9 Sinais que podem indicar cancro nos animais: fique atento

Existem alguns sinais que podem indicar cancro nos animais. Aprenda a identificá-los precocemente no seu melhor amigo e salve a saúde do seu animal.

Powered by: Vetecare
9 Sinais que podem indicar cancro nos animais: fique atento
Estar atento a pequenos sinais podem ajudar a diagnosticar um problema precocemente.

Tal como nas pessoas, os animais podem desenvolver tumores. Muitas vezes quando os tutores se apercebem dos sintomas já o animal está numa fase avançada da doença. No entanto, existem alguns sinais que podem indicar cancro nos animais e se prestar atenção pode salvar a vida ao seu melhor amigo.

Em caso de verificar algum destes sinais, deve contactar o médico veterinário para que seja feito um diagnóstico completo ao seu animal e serem realizados eventuais exames e tratamentos. Saiba que, o Plano de Saúde Vetecare dispõe de uma vasta rede de profissionais que podem ajudar o seu melhor amigo. Por apenas 13€ por mês, terá acesso a descontos que o ajudarão a poupar na hora de tratar do seu animal.

9 Sinais que podem indicar cancro nos animais


sinais que podem indicar cancro nos animais cao doente no chao

1. Perda de peso acentuada

Se o seu cão ou gato começou a perder peso repentinamente, pode ser um sinal de alarme. É importante pesar o seu animal com alguma frequência para conseguir identificar as oscilações de peso.

Se notar que o seu animal emagreceu deve consultar o seu médico veterinário para que este averigúe o que se está a passar com ele, fazendo um check up completo e exames, para perceber a causa do problema.

Muitas vezes, certos tumores em animais, numa fase inicial, não manifestam mais nenhum sinal no animal, sendo a perda de peso o primeiro sinal de alerta. No entanto, a perda de peso pode não ser apenas devido a cancro, daí a necessidade de se averiguar a causa.

2. Sangramento nasal

O sangramento nasal é um dos sinais que podem indicar cancro nos animais, indicando por exemplo a presença de um tumor nas vias respiratórias do animal. No entanto, como qualquer outro sintoma pode surgir devido a outro problema, como por exemplo leishmaniose em cães.

Se o seu cão tiver sangramentos nasais é importante levá-lo de imediato ao médico veterinário para que se realizem exames de forma a perceber a causa e trata-la o mais precocemente possível.

3. Tosse

Tossir pode ser um sintoma comum a muitas patologias, e na maioria das vezes dever-se a patologias sem gravidade. De qualquer forma, em qualquer situação de tosse, a causa deve ser investigada, principalmente se se trata de uma situação crónica.

4. Diarreia ou obstipação

Na maioria das vezes a diarreia em animais saudáveis pode acontecer devido a indiscrição alimentar, ou seja, alimentação inadequada ou mudanças bruscas na dieta.

Também pode ser causada por vírus, bactérias ou parasitas. No entanto, se a diarreia for persistente e sem causa aparente podemos estar perante algum tipo de cancro no sistema digestivo.

É portanto extremamente importante levar o seu cão a uma consulta caso apresente diarreia, ainda que não manifeste nenhum outro sintoma.

A prisão de ventre, ou obstipação também pode ser um sinal de tumor ou no sistema digestivo ou na próstata, especialmente em cães machos idosos, não castrados. Podem também apresentar disquesia, ou seja, dificuldade em defecar.

5. Convulsões

Quadros de convulsões que começam a surgir em idade geriátrica, especialmente, podem ser sinais que podem indicar cancro nos animais, mais precisamente a presença de um tumor cerebral.

As convulsões podem ter mais causas variadas, como epilepsia, doenças infeciosas, intoxicações ou alterações metabólicas.
Os sinais de convulsão em cães e gatos são os seguintes:

  • Perda de consciência;
  • Espasmos nas pernas;
  • Perda de controlo do corpo;
  • Cerramento da boca;
  • Esticar as pernas e inclinar a cabeça para trás;
  • Perda do controlo urinário e fecal;
  • Espumar-se.

Não é necessário que estejam presentes todos os sintomas referidos para se considerar uma convulsão. Portanto na dúvida leve o animal de imediato ao médico veterinário.

6. Dor

Os cães e os gatos têm maneiras diferentes de demonstrar dores. Enquanto os cães uivam e ladram quando se toca na zona dolorosa e seguem os donos como que a pedir ajuda, os gatos têm mais tendência para se esconderem, isolar e até demonstrar comportamentos agressivos.

Dessa forma, antes de mais devemos compreender os nossos amigos de quatro patas, para conseguir perceber se estamos perante dor ou não.

A dor pode ser um sinal muito indicativo da presença de um tumor, dependendo da localização. Por exemplo, um tumor ósseo numa pata pode causar claudicação (mancar) e dor ao toque. No entanto, uma inflamação do músculo pode causar exatamente o mesmo sintoma.

Se o seu animal demonstrar algum sinal de dor localizada num sítio específico ou generalizada, é importante consultar o seu médico veterinário.

7. Hematúria

Hematúria é o termo médico que se refere à presença de sangue na urina. Este sinal pode ser indicativo de variadas patologias, no entanto também pode ser um sinal de cancro.

Tumores na próstata, uretra ou bexiga podem causar presença de sangue na urina.

8. Dificuldade em cicatrizar

Especialmente em animais mais velhos, quando há feridas que demoram muito tempo a cicatrizar é necessário ponderar se não se trata de cancro.

O cancro pode afetar o organismo do animal levando a deficiências na coagulação e por sua vez qualquer ferida, ainda que pequena, que o animal faça irá demorar imenso tempo para cicatrizar ou pode mesmo nunca cicatrizar totalmente.

Também, feridas abertas que sangram e não cicatrizam podem ser tumores de pele.

9. Alterações comportamentais

Alterações no comportamento normal do seu cão, especialmente em cães idosos, como por exemplo aumento exagerado do apetite, agressividade num cão que era extremamente meigo, podem ser sinais de tumores no cérebro dependendo da área cerebral afetada podem causar várias alterações, mas sobretudo confusão mental.

Também devido a dor que possa surgir devido a cancro os animais podem desenvolver agressividade devido à dor.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.