Beatriz Santos
Beatriz Santos
09 Jun, 2017 - 14:31

A Primavera voltou ao Porto e trouxe flores e boa música

Beatriz Santos

“O” festival alternativo do ano está aí e já conta com uma afluência de turistas enorme. Este ano, a organização prevê 80.000 festivaleiros.

A Primavera voltou ao Porto e trouxe flores e boa música

Primeiro dia: o céu cinzento ameaçava chuva, algo recorrente de edição para edição, mas não passou disso – e as previsões meteorológicas apontam para que continue assim (#PrimaveraSemChuva)!

Com a abertura das portas do recinto, dá-se uma correria para as coroas de flores – foto com, no mínimo, 70 likes garantidos no Instagram. No NOS Primavera Sound não faltam brindes: o Vida Ativa deitou as mãos a uma mochila difícil de conseguir da edição deste ano do festival e veio recheada: uma toalha, um vale de 10€ Fnac (na compra de 50€ ou mais), uma caixa com sementes autóctones envoltas em bolas de argila, que pode plantar no jardim, e o collectable mais cool para os fervorosos fãs do Primavera: um livro com o registo fotográfico da edição do ano passado, com a programação para a festa da criança e com metade das folhas dedicada aos artistas deste ano (fotografias, discografia e o que se espera do concerto).

NOS Primavera Sound 2017

Este ano, uma vez mais, não há copos de plástico – os copos, com decoração Super Bock, exigem uma caução de 2€, promovendo a reutilização.
Quanto aos transportes, o NOS Primavera Sound também os assegura, através de uma colaboração com a STCP que procura facilitar o acesso ao Parque da Cidade e evitar filas de trânsito intermináveis. Entre a 1h e as 7h da manhã, há uma ligação direta entre a Praça Cidade Salvador e os Aliados com paragens intermédias ao longo do percurso, destacando-se a passagem pela Av. da Boavista, Pr. Galiza e Cordoaria. Para quê levar carro? O NOS Primavera Sound faz, assim, uma aposta mais forte na sustentabilidade e preservação do ambiente.

O festival inova, também, ao apresentar opções típicas Portuenses na restauração, divulgando, a quem ainda não conhece (só se perdoa aos turistas!), o que de melhor se come na cidade Invicta – a Padaria Ribeiro, as deliciosas panquecas do Diplomata, as sandes de pernil da Casa Guedes ou as bifanas picantes do Conga. Mas, atenção, o NOS Primavera Sound é vegetarian friendly e permite-lhe optar por sumos e sandes vegetarianas no Da Terra, hambúrgueres vegan no Black Mamba ou o habitual Go Natural.

A boa música invadiu o Porto.

NOS Primavera Sound 2017

Ontem, o NOS Primavera Sound abriu as portas do Parque da Cidade do Porto ao som de Samuel Úria, para apresentação do mais recente álbum “Carga de Ombro”. O NOS Primavera Sound vem, assim, reiterar a aposta num artista português para dar as boas vindas ao festival – na edição de 2016, Manel Cruz abriu as festividades.

De seguida, Rodrigo Leão, em parceria com Scott Matthew, envolveu melodicamente as milhares de pessoas já presentes no Super Bock Stage, sentadas a relaxar na relva. Surpreendeu quando apresentou o seu take de “I Wanna Dance With Somebody”, de Whitney Houston.

Final de tarde / início da noite: Miguel, que nos trouxe R&B, Soul e Funk. Gostámos particularmente deste concerto. Miguel teve a capacidade de apresentar o repertório arriscando versões diferentes, mais rock. Algumas até se tornaram um pouco difíceis de reconhecer de início. Todavia, a interação com o público foi uma constante e a voz esteve spot on.

“We know that Porto Runs the Jewels!”

Se tivéssemos que atribuir o título de melhor concerto da noite, seria, sem dúvida, RTJ, que eletrizou a plateia com o hip hop old school fiel às raízes contestatárias deste estilo musical. Com uma postura satírica em relação à classe política e a crítica social presente em todo o concerto, vale a pena mencionar o momento em que Killer Mike alertou para um fenómeno muito recorrente em festivais: o abuso de mulheres. Hats off para estes senhores.

NOS Primavera Sound 2017

Flying Lotus – projeto interessante, criativo, mas o line up foi, do nosso ponto de vista, infeliz. A escolha foi um pouco desajustada àquele palco, àquela hora; Flying Lotus teria ganho mais numa tenda eletrónica, pela noite adentro.

O último concerto da noite ficou entregue aos cabeças de cartaz Justice. Foi um concerto sólido, que cumpriu as expetativas sem, no entanto, surpreender verdadeiramente. O jogo de luzes foi incrível e deu mais vida ao concerto.

Hoje, como ontem

NOS Primavera Sound 2017

Hoje há mais! Dizemos-lhe os concertos a não perder, que selecionámos na App gratuita NOS Primavera Sound (para Android e iOS): os portugueses First Breath After Coma, Whitney, Angel Olsen, Nikki Lane, o aguardado Bon Iver (que vem apresentar o mais recente e controverso álbum, “22, A Million”) e, claro, o eclético Nicolas Jaar. O difícil será escolher… Sim, porque a partir de hoje abrem os 4 palcos e os concertos simultâneos: NOS Stage (palco principal), Super Bock Stage, Stage, Pitchfork Stage.

Com a App, não se veem programações em papel no chão. Infelizmente, haverá sempre lixo no final da noite, ou não estivéssemos num ambiente festivo, mas o verde predomina.

Bom Primavera e não se esqueça: pode trazer os miúdos! Ficam na Aldeia Milaneza, um espaço dedicado aos mais novos. Amanhã falamos-lhe sobre isso. Vemo-nos por lá!