Radiofrequência na barriga: perguntas mais frequentes

A radiofrequência na barriga é um tratamento estético desenvolvido para tratar a celulite, a flacidez e a gordura localizada. Com uma ação tripla, que atua, em simultâneo nas diferentes camadas da pele, é dos tratamentos estéticos mais eficazes. Descubra os benefícios e tire as suas dúvidas. Cuide de si, o seu corpo agradece.

 
Powered by: BodyScience
Radiofrequência na barriga: perguntas mais frequentes
A radiofrequência na barriga é um procedimento estético não invasivo.

A gordura localizada, a celulite e as estrias teimam em aparecer na barriga, comprometendo a autoestima e bem-estar de muitas mulheres.

A radiofrequência na barriga é uma solução com eficácia e benefícios comprovados para resolver esses inestéticos problemas. Mas será seguro optar pela radiofrequência neste local do corpo? Vamos responder a esta e outras perguntas em seguida.

RADIOFREQUÊNCIA NA BARRIGA: BENEFÍCIOS


barriga definida

A radiofrequência na barriga é um excelente tratamento estético que traz benefícios como:

  • Melhorar a aparência da pele;
  • Melhorar a qualidade do colagénio e elastina;
  • Melhorar a microcirculação;
  • Melhorar a hidratação da pele;
  • Aumentar a oxigenação;
  • Acelerar a eliminação de toxinas;
  • Reduzir a celulite;
  • Combater as inestéticas estrias;
  • Melhorar a aparência das cicatrizes;
  • Combater a gordura localizada na barriga;
  • Combater a celulite por melhorar a firmeza da pele e queimar a gordura local.

>> Marque já a sua consulta de avaliação gratuita

7 PERGUNTAS COMUNS SOBRE A RADIOFREQUÊNCIA NA BARRIGA


radiofrequencia na barriga

1. Como funciona a radiofrequência na barriga?

A radiofrequência penetra nas camadas da pele, aquece os tecidos danificados, aumenta o metabolismo e, consequentemente, acelera a produção de colagénio e elastina, conseguindo recuperar a firmeza da pele.

As ondas do equipamento chegam até às células de gordura, localizadas por baixo da pele e por cima dos músculos, e com a elevação da temperatura dessa região para até 41ºC estas células se rompem, eliminado a gordura que continha em seu interior. A gordura fica no espaço intersticial, entre as outras células e por isso para que sejam realmente eliminadas do corpo definitivamente, deverão ser retiradas através da drenagem linfática ou então através de exercícios físicos.

2. Como é que a radiofrequência na barriga combate a celulite?

No combate à celulite, aumenta seletivamente a temperatura das células gordas, fazendo-o simultaneamente nas camadas da derme e hipoderme. Isto acelera o metabolismo e expulsa a gordura líquida dos adipócitos, o que permite também reduzir e eliminar eficazmente a celulite e o inestético efeito “casca de laranja”.

3. Quanto tempo demora?

Cada sessão demora entre 45 a 60 minutos e inclui habitualmente uma só área, que pode ser a barriga, mas também os glúteos, coxas, pernas, braços ou rosto.

4. Quantas sessões são necessárias?

O número de sessões de radiofrequência a fazer vai depender dos objetivos da paciente, mas os resultados podem ser sutilmente observados logo na primeira sessão.

No entanto, o número de sessões depende não só do resultado que pretende, como do estado da área a tratar, ou seja, quanto mais gordura, flacidez, celulite ou estrias, mais sessões serão precisas. No entanto, podem ser necessárias entre 7 a 10 sessões de radiofrequência na barriga

5. Que cuidados deve ter depois de uma sessão de radiofrequência na barriga?

Depois de uma sessão de radiofrequência na barriga, tem benefícios a aplicação de um creme ou gel à base de aloé vera para prevenir a vermelhidão nessa zona, evitar a exposição solar nas primeiras 48 horas. Beber muita água, pelo menos 2 litros por dia, favorece também o resultado do tratamento.

6. Quais os riscos da radiofrequência na barriga?

A radiofrequência na barriga é muito bem tolerada e o único risco que existe é o de poder queimar a pele, quando o equipamento não é mantido em movimento constante durante o tempo de tratamento.

7. Quando não fazer?

Este tratamento não é indicado quando a pessoa está muito acima do peso ideal e também não deve ser realizado quando a pessoa tem um implante metálico na região onde será tratada. Outras contra-indicações incluem:

  • Gestação;
  • Hemofilia;
  • Em caso de febre;
  • Se houver alguma infeção no local de tratamento;
  • Se houver transtorno de sensibilidade;
  • Se a pessoa tiver um pacemaker;
  • Durante a quimioterapia;
  • Quando a pessoa toma medicação anticoagulante.

>> Ainda ficou com dúvidas? Os especialistas da BodyScience respondem.

Veja também: