Varizes: causas, consequências e como tratar

As varizes são veias superficiais dilatadas, mais frequentes nos membros inferiores. São a doença venosa mais frequente, afetando cerca de 10% da população.

Varizes: causas, consequências e como tratar
Este problema caracteriza-se por veias dilatadas que surgem mais frequentemente nas pernas e pés.

As varizes estão englobadas na Doença Venosa Crónica ou Insuficiência Venosa que acontece quando as micro-válvulas nas paredes das veias, que se abrem para o sangue passar em direção ao coração e se fecham para evitar que ele retorne para trás, ficam incompetentes. Assim, levam a uma acumulação de sangue tornando a veia dilatada, formando as varizes.

Para além do impacto estético, as varizes podem causar sintomas de dor, sensação de pernas pesadas ou cansadas, edema (inchaço) sobretudo nos tornozelos e pés, comichão ou cãibras.

Estima-se que em Portugal cerca de 25% da população sofra de Doença Venosa Crónica. Devido à componente hormonal e à gravidez, as mulheres são mais frequentemente afetadas.

Sinais do aparecimento de varizes


aparecimento de varizes

Na maioria dos casos as varizes não causam dor, mas apresentam sinais muito característicos:

  • Veias roxas ou azul escuras;
  • Veias torcidas e muito irregulares.

Em casos mais graves podem ocorrer sinais e sintomas dolorosos, entre eles:

  • Sentimento de peso nas pernas;
  • Sensação de ardência ou latejar;
  • Inchaço (principalmente nas pernas e pés);
  • Comichão na zona à volta das veias afetadas;
  • Pequenas hemorragias;
  • Alterações de cor;
  • Enrijecimento das veias;
  • Inflamação da pele ou úlceras de pele (pode também significar uma outra doença vascular mais grave, pelo que é aconselhado acompanhamento médico).

 

O que causa as varizes?


As artérias transportam o sangue do coração até aos tecidos e as veias transportam o sangue no sentido inverso, para que o mesmo possa ser filtrado e re-circulado. Para transportar o sangue de volta para coração, a maior das veias tem que trabalhar contra a gravidade.

As contrações musculares nas suas pernas atuam como bombas, e as paredes elásticas das veias ajudam a que o sangue retorne ao coração. As veias têm também pequenas válvulas que garantem que a circulação sanguínea é feita apenas num sentido.

Idade

senhora de idade com dores nas pernas

À medida que envelhecemos, as nossas veias vão perdendo elasticidade, fazendo com que dilatem mais facilmente. As suas válvulas podem perder força, permitindo que algum sangue circule no sentido oposto ao que deveria, aumentando o volume sanguíneo e consequentemente dilatando as veias.

O aspeto das varizes normalmente é azulado devido ao facto de conterem sangue venoso (com muito pouco oxigénio), o qual estaria a caminho dos pulmões para ser oxigenado.

Gravidez

gravidez em final de termo

É algo comum aparecem varizes durante a gravidez, pois a mesma aumenta o volume sanguíneo no corpo, mas reduz o fluxo sanguíneo das pernas para a pélvis. Esta alteração circulatória acontece para suportar o crescimento do feto, mas pode causa um efeito secundário – a dilatação de algumas veias nas pernas.

As varizes podem então aparecer e mesmo piorar na fase final da gravidez, devido à elevada pressão que o útero faz nas veias das pernas. As alterações hormonais também podem contribuir para o aparecimento das mesmas

De um modo geral as varizes que surgem durante a gravidez também desaparecem nos dozes meses após o parto.

Outras causas do aparecimento de varizes

Podem ser múltiplas as causas que provocam as varizes e estão entre elas:

  • Hereditariedade;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Trabalhos que obriguem a estar muitas horas na mesma posição (tanto de pé, como sentado);
  • Alimentação pouco saudável.

 

Prevenção do aparecimento de varizes


praticar exercicio fisico regularmente

Não há forma de prevenir completamente as varizes, mas melhorar a circulação sanguínea e tonificar os músculos podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver varizes ou evitar o aparecimento de novas. As mesmas medidas usadas para tratar o desconforto das varizes podem também ser usadas na prevenção das mesmas, incluindo:

  • Praticar exercício físico adaptado à sua saúde, peso e estado de saúde;
  • Evitar roupa apertada (calças, meias, etc.) pois dificulta a circulação sanguínea. Se tem varizes, opte por roupa mais larga e leve;
  • Evitar a exposição excessiva ao sol, saunas, cera quente e aquecimentos. Exposição ao calor por tempo prolongado provoca dilatação das veias;
  • Aos profissionais cujas profissões que obrigam a estar na posição de pé durante longos períodos, recomenda-se uma vida ativa, evitando o sedentarismo. A marcha é extremamente benéfica, assim como, a natação e andar de bicicleta;
  • Esteja atento caso já tenha histórico familiar de varizes. Um dos fatores que influencia o aparecimento das varizes são os hereditários;
  • Situações em que há um aumento de pressão intra-abdominal também favorecem o aparecimento de varizes (ex: obstipação crónica). É benéfico optar por uma alimentação rica em fibras e aumentar o consumo de água;
  • Elevar as pernas ao fim do dia, de modo a facilitar o retorno venoso e assim diminuir o inchaço. Nos dias mais quentes, é útil massajar as pernas com água fria utilizando o chuveiro, de baixo para cima, durante cerca de 2 minutos;
  • Aplicar um creme que proporcione tonificação e elasticidade à epiderme e reduza a sensação de peso nos membros inferiores.

 

DEVE FAZER-SE TRATAMENTO ÀS VARIZES? QUAL O RISCO?


medico a observar paciente

É fundamental procurar um médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular com experiência nesta área e nas suas diversas formas de tratamento, para obter um correto diagnóstico e aconselhamento.

Isto porque, numa fase inicial, podem não surgir os sintomas mais incomodativos de dor, cãibras ou comichão e apenas, por exemplo, o sintoma de pernas cansadas, mas a tendência evolutiva está presente e diversas complicações podem ocorrer.

Nos casos mais graves podem surgir varicoflebites (coágulos sanguíneos nas veias dilatadas), alterações na cor e consistência da pele condicionados pela inflamação crónica ou aparecimento de uma ulcera venosa, situação clínica com grande morbilidade, de difícil tratamento e com impacto na qualidade de vida e autoestima.

O melhor tratamento para si depende por isso de um diagnóstico correto e preciso, podendo ser conservador (medicação oral e meia elástica) ou interventivo (escolhendo-se, dos vários métodos que atualmente estão disponíveis, o que mais se adequa ao seu caso particular).

> Saiba mais sobre os tratamentos para as varizes aqui.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.