortalidade, sendo que mesmo que sobrevivam podem ficar com sequelas para o resto da vida.

4. Leptospirose

Causada por uma bactéria, que pode ser transmitida através de urina infetada e provocar hemorragias, hepatite (inflamação do fígado) e problemas nos rins. É uma doença com relevância em termos de saúde pública uma vez que é uma zoonose (transmite-se entre animais e humanos).

5. Tosse do canil

A tosse do canil é uma doença causada por um conjunto de vírus e bactérias. Nesta vacina podemos encontrar proteção contra dois destes agentes: vírus da parainfluenza e adenovírus tipo 2. No entanto, para uma maior proteção contra esta doença, há uma vacina mais completa e específica.

Calendário de vacinação dos cães: vacina da Raiva


calendario de vacinacao dos caes raiva canina

A raiva é uma infeção viral que afeta todos os mamíferos. É transmitida através da saliva em contacto com uma ferida, normalmente através de mordeduras.

É uma doença que já se encontra erradicada de Portugal há mais de 50 anos, no entanto a vacinação contra a raiva continua a ser obrigatória no nosso país de modo a evitar que algum caso surja.

A vacina da raiva pode ser dada a partir dos 3 meses de idade nos cães. O reforço desta vacina pode ser anual ou de 3 em 3 anos, consoante a marca da vacina utilizada, portanto, deve sempre questionar o seu médico veterinário acerca do período de duração da vacina que foi utilizada para não gerar qualquer dúvida e assim cumprir o calendário de vacinação dos cães corretamente.

A vacina da raiva só poderá ser administrada após a colocação do microchip em termos legais, portanto o seu cão deverá colocar o microchip no mesmo dia em que é vacinado contra a raiva, ou ter o microchip colocado previamente.

Calendário de vacinação dos cães: vacina da Tosse do Canil


calendario de vacinacao dos caes tosse do canil

A tosse do canil, como é vulgarmente conhecida a Traqueobronquite Infeciosa Canina, é uma doença altamente contagiosa normalmente encontrada em ambientes com alta densidade populacional.

É uma doença provocada por um ou mais agentes infeciosos, entre eles vírus e bactérias.

Esta vacina é aconselhada a animais que vão estar expostos a um ambiente com outros cães, por exemplo em hotéis ou exposições caninas.

Regra geral, é um pré-requisito para o animal ficar num hotel, ter esta vacina em dia, de forma a salva-guardar a saúde do próprio animal e dos outros.

Existem dois tipos de vacina para a tosse de canil:

1. Subcutânea

É administrada tal como as outras vacinas na zona do cachaço. Esta vacina pode ser administrada a partir das 4 a 6 semanas de idade e deve ser administrado um reforço passadas 4 semanas. A partir daqui, o reforço será anual. Com este tipo de vacina o cão só estará protegido após 3 semanas de segunda dose.

2. Intra-nasal

É administrada por via nasal, tem os benefícios de não ser necessário o segundo reforço e o animal ficar protegido cerca de 3 dias após a toma da vacina. No entanto este tipo de vacina pode contribuir para a dispersão do vírus no ambiente.

Calendário de vacinação dos cães: vacina da Leishmaniose


calendario de vacinacao dos caes leishmaniose

A leishmaniose  é um doença transmitida por um mosquito flebótomo. É uma zoonose e o seu tratamento é dispendioso, moroso e, ainda assim, pode não ser possível eliminar este parasita do organismo do animal definitivamente.

> Saiba mais sobre o tratamento da leishmaniose.

É essencial que antes de se proceder à vacinação se faça o despiste da doença através de um exame ao sangue. O animal só pode ser vacinado se o teste for negativo.

Existem vacinas com tempos de reforço diferentes, sendo que uma requer apenas um reforço anual, e a outra requer uma vacinação inicial de 3 doses espaçadas por 3 a 4 semanas, e só depois destas doses iniciais o reforço passa a ser anual.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.