8 consequências de puxar muito a coleira do seu cão

Sabia que existem consequências de puxar muito a coleira ao seu cão? Aprenda porque não o deve fazer e como o deve passear corretamente.

Powered by: Vetecare
8 consequências de puxar muito a coleira do seu cão
Puxar a coleira do cão pode causar-lhe problemas na traqueia e esófago.

Um problema muito comum para a maioria dos tutores é quando, na hora do passeio, os cães não param de puxar a coleira. Para os contrariar e encaminhar para o local correto os tutores tendem a puxá-la de volta, por vezes com força. Mas sabia que existem consequências de puxar muito a coleira do seu cão e que estas podem ser graves e provocar sequelas?

8 Consequências de puxar muito a coleira do seu cão


consequências de puxar muito a coleira

1. Problemas na traqueia

A traqueia é o órgão que mais sofre com os “puxões”. A coleira passa na zona do pescoço mesmo na zona da traqueia, por isso é que, muitas vezes, quando os cães puxam a coleira acabam por se engasgar, devido à pressão que é exercida na traqueia.

Cães que puxam muito a trela, com o estímulo diário podem desenvolver uma traqueíte, ou seja, inflamação da traqueia. Mesmo sem trela podem começar a tossir, devido à irritação do órgão.

Esta tosse pode ser passageira, se tratada a tempo e  retirado o fator que desencadeou o problema – neste caso, o puxão da trela. Mas, em casos mais graves, a tosse pode tornar-se crónica devido aos danos irreversíveis causados pelo esmagamento da traqueia.

2. Problemas respiratórios

O cão quando puxa muito a trela não consegue respirar normalmente. Quando se puxa muito a coleira, o cão este age como se estivesse a asfixiar.

3. Problemas neurológicos

Uma das consequências de puxar muito a coleira ao cão é a falta de oxigenação no cérebro, que pode levar ao aparecimento de problemas neurológicos.

4. Problemas no esófago

O esófago localiza-se junto à traqueia, também no pescoço. Tal como acontece na traqueia, estímulos contínuos diários podem levar a danos permanentes no esófago.

O esófago é o órgão do aparelho digestivo que leva o bolo alimentar da boca ao estômago. Havendo lesões no mesmo, pode começar a haver dificuldade na deglutição, vómitos e outros problemas.

5. Problemas na tiróide

A tiróide nos cães, localiza-se na zona do pescoço onde costuma ficar a coleira. A lesão da tiróide pode ser uma consequência de puxar muito a coleira ao seu cão, podendo, inclusive, levar a doenças como o hipotiroidismo, devido à destruição das células da tiróide.

6. Problemas na coluna

Os puxões na coleira, se com muita violência, podem levar a fraturas da coluna. Algumas raças têm uma maior predisposição para problemas na coluna e a violência do choque devido ao puxão da coleira pode facilitar a fratura das vértebras.

Mesmo sendo um animal saudável, evite dar puxões fortes na trela, pois pode causar fraturas ósseas ou problemas musculares na zona da coluna devido ao forte impacto como contraturas. É possível também que se o choque ocorrer continuamente o animal desenvolva uma hérnia discal.

7. Problemas nos olhos

Cães que puxam muito a trela podem desenvolver problemas nos olhos, nomeadamente aumento da pressão intraocular que pode levar a desenvolvimento de glaucoma.

8. Problemas comportamentais

Quando um cão puxa a coleira em demasia durante o passeio, significa que já existe um problema de comportamento pois o seu cão não é capaz de ter uma boa interação com o que o rodeia. No entanto, puxar a trela e causar dor ao cão não é a maneira mais correta de corrigir o problema. Vai, sim, agravá-lo.

Sabe-se que causar dor a um cão pode gerar problemas de agressividade. Por exemplo, o simples facto de passar um cão e puxar muito a trela ao seu cão, pode fazer com que comece a associar todos os cães a dor, e portanto, a tornar-se ainda mais agressivo com os outros cães.

Se o seu cão não sabe andar bem de trela, a melhor solução é tentar procurar um profissional habilitado para o ajudar com este problema comportamental, caso contrário pode estar a piorar ainda mais o comportamento do seu patudo.

A Vetecare dispõe de um plano de saúde animal onde, a partir de 13€ por mês para 2 animais de companhia, pode ter acesso a uma vasta rede de profissionais de treino animal que podem ajudar o seu animal. Uma das vantagens deste plano de saúde é poder usufruir de descontos em programas de treino e de obediência, consultas de comportamento animal, programas de terapia comportamental e muito mais.

Como ensinar o cão a não puxar muito a coleira


ensinar cao a nao puxar a coleira

Antes de mais deve saber que o seu cão deve ter espaço e tempo para explorar portanto, quando passeia com ele, deve respeitá-lo e permitir que fique tranquilo a cheirar o espaço, pois isto é um comportamento normal num cão.

Encoraje o cão a segui-lo utilizando reforço positivo, ou seja, recompensas que podem ser snacks ou biscoitos para cão.

Mantenha a trela sem tensão e recompense-o sempre nessa altura, para que o cachorro perceba que o comportamento correto é não causar tensão na trela.
Caso o seu cão puxe muito a coleira normal, explore outros tipos de coleiras que não provoquem tanta força na zona do pescoço.
Se, mesmo com dicas e treino, o seu cão não conseguir andar bem à trela deve procurar ajuda de um especialista.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.