Publicidade:

Tosse do canil: conheça esta infeção recorrente em grupos canídeos

A tosse do canil é uma infeção das vias respiratórias que afeta, inicialmente, a traqueia e os brônquios. Esta patologia está associada a grupos de cães que vivam no mesmo espaço por ser altamente contagiosa. No entanto, na maioria das vezes trata-se de uma doença ligeira e cura-se entre 2 a 3 semanas. Saiba mais sobre esta infeção.

Tosse do canil: conheça esta infeção recorrente em grupos canídeos
Saiba mais sobre esta infeção que ocorre em grupos de cães.

A tosse do canil, ou traqueobronquite infeciosa canina, é uma patologia comum entre os cães, principalmente naqueles que são mantidos em grupo. É uma doença ligeira que normalmente se resolve por si só, no entanto, pode progredir e acarretar algumas complicações.

Etiologia da tosse do canil


tosse do canil e grupo de caes

O que é?

A traqueobronquite infeciosa canina consiste numa inflamação da traqueia e dos brônquios. Esta inflamação provoca a produção de secreções e uma sensação de desconforto na traqueia aquando a passagem do ar.

Apesar de se tratar, na maioria das vezes, de uma doença ligeira e auto-limitante (ou seja, que o organismo é capaz de a combater sem o recurso a tratamento), pode progredir para uma broncopneumonia em cachorros ou bronquite crónica em cães adultos debilitados ou idosos.

Causa

A sua alcunha de tosse do canil advém do facto de ser uma doença contagiosa que se propaga rapidamente através das secreções nasais e objetos por elas contaminados entre cães mais suscetíveis e confinados próximos uns dos outros, como é o caso dos canis ou dos hospitais veterinários.

O vírus da parainfluenza canina, o adenovírus canino tipo 2 ou o vírus da esgana canino podem ser os principais agentes envolvidos na tosse do canil. A bactéria Bordetella bronchiseptica também pode atuar como agente primário, ou então como agente oportunista secundário que surge após já haver dano nas vias respiratórias, causadas nomeadamente pelos vírus.

No entanto, na maioria das vezes, a infeção contém mais do que um destes agentes. Situações de stress e variações bruscas na ventilação, temperatura e humidade aumentam a suscetibilidade e a severidade desta patologia.

Sinais clínicos da tosse do canil


tosse seca

O sinal clínico mais evidente e característico é a tosse seca e áspera intermitente, que pode ser acompanhada de um esgar de vómito, como se estivesse qualquer coisa presa na garganta.

Estes episódios podem ser precipitados pelo exercício, excitação ou quando a traqueia deles é palpada.

Frequentemente, é o único sinal presente pelo que o desenvolvimento de sinais mais severos como febre, corrimento nasal purulento, tosse produtiva, depressão e perda de apetite poderão advir de complicações que podem indicar que os pulmões foram afetados ou que está presente uma infeção sistémica.

Diagnóstico da tosse do canil


radiografia canina

O diagnóstico da tosse do canil é maioritariamente feito através da história fornecida pelo proprietário e pelos sinais presentes.

Sempre que há o desenvolvimento da tosse característica, 5 a 10 dias após o cão ter estado em contacto com outros cães passíveis de estarem afetados, suspeita-se de tosse do canil.

A realização de uma radiografia ajuda a determinar a severidade da doença e a excluir outras causas de tosse.

Tratamento da tosse do canil


cao no veterinario

A visita do médico veterinário é crucial para ser feito um correto diagnóstico e instituído, caso necessário, um protocolo terapêutico.

Preferencialmente, os animais afetados não deveriam ser hospitalizados devido a ser uma patologia altamente contagiosa, e na maioria das vezes auto-limitante.

A aplicação de boas práticas tais como uma correta alimentação, higiene e correção dos fatores ambientais, como o vento e o frio, favorecem a recuperação.

No caso de haver uma infeção bacteriana, pode ser necessária a prescrição de antibióticos. Para reduzir nalguns casos a tosse e a inflamação associada, poderá estar indicado o uso de anti-tússicos e anti-inflamatórios. No entanto, a escolha destes medicamentos necessita previamente de um exame clínico para ser o mais adequada possível.

Para ajudar a soltar as secreções e estimular a sua expulsão, há quem recomende que se deixe entrar o cão no quarto de banho para que este inale o vapor de água produzido durante duches de água quente.

Prevenção da tosse do canil


cao a tomar vacina

Existem vacinas disponíveis que protegem contra o vírus da esgana, a parainfluenza, o adenovírus canino e a Bordetella bronchiseptica, todos possíveis agentes da tosse do canil. O médico veterinário irá recomendar sobre quais as vacinas e o plano mais indicado.

Veja também:

Drª Rita Campilho Drª Rita Campilho

Rita Campilho é médica veterinária. Apesar de viver na cidade, sempre teve contacto com animais e desde cedo que percebeu a importância destes como parte integrante do ecossistema. Tornou-se médica veterinária no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e atualmente trabalha com cavalos, cães e gatos. Também com cães na família, acredita que é através da educação e do conhecimento sobre comportamento e saúde animal que se consegue o melhor para os animais e para quem vive com eles.