Publicidade:

Gripe Felina: conheça os sintomas e tratamento desta doença nos gatos

A gripe felina é uma doença que afeta com alguma frequência os gatos. Saiba quais são os sintomas comuns desta doença e como pode ser tratada.

 
Gripe Felina: conheça os sintomas e tratamento desta doença nos gatos
A melhor forma de prevenção é vacinar o seu gato.

A gripe felina, também conhecida por “coriza”, consiste numa infeção respiratória provocada por alguns vírus e bactérias, isoladamente ou em conjunto.

A causa mais comum é de origem viral, sendo os principais agentes causadores o Herpesvírus felino (HVF) e o Calicivírus felino (CVF).

Algumas bactérias como a Bordetella Bronquiseptica e Clamydophila Felis podem também causar gripe ou agravar os sintomas em conjunto com os vírus.

Forma de transmissão de gripe felina


gripe felina gatos juntos

A transmissão ocorre através das secreções de outros gatos, principalmente em locais onde existam muitos gatos confinados ao mesmo espaço.

Muitos gatos são portadores destes vírus e bactérias sem manifestar sintomas, quer numa fase inicial de infeção em que irão manifestar sintomas posteriormente, quer durante toda a sua vida.

O que acontece é os gatos infetados ficarem com os vírus o resto da sua vida, podendo desta forma excretar o vírus de uma forma contínua e infetar outros gatos, o vírus fica latente no seu organismo, e manifesta-se em alturas de stress físico ou emocional.

A transmissão pode também ocorrer através de vetores, por exemplo as pessoas podem transmitir a infeção se tocarem num gato infetado e num saudável à posterior sem fazer uma boa higienização. Também é possível que ocorra através de objetos contaminados.

Sintomas da gripe felina


gripe felina medicao febre gato

Numa fase inicial os sintomas podem ser mais ligeiros e se o animal não for tratado podem evoluir para uma situação mais grave. Os sinais mais comuns numa gripe felina são:

  • Espirros;
  • Secreção nasal;
  • Secreção ocular/ lacrimejamento;
  • Conjuntivite;
  • Febre;
  • Desidratação;
  • Úlceras na boca;
  • Dificuldade em alimentarem-se;
  • Perda de apetite.

Numa fase mais severa, o gato pode desenvolver uma pneumonia e apresentar dificuldade em respirar, podendo levar à morte.

Os animais mais jovens, idosos, imunodeprimidos e sem vacinas são os mais suscetíveis ao desenvolvimento da doença e é mais provável que desenvolva sinais graves.

Diagnóstico da gripe felina


gripe felina medica a examinar gato

O diagnóstico é feito pelo médico veterinário através do exame físico realizado na consulta, história clínica e sintomas que o gato demonstra.

É importante conhecer o historial do gato, como o estado vacinal, se houve episódios recentes de stress, se costuma haver contacto com outros gatos possivelmente doentes.

Também podem ser realizados alguns exames como análises ao sangue em que é possível detetar algumas alterações que podem sugerir um infeção.

Também através do sangue é possível realizar análises especificas que detetem os vírus e as bactérias presentes, no entanto, por norma o diagnóstico é feito com base nos sintomas do animal e estes testes específicos realizam-se apenas em situações especificas de surtos.

Também pode ser necessário realizar radiografias à zona torácica para verificar se a infeção evoluiu no sentido de provocar uma pneumonia.

Tratamento da gripe felina


gripe felina medicacao gatos

Tal como a gripe nas pessoas, em gatos saudáveis os sinais clínicos atenuam-se por si mesmo, sem ser necessário recorrer a medicação. No entanto, esta decisão deve ser sempre tomada apenas pelo médico veterinário após uma avaliação minuciosa.

Se o seu gato manifestar algum destes sintomas, deve levá-lo logo que possível a uma consulta para ser avaliado e medicado se necessário.

Caso o seu gato não seja avaliado e esteja a necessitar de medicação, a infeção irá progredir aumentando a gravidade dos sintomas levando o animal à morte.

Animais com doenças imunossupressores, por exemplo, positivos a leucemia felina ou ao vírus da imunodeficiência felina, gatinhos jovens, idosos e não vacinados, podem não ter um sistema imunitário competente para resolver a infeção por si só. Portanto, na dúvida o melhor é sempre pedir ajuda a um profissional.

Podem ser prescritos antibióticos para evitar o aparecimento ou evolução de uma infeção bacteriana secundária aos vírus. O resto do tratamento será sintomático, ou seja, de acordo com os sintomas exibidos pelo animal.

Caso o animal esteja com uma infecção respiratória superior, com o nariz obstruído podem ser feitas nebulizações e limpezas do nariz com soro fisiológico.

Em casos mais severos pode ser necessária a hospitalização do animal, com fluídos (soro), e até a colocação de uma sonda de alimentação uma vez que, perdendo o olfato pela obstrução nasal, os gatos deixam de comer.

Prevenção da gripe felina


Caso o seu animal tenha algum sintoma referido deve isolá-lo imediatamente, principalmente se tiver outros gatos em casa.

A melhor forma de prevenir o desenvolvimento desta doença no seu gato é através de uma boa higiene, limpeza e vacinação.

1. Higiene e limpeza

gripe felina caixote da areia do gato

Uma boa desinfeção e limpeza do ambiente onde o seu gato se encontra é crucial para evitar que seja infetado por algum vírus. Uma vez que é uma doença de fácil transmissão, propaga-se através de vetores, por isso, caso tenha contacto com outros gatos deve sempre desinfetar as mãos e se possível mudar de roupa.

As caixas de areia e gamelas também devem ser desinfetadas com regularidade.

2. Vacinação

gripe felina vacinacao gato

Existem vacinas para gatos que protegem contra estes dois vírus, e esta é a forma mais eficaz de prevenir a infeção.

Saiba mais sobre o plano de vacinação dos gatos aqui >>

3. Alimentação

gripe felina comida seca gato

Uma boa alimentação contribui para um sistema imunitário a trabalhar. A alimentação do seu gato deve ser rica em nutrientes e equilibrada. Se tiver alguma dúvida acerca da alimentação mais adequada para o seu gato, informe-se com o seu médico veterinário.

4. Stress

gripe felina gato relaxado

Sabe-se que o stress é um dos principais fatores que contribui para a baixa das defesas. Evite proporcionar ao seu gato momentos de stress e agitação que podem comprometer o seu sistema imunitário.

5. Evite o contacto com outros gatos

gripe felina gato isolado

Evitar o contacto com outros gatos diminui a probabilidade do seu gato se contagiar com algum vírus ou bactéria. No entanto, caso o seu gato tenha acesso regular ao exterior, não sendo possível controlar o contacto com outros animais deve garantir que está sempre com as vacinas em dia.

Mesmo gatos com acesso apenas ao interior da casa podem ficar doentes, portanto as vacinas não são apenas para gatos de exterior.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].