Publicidade:

9 Diferentes tipos de coleiras para passear o cão: escolha a mais apropriada para o seu

Existem inúmeros tipos de coleiras para passear o cão. Mas qual a mais adequada? Conheça-as melhor e saiba qual a melhor para o seu melhor amigo.

9 Diferentes tipos de coleiras para passear o cão: escolha a mais apropriada para o seu
Saiba qual a coleira mais adequada para o seu cão.

Se for a uma loja de animais irá deparar-se com variadíssimos tipos de coleiras para passear o cão. É importante conhecer os diferentes modelos e saber para que se utiliza cada um, de forma a perceber qual o mais adequado para o seu cão.

9 tipos de coleiras para passear o cão


1. Coleira padrão

Este é um dos tipos de coleiras para passear o cão mais comum e é habitualmente utilizado para colocar as placas de identificação do tutor, para o caso do animal se perder.

São normalmente de material como nylon, couro ou outro tecido. Ideais para cães bem comportados e que andam bem à trela.

Caso o seu cão puxe muito durante os passeios com trela este não é o modelo mais indicado. Ao puxar a trela esta coleira não é muito segura e podem conseguir tirá-la, caso sejam muito peludos ou o pescoço seja maior do que a cabeça.

2. Coleira Martingale

Esta é muito semelhante à coleira padrão com a diferença de que para além da coleira também existe um sistema de controle.

A coleira é composta por dois loops sendo o primeiro igual a uma coleira padrão normal, e o segundo é de tamanho menor e é responsável pela segurança. Assim, quando o cão puxa, o anel maior aperta o suficiente para evitar que o cão se solte, mas sem o magoar, devido ao sistema de segurança.

3. Coleira inteligente

Nos últimos anos, têm surgido vários modelos de coleiras inteligentes, que têm integrado um dispositivo eletrónico que inclui GPS e wi-fi.

Com estas coleiras é possível localizar o animal e criar um espaço delimitado em que se o animal sair do local é acionado um alerta.

Algumas marcas possuem inclusive aplicações que pode sincronizar no telemóvel e registar outros dados importantes como idas ao veterinário, e até ter imagens do animal.

4. Coleira de estrangulamento

Como o próprio nome indica, esta coleira provoca o estrangulamento e compressão do pescoço do cão. Foram criadas unicamente para o treino. Sabe-se agora que esta metodologia não deve ser utilizada, pois baseia-se em castigos, punições e reforços negativos, sendo que o método de treino que deve ser utilizado é o treino com reforço positivo.

Difere da coleira martingale porque é de metal e não tem um dispositivo de controlo que limite o aperto. Desta forma, quando o cão puxa a trela e a coleira o aperta pode provocar sérios danos de forma permanente.

Este é um dos tipos de coleiras para passear o cão que deve ser evitado.

5. Coleira de choques

Outra coleira que foi criada com o intuito de treino com reforço negativo. Esta coleira funciona em conjunto com outro dispositivo – comando – e quando o cão tem um comportamento não desejado pelo seu tutor carrega no botão emitindo um choque ao animal.

Este tipo de estímulo para além de poder provocar danos no pescoço e outros órgãos como a traqueia e esófago, pode despoletar comportamentos de agressividade devido à dor constante infligida ao cão.

É uma coleira que vai contra o bem-estar e respeito pelos animais, não devendo nunca ser utilizada.

6. Peitoral com clip nas costas

Este é o modelo mais comum dos peitorais. Encaixa no peito do cão, fecha com uma mola e tem um clip na zona das costas que serve para encaixar a trela.

Apesar de com este tipo de coleira não haver agressão na zona do pescoço, encoraja os cães a puxar ainda mais, pois ganham mais força.

Estes peitorais foram até criados para cães que puxavam trenós para terem maior tração.

Assim, se o seu cão não for disciplinado a andar de trela, este peitoral também não é o ideal para ele.

7. Arnês

O arnês ou colete peitoral é uma versão de peitoral modificada. Trata-se de um peitoral fechado e acolchoado que possui várias versões com diferentes cores, padrões e tecidos.

É adequado para cães de médio e grande porte que puxam muito à trela.

8. Coleira Easy Walk

É outra versão da peitoral, mas difere pois o clip em vez de ser no dorso do animal é a frente, abaixo do esterno.

Recomendada para cães que não andam bem à trela e com outro tipo de coleira dariam vários puxões durante o passeio.

Ao contrário do peitoral com o clip nas costas que incentiva os cães a puxar este peitoral permite que o tutor redireccione o cão com maior facilidade durante todo o passeio.

9. Gentle Leader

Mais uma coleira que foi concebida para o treino do cão. Baseia-se na premissa de que quanto mais o cão se distrai no passeio com os cheiros que o rodeiam pior comportamento irá ter.

Este modelo baseia-se num pedaço de nylon que envolve o focinho do cão e dessa forma, impede-o de direcionar o focinho e cheirar, assim irá focar-se apenas no passeio sem distrações.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].